Violence experienced by female brazilian immigrants in Portugal

Eliany Nazaré Oliveira, Félix Monteiro Neto, Tamires Alexandre Félix, Roberta Magda Martins Moreira, Maria Michelle Bispo Cavalcante, Manuelle Maria Marques Matias

Resumo


This study aimed to analyze the violence experienced by female Brazilian immigrants  in Portugal. Conducted in the first half of 2016 with 682 women over 18 years in Portugal. Two types of data collection were introduced, online by the Limasurvey Platform and in person at the Consulates General of Brazil in Porto and Lisbon and the “Mais Brasil” association.  Psychological violence appeared in a larger proportion, family and friends were the main sought support. The marital status does not influence the violence suffered. The residence time in the country had an influence on the types of offenders. Believed to be crucial to create a policy that aims transformation actions aimed at strengthening public and collective consciousness of these female immigrants in the host country.


Texto completo:

PDF (English)

Referências


United Nations, Department of Economic and Social Affairs. Handbook for Legislation on Violence against Women [Internet]. New York; 2010 [acesso em 10 nov 2016]. Disponível em:http://www.compromissoeatitude.org.br/wpcontent/uploads/2012/11/UN_DAW_2009HandbookforlegislationonVAW.pdf

Faria MRF. Migrações internacionais no plano multilateral: reflexões para a política externa brasileira [tese]. Brasília (DF): Fundação Alexandre de Gusmão; 2015.

Dias P, Machado R, Oliveira A. Relatório de Imigração, Fronteiras e Asilo. Barcarena; Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) [Internet], 2015 [acesso em 2016 jul 01]. Disponível em: http://sefstat.sef.pt/Docs/Rifa_2015.pdf

Padilla B. Saúde dos imigrantes: multidimensionalidade, desigualdades e acessibilidade em Portugal. Rev Inter Mob Hum [Internet]. 2013 Jan/Jun [acesso em 10 nov 2016]; 21(40): 49-68. Disponível em: http://www.csem.org.br/remhu/index.php/remhu/article/view/363/322

Duarte M, Oliveira A. Mulheres nas margens: a violência doméstica e as mulheres imigrantes. Sociologia (FLUP) [Internet]. 2012 [acesso em 12 nov 2016]; 23: 223-237. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-34192012000100012&lng=pt&nrm=iso

United Nations, Department of Economic and Social Affairs. International Migration Report 2015: Highlights [Internet]. New York; 2015 [acesso em 30 nov 2016]. Disponível em: http://www.un.org/en/development/desa/population/migration/publications/migrationreport/docs/MigrationReport2015.pdf

Silva VL. Tráfico de pessoas e desigualdades sociais no contexto da globalização. In: Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Universidade de Brasília. Saúde, migração, tráfico e violência contra mulheres: o que o SUS precisa saber. 1a ed. Brasília; 2013. p. 157-67.

Guimarães RC, Cabral JAS. Estatística. 2ª edição. Porto (POR): Verlag Dashöfer; 2010.

Ministério da Saúde (BR), Conselho Nacional de Saúde. Resolução 466, de 12 de dezembro de 2012. Dispõe sobre diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília; 2012 [acesso em 30 out 2016]. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf

Dias S, Rocha C, Horta R. Saúde sexual e reprodutiva de mulheres imigrantes africanas e brasileiras – Um estudo Qualitativo. Lisboa: ACIDI; 2009.

Góis P, Marques JC, Padilla B, Peixoto J. Segunda ou terceira vaga? As características da imigração brasileira recente em Portugal. In: Padilla B, Xavier, M, editores. Migrações entre Portugal e América Latina. Lisboa: ACIDI; 2009. p. 111-133.

Bógus LMM. Esperança além-mar: Portugal no “arquipélago migratório” brasileiro. In: Malheiros J M, editores. Imigração brasileira em Portugal. Lisboa: ACIDI; 2007. p. 39-58.

Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios. Relatório Mulher Migrante: Agente de resistência e transformação [Internet]. Brasília: CSEM; 2014 [acesso em 27 nov 2016]. 112 p. Disponível em: http://csem.org.br/images/livros/caminhos/Relatorio_de_pesquisa_CSEM_Mulheres_migrantes.pdf

Gonçalves V. Educação e Sociedade: A realidade da educação/ formação na vida da imigração brasileira em Portugal. Revista Migrações [Internet]. 2015 [acesso em 27nov 2016]; 12: 113-36. Disponível em: http://www.om.acm.gov.pt/publicacoes-om/revista-migracoes

Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios. Resenha migrações na atualidade: Dignidade humana e mulheres migrantes. Brasilia: CSEM; 2015. 46 p.

Dutra D. Mulheres, migrantes, trabalhadoras: a segregação no mercado de trabalho. Rev. Interdiscip Mobil Hum [Internet]. 2013 [acesso em 27 nov 2016]; 21(40): 177-93. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1980-85852013000100011

Milesi R, Marinucci R. Mulheres migrantes e refugiadas a serviço do desenvolvimento humano dos outros [Homepage]. 2016 [acesso em 27 nov 2016]. Disponível em:

http://www.migrante.org.br/index.php/migrantes2/321-artigo-mulheres-migrantes-e-refugiadas-a-servico-do-desenvolvimento-humano-dos-outros

Rodrigues RA, Espinosa LMC. ¿Cómo mujeres inmigrantes enfrentan la violencia en la relación de pareja? Estud psicol (Natal) [Internet]. 2014 Mar [acess em 28 nov 2016]; 19(1): 4-12. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-294X2014000100002




DOI: http://dx.doi.org/10.18673/gs.v1i3.24126

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Gestão & Saúde (ISSN 19824785)

Revista coordenada pelo Nucleo de Estudos em Educação, Promoção da Saúde e Projetos Inclusivos (NESPROM), do Centro de Estudos Avançados Multidiciplinares (CEAM), da Universidade de Brasília (UnB).

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados