O EMPREENDEDORISMO JÚNIOR COMO FERRAMENTA DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL E IMPACTO NA COLETIVIDADE: UMA ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA DA ADVOCATTA

  • Elis Bandeira Alencar Brayner Universidade de Brasília
  • Gabriel de Araújo Oliveira Universidade de Brasília
  • Gabriela Ozanam Araujo da Silveira Universidade de Brasília
  • Gabriela Romeiro Tito de Morais Universidade de Brasília
  • Luana Graziela Alves Fernandes Universidade de Brasília
  • Matheus de Souza Depieri Universidade de Brasília
Palavras-chave: Empresa Júnior. Inovação. Empreendedorismo. Direito. Direito e Empreendedorismo.

Resumo

Face a um mercado cada vez mais competitivo, as Empresas Juniores destacam-se dia após dia como uma das iniciativas universitárias mais completas, em que se busca a ampla formação profissional aliada à transformação social. Hoje, o Movimento Empresa Júnior brasileiro (MEJ), representado pela Confederação Brasileira de Empresas Juniores (Brasil Júnior), assume proporções significativas, contando com 25 federações e mais de 570 empresas juniores. Diante disso, a partir da experiência empreendedora, vivenciada por estudantes universitários por meio do MEJ, objetivou-se analisar e compreender como estão estruturadas essas Empresas, como funcionam e quais são os impactos que trazem para a sociedade e para os agentes envolvidos, tendo como enfoque a realidade da Advocatta – Empresa Júnior de Direito da Universidade de Brasília.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BASTOS, Aurélio Wander. O Ensino Jurídico no Brasil e as suas personalidades

históricas - Uma recuperação de seu passado para reconhecer seu futuro. In: Conselho

Federal da Ordem dos Advogados do Brasil. Ensino Jurídico OAB, 170 anos de Cursos

Jurídicos do Brasil. Brasília: 1997, p. 345.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília,

DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 2014, 480 p.

BRASIL. Lei n. 13.267, de 6 de abril de 2016. Disponível em:

<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/lei/L13267.htm>. Acesso em: 20

maio. 2018

BRASIL JÚNIOR (2008). Conceito Nacional de Empresa Júnior. Disponível em:

<https://www.brasiljunior.org.br/uploads/cms/institutional/file/file/5/CNEJ.pdf> Acesso em:

maio. 2018.

BRASIL JÚNIOR (2015). DNA Júnior. Disponível em:

<http://www.inscricao.codejr.com.br/doc/DNAJunior_LivroI_Conhecendo_o_MEJ.pdf>

Acesso em: 20 maio. 2018.

FELIX, Loussia Penha Musse. Competências no processo de formação do bacharel em

Direito: perspectivas para integração das demandas relativas ao estudante e às carreiras

jurídicas. In: Fundação Getúlio Vargas. Boletim Educação Jurídica. São Paulo: vol. 2, nº 2,

abr. – jun./2008, pp. 1 – 9.

GIL, Jorge. Empresa Júnior da UnB é destaque nacional. Disponível em:

<https://noticias.unb.br/publicacoes/112-extensao-e-comunidade/1293-empresa-junior-daunb-

e-destaque-nacional/>. Acesso em: 20 maio. 2018.

LEMOS, Paulo. Entrevista. Empresas Juniores dão nova face ao empreendedorismo. In:

CARNAÚBA, Valquíria. Entreteses. Universidade Federal de São Paulo: nº 8, jul./2017.

Disponível em: <http://www.unifesp.br/reitoria/dcik2/entreteses/item/2846-empresasjuniores-

dao-nova-face-ao-empreendedorismo>. Acesso em: 20 maio. 2018.

MAROCCO, André de Almeida. Ensino Jurídico no Brasil: desafios à formação do

profissional do direito no século XXI. 2011. 160 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de

Direito, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2011.

MORETTO NETO, Luis Moretto et al. Empresa Júnior: espaço de aprendizagem. Brusque:

, p. 40.

O GLOBO. Com 12 mil empresas juniores, Brasil é líder mundial no segmento.

Disponível em: <https://oglobo.globo.com/economia/com-12-mil-empresas-juniores-brasillider-

mundial-no-segmento-19869385/>. Acesso: 20 maio. 2018.

OLIVEIRA, Edson Marques. Empreendedorismo social e empresa júnior no brasil: o

emergir de novas estratégias para formação profissional. Paraná: 2005. Disponível em:

<http://www.ts.ucr.ac.cr/binarios/pela/pl-000523.pdf>. Acesso em: 20 maio. 2018.

PROJETO ALFA TUNING AMÉRICA LATINA. Reflexões e perspectivas do ensino

superior na América Latina. Relatório Final. Universidade de Deusto: 2007.

RAMOS, André Luiz Santa Cruz. Direito Empresarial Esquematizado. 3ª ed. São Paulo,

Método, 2013.

SILVA, Juliana Gonçalves Rodrigues da; ANDRADE, Antonio Rodrigues de. A empresa

júnior e sua contribuição para a formação do administrador. Associação Educacional

Dom Bosco: Rio de Janeiro, 2015.

Publicado
2018-09-28
Como Citar
Brayner, E. B., Oliveira, G., da Silveira, G., de Morais, G., Fernandes, L. G., & Depieri, M. (2018). O EMPREENDEDORISMO JÚNIOR COMO FERRAMENTA DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL E IMPACTO NA COLETIVIDADE: UMA ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA DA ADVOCATTA. Revista Dos Estudantes De Direito Da UnB, (14), 234 - 249. Recuperado de http://periodicos.unb.br/index.php/redunb/article/view/16572
Seção
Trabalhos e Relatórios de Atividades de Grupos de Pesquisa

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##