Avaliação das condições de conforto visual em edificação tombada com novo uso: estudo de caso do Casarão 2, Pelotas/RS

  • Mariana Estima Silva Universidade Federal de Pelotas
  • Saionara Vianna
  • Nirce Medvedovsky
  • Ariela Torres
  • Isabel Salamoni
Palavras-chave: Novos usos, Conforto lumínico, Usuários

Resumo

Estudos referentes à utilização de edificações históricas por novos usos são muito relevantes atualmente, visto que tratam de temas como economia de matéria-prima e conservação de legados culturais. O processo de retrofit resume-se em ações de restauro com inserção de um novo uso ao prédio. Este trabalho teve como objetivo analisar se as condições de conforto lumínico são satisfatórias em ambientes de uma edificação tombada, que passou por retrofit, em relação a seu novo uso, o de escritórios. A fim de alcançar o objetivo da pesquisa, foram escolhidos dois ambientes para estudo, com base em técnicas de walkthrough e levantamento de arquivo. Nesses ambientes foram realizadas medições lumínicas com luxímetros e aplicação de questionários com os usuários. A partir dos métodos quantitativos e qualitativos de pesquisa foi possível alcançar e comparar os resultados, que verificaram a não observância das condições de conforto lumínico durante maior parte do dia. Sendo assim, é possível dizer que para estes ambientes, o novo uso não satisfaz as condições de conforto visual dos usuários, ou seja, o processo de retrofit não atingiu seus objetivos por completo. Também é possível afirmar que o processo de conservação visou apenas a manutenção das características construtivas nestes ambientes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Estima Silva, Universidade Federal de Pelotas

Mestranda em Arquitetura e Urbanismo.

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 8995. Iluminação de ambientes de trabalho – Parte 1: Interior. Rio de Janeiro, 2013.

_______. NBR 15215. Iluminação natural – Parte 4: Verificação experimental das condições de iluminação interna de edificações – Método de medição. Rio de Janeiro, 2005.

AYKAL, D.; GÜMÜS, B.; ÜNVER, R.; MURT, O. An approach to evaluation of re-functioned historical buildings in view of natural lighting, a case study in Diyarbakir Turkey. In: Light and Engineering. v. 19. n. 2. p. 64-76. 2011.

BUSTAMANTE, W.; BUSTAMANTE, F.E; OTÁROLA, R.; PINO, A. Análisis de estratégias para confort térmico y lumínico de edificios em diferentes climas de la zona central del Chile. In: ARQ. n 82. p. 112-115. 2012.

CHOAY, F. A alegoria do patrimônio. São Paulo: UNESP, 2001.

GONÇALVES, J.C.S.; VIANNA, N.S.; MOURA, N.C.S. Iluminação natural e artificial. Rio de Janeiro: ELETROBRAS PROCEL, 2011.

GUERRA, S. O uso do patrimônio histórico (o caso do Paço Imperial). In: Cadernos PROARQ. ed. 10. p. 115 - 118. 2006.

GUGLIERMETTI, F.; BISEGNA, F. Integrazione luce naturale/ luce artificiale in âmbito industriale – Parte 2: Analisi delle possibili tecniche, componenti e regolazioni per l’illuminazione artificiale/ naturale. Roma, 2009.

HEIDTMANN, D.E.D. Novos usos para edificações de interesse histórico e cultural: lições da produção arquitetônica pelotense. 2007. Dissertação (Mestrado em Planejamento Urbano) – Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Santa Catarina.

INTERNATIONAL ENERGY AGENCY. Daylight in buildings. A source book on daylighting systems and components. IEA SHS Task 21 – ECBCS Annex 29, 2000. 262p.

KNOP, S. Comportamento termoenergético de edificação histórica com novo uso na cidade de Pelotas: o caso do casarão 02 – Secretaria Municipal da Cultura. 2012. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Pelotas.

MEIRA, A.L.G. O patrimônio histórico e artístico nacional no Rio Grande do Sul no século XX: atribuição de valores e critérios de intervenção. 2008. Tese (Doutorado em Planejamento Urbano Regional) – Programa de Pós-Graduação em Planejamento Urbano e Regional, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

PELOTAS. Prefeitura Municipal de Pelotas, Secretaria Municipal de Cultura. Programa de Recuperação do Centro Histórico de Pelotas. Projeto de Restauração da Casa 2. Plantas diversas. Pelotas, 2002.

PHILLIPS, D. Daylighting. Natural light in architecture. Architectural Press, Elsevier: 2004. 227p.

RABELLO, S. O Estado na preservação de bens culturais: o tombamento. Rio de Janeiro: IPHAN, 2009.

RHEINGANTZ, P.A.; AZEVEDO, G.A; BRASILEIRO, A.; ALCANTARA, D.; QUEIROZ, M. Observando a qualidade do lugar: procedimentos para avaliação pós-ocupação. Rio de Janeiro: PROARQ, 2009.

RITTER, V. M. Avaliação das condições de conforto térmico, lumínico e acústico no ambiente escolar, no período de inverno: O caso do câmpus Pelotas Visconde da Graça. 2014. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Pelotas.

SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA. Manual do usuário de imóveis inventariados. 1.ed. Pelotas: Nova Prova, 2008. 104p.
Seção
Tecnologia, Ambiente e Sustentabilidade