Estratégias e desafios da gestão da Atenção Primária à Saúde no controle e prevenção da obesidade

Luana Mirelle de Almeida, Kátia Ferreira Costa Campos, Raquel Randow, Vanessa de Almeida Guerra

Resumo


A obesidade é considerada como problema de saúde pública no Brasil, com necessidade de intervenção por parte das equipes no âmbito da Atenção Primária à Saúde-APS.  Objetivou-se com este trabalho  analisar as estratégias utilizadas no controle da obesidade, e apontar  possíveis desafios a serem superados no âmbito da APS por meio de uma revisão integrativa da literatura. A busca dos artigos foi realizada em bases de dados LILACS e Scielo disponíveis na Biblioteca Virtual de Saúde, no total de 16 artigos. Os resultados evidenciaram o despreparo da APS na prevenção e controle da obesidade, em razão da carência de envolvimento dos Agentes Comunitários de Saúde como responsáveis pela prática de promoção da saúde. Em relação aos Centros de Saúde ainda carecem práticas de promoção da alimentação saudável voltadas para população de baixa renda, que muitas vezes compra alimentos mais baratos, porém com alto teor de açucar. O aumento da obesidade na população beneficiária do Programa Bolsa-Família demostra a falta da efetividade de acompanhamento nutricional desses indivíduos. A vulnerabilidade da população de baixa renda, especialmente as mulheres, necessita maior atenção e o papel dessas mulheres como promotoras de saúde em sua família é  estratégia a ser considerada.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18673/gs.v8i1.23924

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Gestão & Saúde (ISSN 19824785)

Revista coordenada pelo Nucleo de Estudos em Educação, Promoção da Saúde e Projetos Inclusivos (NESPROM), do Centro de Estudos Avançados Multidiciplinares (CEAM), da Universidade de Brasília (UnB).

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados