Notícias

Tema Livre: avaliamos textos submetidos de mestres e de doutores em fluxo contínuo.

Chamada para dossiê

 

Chamada para dossiê: Investigação Baseada em Artes (Arts Based Research).  Belidson Dias, Rita Irwin, Anita Sinner e Tatiana Fernandez (organizadores).

Principalmente, nos últimos 15 anos, pesquisadores vem buscando compreender, valorar e conceber a produção em arte como uma modalidade de pesquisa acadêmica. Isto gerou metodologias de pesquisa atualmente reconhecidas e cada vez mais bem aceitas na academia como a Investigação Baseada em Arte (IBA) e a Investigação Educacional Baseada em Arte (IEBA), traduções livre dos termos Inglês: Arts-based Research (ABR) e Arts-based Educational Research (ABER), e do termo em espanhol Investigación Basada en las Artes (IBA). O argumento chave para estas metodologias é que elas, ao enfatizarem a produção cultural da arte, rompem, complicam, problematizam e incomodam as metodologias normalizadas e hegemônicas que estabelecem, formatam, conduzem, concebem e projetam os conceitos de pesquisa acadêmica estabelecidos para as artes, educação e arte educação.

A edição 2.2017 da Revista VIS propõe um dossiê que contemple potencialidades da IBA em: deslocar intencionalmente modos estabelecidos de se fazer pesquisa e conhecimentos em artes, ao aceitar e ressaltar categorias como incerteza, imaginação, ilusão, introspecção, visualização e dinamismo;  explorar métodos de pesquisa qualitativa que sugerem respostas a questões que têm a ver com atitudes, sentimentos, sensações, percepções e construções sociais de sentido; apresentar perspectivas, exemplos, problemas, assuntos que sirvam como uma orientação e ajudem a ampliar o entendimento de pesquisa que se baseiam em conceitos, processos e formas de representação das artes.

Espera-se que o dossiê possa também apresentar contribuições com um amplo espectro dos tipos de pesquisas e investigações utilizadas pelos pesquisadores, incluindo formas literárias e visualidades, compreendendo as artes visuais, performance, poesia, vídeo, cinema, dança, teatro, arte popular, cultura material e imaterial. Com esta chamada para inscrições convocam-se contribuições de obras que combinem teoria e prática para exemplificar o melhor da Investigação Baseada em Artes. Os autores individuais ou em grupos são estimulados a participar e também encoraja-se a submissão de ensaios experimentais e instigadores que ampliem a discussão do tema

Este volume é coeditado pelo Drs. Belidson Dias, Rita Irwin, Anita Sinner e Tatiana Fernandez. Por favor, dirigir suas perguntas a qualquer um dos editores: belidson@unb.brrita.irwin@ubc.ca, anita.sinner@concordia.ca, e tatianafernande@unb.br.

Prazo de submissão: 30 de março de 2017.

 
Publicado: 2016-11-21
 

Chamada para dossiê

 

Chama da para dossiê: Imagens e(m) Cena. Roberta K. Matsumoto (organizadora).

 

Mais de cem anos nos separam da primeira projeção cinematográfica realizada pelos irmãos Lumière. Desde então, o diálogo entre as Artes da Cena e as tecnologias de imagem e de som vem se tornando cada vez mais intenso, sobretudo com o advento do digital que permitiu a miniaturização dos dispositivos e sua disseminação. A utilização de tais tecnologias na composição cênica (Imagem em Cena) tem possibilitado a aproximação dos corpos e dos objetos (seccionando-os, ‘tocando-os’, ‘dissolvendo-os’), assim como, a passagem imediata de um espaço a outro; a multiplicidade e sobreposição de temporalidades; a dinamização da relação entre realidade e virtualidade, enfatizando a instabilidade da produção de sentidos, abrindo novas questões sobre a atuação cênica e diluindo as fronteiras entre teatro, vídeo, cinema, dança, performance e instalação. Ainda, essas tecnologias tem sido utilizadas para a transformação de uma obra cênica em audiovisual ou, cada vez mais, como ferramentas de notação e registro de processos, seja na criação cênica, seja nos estudos acadêmicos, gerando, por vezes, obras videográficas (Imagem e Cena). Nesta edição da Revista VIS (1/2018), serão privilegiados artigos que contribuam para o aprofundamento dos estudos sobre as relações entre Imagens e(m) Cena, entendendo imagem dentro de um amplo espectro: de sua forma visual à paisagem sonora.

Prazo de submissão: 30 de junho de 2017

It’s been more than one hundred years since the Lumière brothers held their first private screening of a projected motion picture. Relationship between Performing Arts and technological devices for sound and moving image has been vastly experimented by artists and researchers since then. The advent of digital technology allowed this process to develop even further due to shrinking and dissemination of such devices. Their use on stage (Imagery in-to Performance) has made for possible bodies and objects to get more related to each other (through either sectioning, touching or dissolving them) as the immediate swift from one place to another; time to run in layers of multiplicity and superposition; and the relationship between reality and virtual to be stimulated. Production of meanings and senses has then assumed its instability as the borders among disciplines (theatre, video, cinema, dance, performance art, installation) have been blurred, bringing questions concerning acting to light. Furthermore, those technological devices have been used as tools to turn theatrical pieces into films or, even more frequently, to document creative processes in both staging and academic researching. This following issue of Revista VIS (1/2018) welcomes papers concerning accurate investigations on the relationships between Imagery in-to Performance. The word imagery is given here within a wide panorama: it may refer to the production of visual effects as well as soundscapes and beyond.

Submission deadline: July 31, 2017

Contact: Roberta K. Matsumoto (robkmatsu@gmail.com) or Rodrigo Desider Fischer (rodrigodesiderfischer@gmail.com


 
Publicado: 2016-11-21
 
1 a 2 de 2 itens