A CONSTRUÇÃO IDENTITÁRIA DOS ADOLESCENTES POBRES DE PERIFERIA NA ERA DA SOCIEDADE DE CONSUMO E DA INDÚSTRIA CULTURAL

  • Angela Maria Pires Caniato
  • Mônica Salci Palelasso
  • Naira Valdelaine Balduino
Palavras-chave: identidade, adolescentes pobres, consumo, indústria cultural

Resumo

O presente trabalho é decorrente do Projeto de Pesquisa Intervenção “Phenix – a ousadia do renascimento do indivíduo-sujeito – fase IV”, vinculado a Universidade Estadual de Maringá. As teorizações aqui realizadas partiram de encontros realizados entre graduandos e pós-graduandos de psicologia com adolescentes pauperizados de uma escola pública localizada na periferia de Maringá-PR, cujo foco foi propiciar uma reflexão crítica acerca do cotidiano desses adolescentes a partir de Psicanálise e de pressupostos da Teoria Crítica de Adorno. A princípio serão apresentadas nesse trabalho algumas considerações sobre os processos de identificação, adesão e reprodução de discursos totalizantes relacionados a ideias meritocráticas e patriarcalistas que foram discutidas com os adolescentes, com o intuito de desmistificar alguns modelos pré-formatados de família, de homem e de mulher impostos na sociedade contemporânea. Na sequência, serão realizadas breves considerações sobre as especificidades do adolescer dentro de um contexto pauperizado e significativamente marcado pelos imperativos do consumo, via indústria cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADORNO, T.L. W. Educação e Emancipação. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1976.

ADORNO, Theodor Ludwig Wiesengrund e HORKHEIMER, Max. Dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro: Zahar, 1995.

ARPINI, D. M. Adolescência, situação de risco e violência. In: Violência e exclusão: adolescência em grupos populares. Bauru: EDUSC, 2003.

CANIATO, A. M. P. Preconceito e sua internalização subjetiva: poderosa força de exclusão social e destruição psíquica. Arquivos Brasileiros de Psicologia, Rio de Janeiro, v.60, n.2, 2008.

CANIATO, A. M. P.; RODRIGUES, S. M. Subjetividade e indústria cultural: uma leitura psicanalítica da cumplicidade dos indivíduoscom a lógica da mercadoria. Psicologia em Revista, Belo Horizonte, v. 18, n. 2, p. 227-246, 2012.

CARONE, I. Preconceito e discriminação racial. Psicologia em Revista, Belo Horinzonte, v.13, n.1, p. 41-68, 2007.

CHAUI, M. Democracia e sociedade autoritária. Goiás: Universidade Federal de Goiás, 2012. Disponível em: <https://www.revistas.ufg.br/ci/article/view/24574/14151>. Data de acesso: 13/11/2016.

COIMBRA, C. M. B.; NASCIMENTO, M. L. Ser jovem, ser pobre é ser perigoso”. Rio de Janeiro: Universidade Federal Fluminense, 2005. Disponível em: . Data de acesso: 25/06/2016.

FREUD, S. Psicologia das Massas e Análise do Eu e outros trabalhos. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

FREUD, S. O Mal-Estar na civilização, novas conferências introdutórias à psicanálise e outros textos. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

ROSA, ROSA, M. D.; DOMINGUES, E. O método na pesquisa psicanalítica de fenômenos sociais e políticos: a utilização da entrevista e da observação. Rio Grande do Sul: Psicologia & Sociedade; v. 22, p. 180-188, 2010.

RUFFINO, R. Mundo moderno e cena juvenil. In: Anais do I Simpósio Internacional do Adolescente, 2005.

SEVERIANO, M. F. Lógica do mercado” e “lógica do desejo”: reflexões críticas sobre a sociedade de consumo contemporânea a partir da escola de Frankfurt. In: Escola de Frankfurt: inquietudes da razão e da emoção. SOARES, J. C. (Org.). Rio de Janeiro: EdUERJ, p.121-141, 2010.

Publicado
2018-12-21
Seção
Dossiê: "Teoria Crítica e Educação na atualidade: olhares plurais"