O CORPO DANADO

Prof. Dr. Sérgio Rizo

Resumo


A representação do corpo humano tem sido um tema central na arte ocidental. Em consonância com esta tradição e desde os seus primórdios, o cristianismo utilizou um sistema de representações com base no corpo humano que enfatizou a relação problemática entre o corpo e a alma. A ambiguidade do corpo cristão dividido entre as forças do bem e do mal, premido entre o Paraíso e Inferno, deu origem a uma vasta produção de representações e metáforas relacionadas ao corpo humano na história das artes visuais e literárias. O foco principal deste artigo é a maneira pela qual os corpos nus dos condenados são representados e relacionados com os corpos demoníacos no tema maior do Juízo Final e da sua categoria dependente, ou seja, a do Inferno. Uma história das representações do corpo nas imagens do Inferno feita a partir de uma concepção teocêntrica e medieval do mundo, que concebeu um corpo miserável  em oposição à alma divina , e que vai ao humanismo contagioso da Renascença, quando as representações do corpo humano no Inferno , às vezes eróticas , eram de fato belas, devido à influência da Antiguidade e aos novos estudos sobre anatomia humana, elaborados pelos seus artistas.

Palavras-chave: Corpo Danado; Nudez; Anatomia; Juízo Final; Inferno; Arte Medieval e Renascentista.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18830/issn.1679-0944.n16.2016.11

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Prof. Dr. Sérgio Rizo

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN 1679-0944

Creative Commons License

Paranoá is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

 

Verificação Anti-plágio: