A CRÍTICA DE DARWIN AO ARGUMENTO TELEOLÓGICO DE PALEY

  • MAXWELL MORAIS DE LIMA FILHO Universidade Federal de Alagoas
Palavras-chave: Argumento Teleológico, Teologia Natural, William Paley, Evolução Biológica, Charles Darwin

Resumo

Apresentarei dois modos distintos de explicar o desenho e a complexidade biológica, a primeira delas invoca um Deus pessoal onipotente, onisciente, onipresente, eterno e sumamente bom (seção 2), enquanto a outra explicação prescinde de um Planejador sobrenatural e se baseia tão somente em um processo cego sem qualquer tipo de antevisão (seção 3). Pretendo mostrar que essa última explica adequadamente a complexa estrutura biológica do olho ao mesmo tempo em que demonstro que não há qualquer evidência de planejamento inteligente desse órgão (seção 4).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BIZZO, Nelio. Darwin e o Fim da Adaptação Perfeita dos Seres Vivos: A Superação da Visão Teológica de Paley e o Princípio da Divergência. In: MARTINS, Lilian; PRESTES, Maria Elice; STEFANO, Waldir; MARTINS, Roberto (Orgs.). Filosofia e História da Biologia 2. São Paulo: Mack Pesquisa/Livraria da Física, 2007.

BROOKE, John Hedley. Darwin and Victorian Christianity. In: HODGE, Jonathan; RADICK, Gregory (Eds.). The Cambridge Companion to Darwin. Cambridge: Cambridge University Press, 2003.

BURKHARDT, Frederick; EVANS, Samantha; PEARN, Alison (Orgs.). A Evolução: Cartas Seletas de Charles Darwin, 1860-1870. Tradução de Alzira Vieira Allegro. São Paulo: Editora UNESP, 2009.

CAPONI, Gustavo. Definitivamente no Estaba Ahí: La Ausencia de la Teoría de la Selección Natural em Sobre la Tendencia de las Variedades a Apartarse Indefinidamente del Tipo Original de Alfred Russel Wallace. Ludus Vitalis, v. 17, n. 32, 2009a, p. 55-73.

_______. Sobre la Génesis, Estructura y Recepción de El Origen de las Especies. Scientiae Studia, v. 7, n. 3, jul/set, 2009b, p. 403-24.

_______. Las Raíces del Programa Adaptacionista. Scientiae Studia, v. 9, n. 4, out/dez, 2011, p. 705-38.

_______. Função e Desenho na Biologia Contemporânea. São Paulo: Associação Filosófica Scientiae Studia/Editora 34, 2012.

CORETH, Emerich. Deus no Pensamento Filosófico. Tradução de Francisco de Ambrosis Pinheiro Machado. São Paulo: Edições Loyola, 2009.

DARWIN, Charles. Autobiografia, 1809-1882 (com notas de Francis Darwin). Tradução de Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Contraponto, 2000.

_______. On the Origin of Species by Means of Natural Selection, or the Preservation of Favoured Races in the Struggle for Life. In: WILSON, Edward Osborne (Editor and Introduction). From so Simple a Beginning: The Four Great Books of Charles Darwin. New York: W. W. Norton & Company, 2006.

DAWKINS, Richard. A Escalada do Monte Improvável: Uma Defesa da Teoria da Evolução.Tradução de Suzana Sturlini Couto. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

_______. O Relojoeiro Cego: A Teoria da Evolução contra o Desígnio Divino. Tradução de Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

_______. Deus, um Delírio. Tradução de Fernanda Ravagnani. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

DENNETT, Daniel. A Perigosa Ideia de Darwin: A Evolução e os Significados da Vida. Tradução de Talita M. Rodrigues. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

_______. Atheism and Evolution. In: MARTIN, Michael (Ed.). The Cambridge Companion to Atheism. Cambridge: Cambridge University Press, 2007.

EDDY, Matthew; KNIGHT, David. Introduction. In: PALEY, William. Natural Theology. Oxford University Press, 2006.

GARRETT, Brian. Metafísica: Conceitos-Chave em Filosofia. Tradução de Felipe Rangel Elizalde. Porto Alegre: Artmed, 2008.

GOULD, Stephen Jay. Darwin e Paley encontram a Mão Invisível. In: _______. Dedo Mindinho e seus Vizinhos: Ensaios de História Natural. Tradução de Sergio Flaksman. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

_______. The Structure of Evolutionary Theory. Cambridge, MA: Belknap Press, 2002.

HUME, David. Diálogos sobre a Religião Natural [Partes 5 e 8]. In: SMITH, Plínio Junqueira; PIVA, Paulo Jonas de Lima (Orgs.). Dez Provas da Inexistência de Deus. Tradução de Plínio Junqueira Smith. São Paulo: Alameda, 2012.

MAYR, Ernst. Biologia, Ciência Única: Reflexões sobre a Autonomia de uma Disciplina Científica. Tradução de Marcelo Leite. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

McGRATH, Alister. Fundamentos do Diálogo entre Ciência e Religião. Tradução de Jaci Maraschin. São Paulo: Edições Loyola, 2005a.

_______. Teologia Sistemática, Histórica e Filosófica: Uma Introdução à Teologia Cristã. Tradução de Marisa de Siqueira Lopes. São Paulo: Shedd Publicações, 2005b.

_______. Darwinism and the Divine: Evolutionary Thought and the Natural Theology. Oxford: Wiley-Blackwell, 2011.

OLDING, Alan. Modern Biology and Natural Theology. London: Routledge, 1991.

PALEY, William. Natural Theology: or, Evidence of the Existence and Attributes of Deity, Collected from the Appearances of Nature. EDDY, Matthew; KNIGHT, David (Editors, Introduction and Notes). Oxford: Oxford University Press, 2006.

PORTUGAL, Agnaldo Cuoco. Argumentos sobre a Existência de Deus [verbete]. In: BRANQUINHO, João; MURCHO, Desidério; GOMES, Nelson (Eds.). Enciclopédia de Termos Lógico-Filosóficos. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

WATERS, Kenneth. The Arguments in the Origin of Species. In: HODGE, Jonathan; RADICK, Gregory (Eds.). The Cambridge Companion to Darwin. Cambridge: Cambridge University Press, 2003.

Publicado
2018-08-09
Como Citar
DE LIMA FILHOM. M. (2018). A CRÍTICA DE DARWIN AO ARGUMENTO TELEOLÓGICO DE PALEY. Revista Brasileira De Filosofia Da Religião, 4(2), 152 - 170. Recuperado de http://periodicos.unb.br/index.php/rbfr/article/view/11195