O significado das relações Sul-Sul para a diplomacia brasileira: a obra de Adolpho Justo Bezerra de Menezes e o pensamento brasileiro sobre o Sul Global

  • Dhiego de Moura Mapa Fundação Getúlio Vargas
Palavras-chave: Cooperação Sul-Sul. Adolpho Justo Bezerra de Menezes. Política Externa Brasileira.

Resumo

Este pequeno ensaio analítico procura delinear o conteúdo substantivo que a cooperação Sul-Sul (enquanto conceito e forma de atuação internacional) possui para a política externa brasileira (PEB). Tal proposta se efetua em um duplo movimento. De um lado, busca-se compreender a correlação existente entre as críticas às assimetrias da globalização e a emergência do discurso de valorização da cooperação Sul-Sul. Por outro lado, em breve apreciação histórica, procura-se mapear as bases em que se assentam a percepção diplomática brasileira acerca da importância do diálogo e interação engajada com o Sul Global e suas demandas. Neste caso, a leitura da obra do diplomata Adolpho Justo Bezerra de Menezes permite delimitar a base epistemológica dos argumentos favoráveis à política Sul-Sul, por parte da diplomacia brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dhiego de Moura Mapa, Fundação Getúlio Vargas

Licenciado e bacharel em História pela UERJ, mestre em Relações Internacionais
pelo PGRI/UERJ e doutorando em História, Política e Bens Culturais pelo
PPHPBC/CPDOC/FGV.

Referências

BOURDIEU, Pierre. 2001. Razões práticas. Sobre teoria e ação. Campinas: Papirus.
CASTRO, Flávio M. de O. 1983. História da Organização do Ministério das Relações Exteriores. Brasília: Ed. UnB.
CERVO, Amado L. 2007. O final do século XX e o início do XXI: dificuldade para construção de uma ordem global. In: SARAIVA, José Flávio Sombra (org.). História das relações internacionais: da sociedade internacional do século XIX à era da globalização. São Paulo: Saraiva, p. 315-340.
DANTAS, San Tiago. 1962. Política Externa Independente. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.
DINIZ, Eli. 2007. O pós-Consenso de Washington: globalização, Estado e governabilidade reexaminados. In: DINI, Eli (org.). Globalização, Estado e desenvolvimento: dilemas do Brasil no novo milênio. Rio de Janeiro: FGV, p. 19- 61.
FIGUEIREDO, Eurico de Lima. 2004. Globalização, neoliberalismo e a estratégia do poder: os jogos não estão feitos. In: SANTOS, Theotonio dos (coord.). Globalização – dimensões e alternativas: hegemonia e contra-hegemonia (vol. 2). RJ: Ed. PUC-Rio, p. 243-261.
FONSECA JR., Gelson. 1989. Estudos sobre a Política Externa do Brasil: os
tempos recentes (1950-1980). In: FONSECA JR., Gelson; LEÃO, Vasco Carneiro. Temas da Política Externa Brasileira. Brasília, FUNAG/IPRI, p. 275-283.
GONÇALVES, Williams da Silva. 2003. O realismo da fraternidade: BrasilPortugal. Portugal/Lisboa: ICS.
GONÇALVES, Williams da Silva. 2000. Sobre a política externa do Brasil. In: LUCAS, Fábio; BELUZZO, Luiz Gonzaga (org.). A Guerra do Brasil: a reconquista do Estado brasileiro: um conjunto de propostas para inserir o Brasil na luta contra o sistema mundial de dominação. São Paulo: Textonovo, p. 214-216.
HIRST, Mônica. 1996. A política externa do segundo governo Vargas. In:
ALBUQUERQUE, José Augusto Guilhon (org.). Sessenta anos de política externa brasileira (1930-1990): volume I: crescimento, modernização e política externa. São Paulo: Cultura editores associados, p. 211-229.
JARDIM, Marcelo G. 2005. História dos conceitos e teoria política e social: referências preliminares, Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 20, nº 57, p. 27-38, Fev.
KENNEDY, Paul. 1989. Ascensão e queda das grandes potências: transformação econômica e conflito militar de 1500 a 2000. Rio de Janeiro: Campus.
KISSINGER, Henry. 1997. Diplomacia. Rio de Janeiro: Francisco Alves Editora.
KOCHER, Bernardo. 2008. O Brasil no Terceiro Mundo: Análise da Política Externa Brasileira entre 1955 e 1964. Anais do XIII Encontro de História da ANPUH-Rio – Identidades, Rio de Janeiro, Agosto. Disponível em: http://encontro2008.rj.anpuh.org/site/anaiscomplementares. Acesso em: 03 abr. 2011.
LEITE, Patrícia Soares. 2011. O Brasil e a cooperação Sul-Sul em três momentos: os governos Jânio Quadros/João Goulart, Ernesto Geisel e Luiz Inácio Lula da Silva. Brasilia: Funag.
LIMA, Maria Regina Soares de. 2005. A política externa brasileira e os desafios da cooperação Sul-Sul. Revista Brasileira de Política Internacional, vol. 48, nº 01, p. 24-59.
MENEZES, Adolpho Justo Bezerra de. 1961. Ásia, África e a política Independente do Brasil. Rio de Janeiro: Zahar Ed.
MENEZES, Adolpho Justo Bezerra de. 1997. Livro I: um diplomata no Oriente. Rio de Janeiro: Ed. Ágora.
MENEZES, Adolpho Justo Bezerra de. 1997. Livro II: Brasil – subida ou descida para o século XXI (artigos publicados na imprensa). Rio de Janeiro: Ed. Ágora.
MENEZES, Adolpho Justo Bezerra de. 1960. O Brasil e o mundo Ásio-Africano. Rio de Janeiro: GRD.
MENEZES, Adolpho Justo Bezerra de. 2012. O Brasil e o mundo ásio-africano. Brasília: FUNAG.
MENEZES, Adolpho Justo Bezerra de. 1963. Subdesenvolvimento e Política Internacional. Rio de Janeiro: GRD.
MOURA, Gerson. 1991. “Avanços e recuos: a política exterior de JK”. In: GOMES, A. de C. (org.), O Brasil de JK. Rio de Janeiro: Editora FGV.
PENNA FILHO, Pio; LESSA, Antônio Carlos. 2007. “O Itamaraty e a África: as origens da política africana do Brasil”. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 39, p. 57-81.
PINHEIRO, Letícia. 2004. Política Externa Brasileira (1889-2002). Rio de Janeiro: Zahar.
POCOCK, John. 2003. Linguagens do ideário político. São Paulo: Edusp.
PORTELLA, Annamaria A. M. 2006. “Olhar pioneiro aos novos mercados”, Boletim da Associação dos Diplomatas Brasileiros, seção “Homenagem”, ano XII, nº 54, p. 05, jul-set. Disponível em: www.adb.org.br/boletim/ADB-54.pdf Acesso em: 03 jun. 2014.
SANTOS, Boaventura de Sousa. 1995. Toward a New Common Sense: Law, Science and Politics in the Paradigmatic Transition. New York: Routledge.
SARAIVA, Miriam Gomes. 2007. As estratégias de cooperação Sul-Sul nos marcos da política externa brasileira de 1993 a 2007. Revista Brasileira de Política Internacional ano 50, n.2. Brasília, Ibri, p. 42-59. Disponível em: http://www.scielo.br. Acesso em: 03 abr. 2011.
SEGRERA, Francisco Lópes. 2003. Raízes, conseqüências e propostas alternativas à hegemonia unipolar e à globalização. In: SANTOS, Theotonio dos (coord.). Os impasses da globalização: hegemonia e contra-hegemonia (vol. 1). RJ: Ed. PUC-Rio, p. 123-172.
SILVA, Alexandra de Mello e. 1995. O Brasil no continente e no mundo: atores e imagens na política externa brasileira contemporânea. Estudos Históricos vol.8 n.15. Rio de Janeiro, p. 95-118.
SKINNER, Quentin. 1999. Liberdade antes do liberalismo. São Paulo: UNESP.
VIZENTINI, Paulo F. 2004. O descompasso entre as nações. Rio de Janeiro: Record.
VIZENTINI, Paulo F. 2005. De FHC a Lula: uma década de política externa (1995-2005). Civitas, vol. 05, nº 02. Porto Alegre, p. 381-397, jul-dez.
VIZENTINI, Paulo F. 1994. O Nacionalismo Desenvolvimentista e a Política Externa Independente. Revista Brasileira de Política Internacional, ano 37, n.1, Brasília, Ibri, p. 24-36, jan-jul. Disponível em http://ftp.unb.br/pub/UNB/ipr/rel/rbpi/1994/114.pdf. Acesso em: 03 abr. 2011.
Publicado
2016-11-06
Como Citar
MapaD. de M. (2016). O significado das relações Sul-Sul para a diplomacia brasileira: a obra de Adolpho Justo Bezerra de Menezes e o pensamento brasileiro sobre o Sul Global. Revista Perspectivas Do Desenvolvimento, 4(5). Recuperado de http://periodicos.unb.br/index.php/perspectivasdodesenvolvimento/article/view/18816
Seção
Artigos