Contribuição do enfermeiro no processo de gerenciamento de custo nas instituições hospitalares

Silvia Emanoella Silva Martins de Souza, André Ribeiro da Silva

Resumo


A prática de gerenciamento de custos em enfermagem no Brasil ainda é intimamente ministrada nas instituições de nível superior. O objetivo desse estudo foi verificar quais são os modelos de gerenciamento de custos da enfermagem no Brasil. A metodologia utilizada foi a revisão integrativa da literatura nas bases de dados eletrônicas LILACS, MEDLINE, ColecionaSUS e bibliotecas virtuais Cochrane e SciELO, com recorte temporal entre os anos de 1980 a 2016.  Concluiu-se que o gerenciamento de custos é essencial para a qualidade do serviço de enfermagem e que os estudos realizados no Brasil ainda são escassos e possuem metodologias pouco apuradas e com mínimo de aprofundamento na sua importância.

Palavras-chave: Controle de Custos, Enfermagem, Gestão de Recursos.


Texto completo:

PDF

Referências


Oliveira WT, Rodrigues AVD, Haddad MCL, Vanuch, MTO, Taldivo, MA. Concepções de enfermeiros de um hospital universitário público sobre o relatório gerencial de custos. Rev Esc Enferm USP. 2012; 46(5): 1184-91.

Oliveira WT, Haddad MCL, Vannuchi MTO, Rodrigues AVD, Pissinati PSC. Capacitação de enfermeiros de um hospital universitário público na gestão de custo. Rev Enferm UFSM. 2014; 4(3): 566-574.

Oliveira NC, Chaves LDP. Gerenciamento de Recursos Materiais: o papel da enfermeira de unidade de terapia intensiva. Rev. Rene. 2009; 10(4): 19-27.

Almeida MH. Custos hospitalares na enfermagem. Rio de Janeiro: Cultura Médica, 1984.

Telles SCR, Castilho V. Custo de pessoal na assistência direta de enfermagem em unidade de terapia intensiva. Rev Latino Am Enfermagem. 2007; 15(5): 1-5.

Francisco IMF, Castilho V. O ensino de custos nas escolas de graduação em enfermagem. Rev Esc Enferm USP. 2004; 38(3): 317-25.

Campos LF, Angerami ELS. Custos em enfermagem: revisão de literatura. Nursing. 2004; 7(7); 30-4.

Kurcgant P. Administração em enfermagem. São Paulo: EPU, 1991.

Fernandes JCF. Administração de material: um enfoque sistêmico, teoria e prática. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1981.

Medici AC. Financiamento e contenção de custos nas políticas de saúde: tendências atuais e perspectivas futuras. Rev Planejamento Políticas Públicas. 1990; 4(1): 83.

Francisco IMF, Castilho V. A enfermagem e o gerenciamento de custos. Rev Esc Enferm USP. 2002; 36(3): 240-4.

Consejo Internacional de Enfermeras (CIE). La calidad, los costos y la enfermeria. Trabalho apresentado no Dia Internacional de La Enfermera, Geneva, 1993.

Savonitti BHRA. Qualidade de vida de idosos institucionalizados. [Dissertação de mestrado] São Paulo: Escola de Enfermagem. Universidade de São Paulo; 2000.

Margarido ES, Castilho V. Aferição do tempo e do custo médio do trabalho da enfermeira na consulta de enfermagem. Rev Esc Enferm USP. 2006; 40(3): 427-33.

Lourenço KG, Castilho V. Classificação ABC dos materiais: uma ferramenta gerencial de custos em enfermagem. Rev Bras Enferm. 2006; 59(1): 52-5.

Lunardi Filho WD, Lunardi VL. Uma nova abordagem no ensino de enfermagem e de administração em enfermagem como estratégia de (RE) orientação da prática profissional do Enfermeiro. Rev Min Enferm. 1996; 2(5): 20-34.

Melo MNB, Germano RM. No caminho das pedras: a supervisão de enfermagem nos hospitais públicos. Nursing. 2004; 7(14): 39-44.

Almeida MCP, Rocha SMM. O trabalho de enfermagem. São Paulo: Cortez, 1997

Brasil. Programa Nacional de Gestão de Custos: manual técnico de custos - conceitos e metodologias. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

Gersdoff RCJ. Contabilidade de custos hospitalares no Brasil: qual seria um sistema prático, simples e eficaz. Vida Hosp. 1980; (3): 116-23.

Vecina Neto G, Ferreira Junior WC. Administração de materiais para sistemas locais de saúde. In: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2001.

Vecina Neto G, Reinhardt Filho W. Gestão de recursos materiais e medicamentos. Série: Saúde e cidadania. São Paulo: IDS-USP, 1998.

Castilho V, Fugulin FMT, Gaidzinski RR. Gerenciamento de custos nos serviços de enfermagem. In: Kurcgant P (Coord). Gerenciamento em enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

Grego RM. Disciplina administração em enfermagem ll – Gerencia de Custos em Enfermagem. Juiz de Fora: UFJF, 2009.

Campos CV, Santos LGS. A percepção do enfermeiro sobre o seu papel no gerenciamento de custos hospitalares. Rev Min Enferm. 2008; 12(2): 249-256.

Anastasiou LGC, Alves LP. Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. Joinville: Univille; 2003.

Albano TC, Freitas JB. Participação efetiva do enfermeiro no planejamento: foco nos custos. Rev Bras Enferm. 2013; 66(3): 372-7.

Francisco IMF, Castilho V. A inserção do ensino de custos na disciplina administração aplicada à enfermagem. Rev Esc Enferm USP. 2006; 40(1):13-9.

Gomes MJVM, Reis AMM. Ciências farmacêuticas: uma abordagem em farmácia hospitalar. Belo Horizonte: Atheneu, 2001.

Paterno D. Administração de materiais [monografia]. São Paulo: Universidade São Camilo, 1985.

Teixeira AM. Enfermagem e o gerenciamento de custos: revisão sistemática nacional e internacional. Botucatu: Unesp, 2010.

Formiga JMM, Germano RM. Por dentro da história: o ensino de administração em enfermagem. Rev Bras Enferm. 2005; 58(2): 222-6.

Massaro MC, Lucieli DP. A produção científica sobre gerenciamento em enfermagem hospitalar: uma pesquisa bibliográfica. Cogitare Enferm. 2009; 14(1): 150-8.

Gabrielli JMW. Formação do enfermeiro: buracos negros e pontos de luz. Tese [Doutorado em Enfermagem] - Universidade de São Paulo: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, 2004.

Brasil. Lei nº. 9.394, 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, 1996.

Ministério da Educação (Brasil). Resolução CNE/CES nº. 3, de 7 novembro de 2001. Institui diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em Enfermagem. Diário Oficial da União, 2001.

Renovato RD, Bagnato MHS, Missio L, Bassinelo GAH. As identidades dos enfermeiros em cenários de mudanças curriculares no ensino da enfermagem. Trab educ saúde. 2009; 7(2): 231-248.




DOI: http://dx.doi.org/10.18673/gs.v8i2.24118

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Gestão & Saúde (ISSN 19824785)

Revista coordenada pelo Nucleo de Estudos em Educação, Promoção da Saúde e Projetos Inclusivos (NESPROM), do Centro de Estudos Avançados Multidiciplinares (CEAM), da Universidade de Brasília (UnB).

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados