Análise de protoestrelas com dados observacionais abertos

Hugo Ataides Gomes, Ivan Soares Ferreira

Resumo


O estudo de regiões densas do meio interestelar é importante, pois são nessas regiões em que nascem as estrelas. Estas regiões são chamadas de nuvens moleculares e são frias, o que torna necessária sua observaçãoo na faixa do infravermelho ou microondas. Telescópios espaciais disponibilizam livremente os dados de suas observações, tal como o Telescópio Espacial Herschel, que observa na faixa do Infravermelho Distante (FIR, do inglês Far Infrared, 25-350 µm). Discutimos aqui como ter acesso a esses dados e tamb´em algumas funcionalidades para se analisar imagens de objetos estelares.


Texto completo:

PDF

Referências


W. J. Maciel, Introdução à Estrutura e Evolução Estelar. Editora da Universidade de São Paulo, 1999.

G. L. Pilbratt et al, Herschel Space Observatory: An ESA facility for far-infrared and submillimetre astronomy. A&A, 518 L1, 2010.

D. N. Müller, E. L. Daronco, Operações aritméticas em imagens. UFRGS, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Ivan Soares Ferreira, Hugo Ataides Gomes

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

ISSN 2446-564X

Licença Creative CommonsPhysicae Organum é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0.