Os Filhos Enfermos de Goethe e Mann

A Bildung em “Os Anos de Aprendizado de Wilhelm Meister” e “A Montanha Mágica”

  • Kaio Felipe Universidade de Brasília
Palavras-chave: Humanismo;, Bildung Bildungsroman

Resumo

O propósito deste artigo é, por meio da comparação entre os romances “Os Anos de Aprendizado de Wilhelm Meister” (Goethe) e “A Montanha Mágica” (Thomas Mann), compreender de que maneira as trajetórias de Wilhelm e Hans Castorp, seus respectivos protagonistas, podem ser entendidas como representações da “Bildung” (auto-cultivo, formação). Além disso, pretende-se entender qual o papel de seus pedagogos nesse processo, e como as diferenças de contexto histórico explicam os contrastes – mas também semelhanças – de ideais dos personagens. Desta forma, pretendemos compreender qual foi a contribuição de ambos os escritores para se pensar a “Bildung”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kaio Felipe, Universidade de Brasília

8º semestre de graduação em Ciência Política (IPOL/UnB).

Referências

BRUFORD, Walter. “The German Tradition of Self-Cultivation: ‘Bildung’ from Humboldt to Thomas Mann”. Cambridge: Cambridge University Press, 1975.

CALDAS, Pedro. “Thomas Mann, leitor de Goethe: O fardo da naturalidade em Viagem à Itália e Morte em Veneza”. IN: Viso – Cadernos de Estética Aplicada. 2007.

______________ “Imagens da Espera: um ensaio sobre as representações da morte em Thomas Mann”. IN: Matraga. Rio de Janeiro, v. 13, n. 18, 2006.

DAYAN-HERZBRUN, Sonia. “Thomas Mann: um escritor contra o nazismo”. Trans/Form/Ação, vol. 20, 1997.

DUMONT, Louis. “German Ideology: from France to Germany and back”. Chicago: University of Chicago, 1994.

FONTANELLA, Marco Antonio Rassolin. “A Montanha Mágica como Bildungsroman”. Campinas, 2000.

GOETHE, Johann Wolfgang von. “Os Anos de Aprendizado de Wilhelm Meister” (posfácio de Georg Lukács). São Paulo: Editora 34, 2006.

___________________________ “Goethe e Schiller: Companheiros de Viagem” (apresentação, tradução, seleção e notas: Claudia Cavalcanti). São Paulo: Nova Alexandria, 1993.

HAMILTON, Nigel. “Os Irmãos Mann: as vidas de Heinrich e Thomas Mann”. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

HUMBOLDT, Wilhelm von. “Os Limites da Ação do Estado”. Rio de Janeiro: Topbooks, 2004.

KAUFMANN, Fritz. “Thomas Mann: The World As Will And Representation”. Nova York: Cooper Square, 1973.

MAAS, Wilma Patrícia Marzari Dinardo. “O cânone mínimo: o Bildungsroman na história da literatura”. São Paulo: Editora UNESP, 2000.

MANN, Thomas. “A Montanha Mágica”. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2000._____________ “Consideraciones de un Apolítico”. Barcelona: Grijalbo, 1978.

ROSENFELD, Anatol. “Thomas Mann”. São Paulo: Perspectiva, 1994.

SCHILLER, Friedrich von. “A Educação Estética do Homem”. São Paulo: Iluminuras, 2002.
Publicado
2012-06-27
Edição
Seção
Artigos