Perfil de atendimento em Prontos Socorros: o caso do Hospital Sagrado Coração de Jesus de Anaurilândia - MS

Renatta Colombo Bezerra, Mara Lúcia Palmeira Padilha, Lucas Henrique Bastos Perigo, Gemael Chaebo, Vitor Cardoso da Silveira

Resumo


O objetivo desse trabalho é descrever o perfil de atendimento aos pacientes atendidos no pronto socorro do Hospital Sagrado Coração de Jesus de Anaurilândia, Mato Grosso do Sul, Brasil. Para cumprir esse objetivo, foram coletados os dados de 280 prontuários médicos de atendimento realizados no mês de abril de 2015. Os dados foram analisados por meio de estatística descritiva, aplicada às variáveis sociodemográficas e de atendimento. Como principal resultado aponta-se que, o pronto socorro está sendo procurado por pacientes que em sua maioria não se encontram em situação de risco ou atendimento imediato (81% dos pacientes), contrariando o significado de urgência ou emergência característico de um pronto socorro. Conhecer o perfil de atendimento dos pacientes que procuram o pronto socorro pode auxiliar os gestores na elaboração de planos de ação mais ajustados, tendo em vista que, a maioria dos atendimentos poderia ser resolvida em nível básico de atendimento à saúde.

Texto completo:

PDF

Referências


Hulka BS, Wheat JR. Patterns of utilization: the patient perspective. Medical Care. 1985. 438-460.

Cecílio LCO. Indicadores de avaliação de desempenho: um instrumento estratégico para a administração gerencial dos hospitais públicos. São Paulo: Hucitec; 1997.

Marques GQ, Lima MADS. Demandas de usuários a um serviço de pronto atendimento e seu acolhimento ao sistema de saúde. Rev. Lat. Amer. Enfermagem. 2007; 15(1): 13-19.

Ugá MA, Piola SF, Porto SM, Vianna SM. Descentralização e alocação de recursos no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Ciência & Saúde Coletiva. 2003; 8(2): 417-437.

Novaes JS, Novaes GS. Manual de primeiros socorros para educação física. Rio de Janeiro: Sprint; 1994.

Figueiredo NMA. Enfermagem: cuidando em emergência. São Paulo: Yendis; 2006.

Gatti MFZ, Leão ER. O papel diferenciado do enfermeiro em serviço de emergência: a identificação de prioridades de atendimento. Rev. Nursing. 2004; 73(7): 24-28.

Brasil. Terminologia básica em saúde. 2. ed. Brasília: Centro de documentação do Ministério da Saúde; 1985.

Nasi LA. Rotinas em Pronto Socorro. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2005.

Gomes AM. Emergência: planejamento e organização da unidade: assistência de enfermagem. São Paulo: EPU; 1994.

Barbieri RL. S.O.S cuidados emergenciais. São Paulo: Rideel; 2002.

Santos SR, Cunha AJLA, Gamba CM, Machado FG, Leal Filho JMM, Moreira NLM. Avaliação da assistência à saúde da mulher e da criança em localidade urbana da região sudeste do Brasil. Rev. Saúde Pública. 2000; 34(3): 266-271.

Fiocruz. Radis/Comunicação em Saúde. Súmula. Rio de Janeiro, n. 80; 2009.

Pinheiro RS, Viacava F, Travassos C, Brito AS. Gênero, morbidade, acesso e utilização de serviços de saúde no Brasil. Cienc. Saúde Colet. 2002; 7(4): 687-707.

Furtado BMASM, Araújo JR, Cavalcanti P. O perfil da emergência do hospital da restauração: uma análise dos possíveis impactos após a municipalização dos serviços de saúde. Rev. Bras. Epidemiol. 2004; 7(3): 279-289.

Brasil. Lei nº. 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial da União; 1990.

Brasil. Lei n. 8.842, de 4 de janeiro de 1994. Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o conselho nacional do idoso e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial da União; 1994.

Mesquita Filho M, Jorge MHP. Características da morbidade por causas externas em serviço de urgência. Rev. Bras. Epidemiol. 2007; 10(4): 579-591.




DOI: http://dx.doi.org/10.18673/gs.v8i2.24221

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Gestão & Saúde (ISSN 19824785)

Revista coordenada pelo Nucleo de Estudos em Educação, Promoção da Saúde e Projetos Inclusivos (NESPROM), do Centro de Estudos Avançados Multidiciplinares (CEAM), da Universidade de Brasília (UnB).

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados