PRECARIEDADE NO TELETRABALHO: GESTÃO DE ADOECIMENTO

  • Leandro Henrique Costa Bezerra Universidade de Brasília
Palavras-chave: Teletrabalho, Adoecimento, Desconexão, Poder gerencial

Resumo

A Lei no 13.467/17 – intitulada “reforma trabalhista” – surge no contexto de profunda crise econômica no Brasil e esgotamento da política da nova República. Sob justificativa de geração de empregos em plena recessão, foi regulamentado um novo modelo de organização laboral: o teletrabalho. Neste artigo, será abordado a normalização do adoecimento em razão de abusos do poder gerencial no teletrabalho, além de implicações sobre o direito a desconexão neste regime.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro Henrique Costa Bezerra, Universidade de Brasília

Advogado. Aluno especial da disciplina “Tópicos especiais em Direito do Trabalho” do Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade de Brasília (PPGD/UnB). Membro do Grupo de Pesquisa “Trabalho, Constituição e Cidadania” da Universidade de Brasília (UnB). Pós-graduado em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho pelo Instituto de Direito Público (IDP). Bacharel em Direito pela Universidade de Brasília (UnB).

Publicado
2019-01-29
Como Citar
Bezerra, L. H. (2019). PRECARIEDADE NO TELETRABALHO: GESTÃO DE ADOECIMENTO. Revista Dos Estudantes De Direito Da UnB, (15), 119 - 129. Recuperado de http://periodicos.unb.br/index.php/redunb/article/view/22380