Por uma nova leitura da vida de Baudelaire

tradução de uma carta ao General Aupick

  • Gilles Jean Abes
Palavras-chave: Tradução

Resumo

O objetivo da tradução desta carta é o de despertar uma pequena revolução na forma como a vida do poeta Charles Baudelaire é comentada no Brasil. De fato, sua imagem parece petrificada num discurso que se tornou quase que um lugar comum e que faz eco ao ensaio de Ivan Junqueira (1995), “A arte de Baudelaire”. O autor da tradução de maior circulação das Flores do mal afirma que Baudelaire, ainda criança, se revoltou com o segundo casamento da mãe, choque que marcou profundamente sua vida, que nunca se entendeu com o padrasto militar e seu meio-irmão, Alphonse, e que, depois de adulto, teria tido uma relação edipiana e até incestuosa com a mãe. Diante dessas afirmações, cuja argumentação se fundamenta sobretudo na correspondência do poeta, e num testemunho, a proposta de revolucionar a leitura de Baudelaire passa por um exame detalhado da correspondência do autor e da formação daquela narrativa de vida. Nesse sentido, a tradução comentada de cartas deve, se não abalar aquele discurso, ao menos oferecer outra vereda para sua recepção biográfica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BAUDELAIRE, Charles. Correspondance I. – Paris : Gallimard, 1973.
JUNQUEIRA, Ivan. A arte de Baudelaire. In: BAUDELAIRE, Charles. Poesia e Prosa. Edição organizada por Ivo Barroso. Rio de Janeiro: Editora Nova Aguilar, 1995.
Publicado
2018-05-18
Como Citar
Abes, G. (2018). Por uma nova leitura da vida de Baudelaire. Revista XIX, 2(5), 227-233. Recuperado de http://periodicos.unb.br/index.php/revistaXIX/article/view/21838

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##