DESAFIOS NA PRODUÇÃO DO CUIDADO EM UM CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL ÁLCOOL E DROGAS

  • Kallen Dettman Wandekoken Universidade Federal do Espírito Santo
  • Maristela Dalbello Araújo Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória
  • Luiz Henrique Borges Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória
Palavras-chave: Centros de Atenção Psicossocial. Trabalho. Atenção Integral à Saúde.

Resumo

Este artigo analisa os desafios de produção do cuidado em um Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPSad), em busca de agir consonante às políticas que orientam este serviço. Debruça-se, também, em analisar as dimensões macro e micropolíticas que permeiam esta prática e elucida estratégias do processo de trabalho que são vivenciadas pelos trabalhadores. Assim, foi realizada pesquisa qualitativa com todos os 28 trabalhadores do serviço, a partir de oitenta horas de observação do cotidiano de trabalho, uma sessão de entrevista coletiva, com a participação de dez trabalhadores e treze entrevistas em profundidade individuais, seguidas de Análise Temática. Logo, considerando que a produção do cuidado em saúde se dá sempre em relação, constata-se que neste serviço há comprometimento de sua efetividade. Foram observados três modos de cuidar: 1. Cuidado centrado no ato prescritivo; 2. Cuidado pouco relacional; 3.  Cuidado acolhedor. Para tanto, entende-se que produzir atos de saúde a partir de um cuidado acolhedor é tarefa de todos os profissionais do CAPSad e que estes devem reconhecer, no usuário, um sujeito portador de desejos e necessidades, que possui valores e potências. Entretanto, nas condições em que o trabalho é realizado, nesse local, o cuidado parece comprometido.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kallen Dettman Wandekoken, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutora em Saúde Coletiva pela Universidade Federal do Espírito Santo. Profª. Adjunta do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal do Espírito Santo.

Maristela Dalbello Araújo, Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória

Doutora em Psicologia pela Universidade Federal do Espírito Santo. Profª. do Programa de Pós-graduação em Pólíticas Públicas da Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória.

Luiz Henrique Borges, Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória

Doutorado em Ciências da Saúde pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Prof. Adjunto da Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória.

Referências

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2011.

Ceccim RB, Merhy E.E. Intense micropolitical and pedagogical action: humanizationbetween ties and perspectives. Interface Comun. Saúde Educ. 2009; 13 Supl 1:531-42

Dalbello-Araujo M. Comunidade ampliada de pesquisa. In: Rosa EM, Souza L, Velar L, organizadores. Psicologia Social: temas em debate. Vitória: GM. Editora-ABRAPSO-ES; 2008. p. 109-26.

Deleuze G, Guattari F. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. v. 3. Rio de Janeiro: Ed. 34; 2012.

Franco TB. Prefácio. In: Franco TB, Andrade CS, Ferreira VSC, organizadores. A produção subjetiva do cuidado: cartografias da Estratégia Saúde da Família. São Paulo: Hucitec; 2011.

Franco T et al. A produção subjetiva da estratégia da saúde da família. In: Franco T, Andrade CS, Ferreira VSC, organizadores. A produção subjetiva do cuidado: cartografias da estratégia saúde da família. São Paulo: Hucitec; 2011. p. 19-44.

Franco TB, Merhy EE. Trabalho, produção do cuidado e subjetividade em saúde. Hucitec Editora; 2013.

Merhy EE. A perda da dimensão cuidadora na produção da saúde: uma discussão do modelo assistencial e da intervenção no seu modo de trabalhar a assistência. In: Campos CR, organizador. Sistema Único de Saúde em Belo Horizonte: Reescrevendo o público. São Paulo: Xamã Editora; 1998. p. 103-20.

Merhy EE. O ato de governar as tensões constitutivas do agir em saúde como desafio permanente de algumas estratégias gerenciais. Ciênc. saúde coletiva. 1999; 4 (2): 305-14.

Merhy EE. Em busca do tempo perdido: a micropolítica do trabalho vivo em saúde. In: Merhy EE, Onocko R, organizadores. Agir em saúde: um desafio para o público. 3 ed. São Paulo: Hucitec; 2007. p. 71-112.

Merhy EE . Saúde: a cartografia do trabalho vivo. São Paulo: HUCITEC; 2007b.

Merhy EE, Feuerwerker LCM, Cerqueira P. Da Repetição à Diferença: construindo sentidos com o outro no mundo do cuidado. In: Silva Jr AG, Ramos VC, Damasceno V, organizadores. Semiótica, Afecção e Cuidado em Saúde. São Paulo: Hucitec; 2014. p. 60-75.

Guattari F, Rolnik S. Micropolítica: cartografias do desejo. 12ª ed. Petrópolis: Vozes; 2011.

Merhy EE, Franco TB. Reestruturação produtiva e a transição tecnológica na saúde: debate necessário para a compreensão do processo de 'financeirização' do mercado na saúde. In: Franco TB, Merhy EE, organizadores. Trabalho, produção do cuidado e subjetividade em saúde. São Paulo: Hucitec Editora; 2013. p. 85-111.

Merhy EE, Franco TB. Por uma composição técnica do trabalho centrada no campo relacional e nas tecnologias leves. In: Franco TB, Merhy EE, organizadores. Trabalho, produção do cuidado e subjetividade em saúde. São Paulo: Hucitec Editora; 2013. p. 112- 21.

Morin E. A Noção de Sujeito. In: Schnitman DF, organizador. Novos Paradigmas, Cultura e Subjetividade. Artes Médicas; 1996.

Morin E. A cabeça bem feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Tradução de Eloá Jacobina. 8ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil; 2003.

Rolnik S. Cartografia Sentimental. 2 ed. Porto Alegre: Ed. UFRGS; 2016.

Wandekoken KD, Dalbello-Araujo M. Trabalho no Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas e as políticas públicas: que caminho seguir? Trab. educ. saúde. 2015; 13 Supl. 1: 157-75.

Publicado
2019-08-14
Como Citar
1.
Wandekoken KD, Araújo MD, Borges LH. DESAFIOS NA PRODUÇÃO DO CUIDADO EM UM CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL ÁLCOOL E DROGAS. Rev. G&S [Internet]. 14º de agosto de 2019 [citado 23º de outubro de 2019];00:37 -53. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/23318
Seção
Artigos de Pesquisa