EPIDEMIOLOGIA DOS ACIDENTES COM FRATURAS NA INFÂNCIA: O RETRATO DE UM MUNICÍPIO DA AMAZÔNIA BRASILEIRA

  • Gutembergue Santos de Sousa Secretaria Municipal de Saúde de Canaã dos Carajás-Pará
  • Lirian Raquel Bezerra de Sousa Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas
  • Maria Goreth Silva Ferreira Universidade do Estado do Pará
Palavras-chave: Fratura. Criança. Ortopedia. Traumatologia. Epidemiologia.

Resumo

As lesões traumáticas, na ortopedia e traumatologia, se constituem na mais importante causa de morte em crianças com mais de um ano de idade, em todo o mundo, e na segunda principal causa de hospitalização nos indivíduos com menos de 15 anos de idade. Assim, este estudo objetiva levantar as características epidemiológicas das crianças atendidas com fraturas na internação pediátrica, no Hospital Municipal de Santarém-Pa. Trata-se de um estudo transversal, retrospectivo, realizado através de consulta em prontuários, com população de 183 crianças de 0 a 12 anos, internadas no Hospital Municipal de Santarém-Pa, com  quadro de trauma ortopédico, durante o ano de 2013. Evidenciou-se que 69% dos pacientes eram do sexo masculino, na faixa etária entre 5 a 9 anos (46,45%). As crianças residentes em Santarém representaram 69,95%. As fraturas fechadas representaram 78%, com internação de caráter urgente em 90% dos casos, tendo o acidente por queda como causa básica em 49,17%. Nos casos em que a causa básica foi acidentes de trânsito (9,29%), estes foram através de motocicletas em 52,94% dos casos. Diante disto, conclui-se que as crianças internadas possuem características semelhantes às descritas na literatura, sendo predominante as fraturas em crianças do sexo masculino e em idade escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gutembergue Santos de Sousa, Secretaria Municipal de Saúde de Canaã dos Carajás-Pará

Especialista em Auditoria em Serviços de Saúde pela PUC-Go;

Especialista em Ortopedia e Traumatologia pela UEPA;

Mestre em Saúde na Amazônia pelo NMT/UFPA;

Lirian Raquel Bezerra de Sousa, Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas

Enfermeira; Especialista em Ortopedia e Traumatologia (UEPA)

Maria Goreth Silva Ferreira, Universidade do Estado do Pará

Enfermeira; Doutora em Enfermagem (EEAN/UFRJ); Professora Adjunta da Universidade do Estado do Pará, Campus XII, Santarém-Pará/Brasil

Referências

Pereira MG. Epidemiologia: teoria e prática. 11 ed. Rio de Janeiro: Editora Guanabara; 2007.

Irwin Júnior CE, Cataldo MF, Matheny Júnior AP, Peterson L. Health consequences of behaviors: injury as a model. Pediatrics. 1992 [acesso em 24 ago 2014]; 90:798-80. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/1437410.

Dias GAS, Pontes LS. Perfil epidemiológico de fratura traumática isolada de rádio em crianças. Rev. para. Med. 2013 [acesso 24 ago 2014]; 27(1). Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/0101-5907/2013/v27n1/a3527.pdf.

Guarnieiro R, Godoy Junior RM, Ambrosini Junior E, Guarnieiro JRB, Martins B, Santana PJ et al. Estudo observacional comparativo de fraturas em crianças e adolescentes. Rev. bras. ortop.[online]. 2011; 46(suppl 4): pp. 32-37.

Santili C, Gomes CMO, Akkari M, Waisberg G, Braga SR, Lino Junior W et al. Fraturas da diáfise da tíbia em crianças. Acta ortop. bras. [online]. 2010 [acesso 13 out 2014]; 18(1): 44-48. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-78522010000100009.

Lino Júnior W, Segal AB, Carvalho DE, Fregoneze M, Santili C. Análise estatística do trauma ortopédico infanto-juvenil do pronto socorro de ortopedia de uma metrópole tropical. Acta ortop bras. 2005 [12 set 2014]; 13(4): 179-182. Disponível em: www.scielo.br/pdf/aob/v13n4/a05v13n4.pdf.

Maciel SSSV, Maciel WV, Lima Neto AJ, Santos FJF, Sobral HV, Sobral LV. Internação hospitalar por fraturas de fêmur e outros ossos dos membros em residentes de Pernambuco. Revista da AMRIGS. 2012 [acesso em 15 set 2012]; 56 (3): 213-219. Disponível em: http://www.amrigs.com.br/revista/56-03/internacao%20hospitalar.pdf.

Itami LT. Adultos com fraturas: das implicações funcionais e cirúrgicas à educação em saúde. Rev Esc Enferm USP. 2009 [acesso 10 set 2014]; 43(Esp 2):1238-43. Disponível em: www.revistas.usp.br/reeusp/article/download/40446/43460.

Cunha FM, Figueiredo LA, Coelho LFA, Malheiros DS, Terra DL, Lima CLFA. Fraturas diafisárias de fêmur em crianças e adolescentes. Acta ortop. bras. [online]. 2007 [acesso 13 ago 2014]; 15(2): 80-83. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-78522007000200004&script=sci_arttext.

Fumo C, Bongiovanni RR, Dobashi ET, Pascarelli L, Righi LCS. Fraturas Supracondilianas de úmero na infância. Arquivos Brasileiros de Ciências da Saúde. 2010 [acesso 09 set 2014]; 35(1):50-56. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/1983-2451/2010/v35n1/a013.pdf.

Jorge MHPM, Martins CBGA. A criança, o adolescente e o trânsito: algumas reflexões importantes. Rev. Assoc. Med. Bras. [online]. 2013 [acesso 13 ago 2014]; 59(3):199-208. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ramb/v59n3/v59n3a01.pdf.

Publicado
2019-02-28
Como Citar
de Sousa, G. S., Bezerra de Sousa, L. R., & Silva Ferreira, M. G. (2019). EPIDEMIOLOGIA DOS ACIDENTES COM FRATURAS NA INFÂNCIA: O RETRATO DE UM MUNICÍPIO DA AMAZÔNIA BRASILEIRA. Revista Eletronica Gestão & Saúde, 68 - 80. https://doi.org/10.26512/gs.v0i0.23322
Seção
Artigos Originais