A política pública de Economia Solidária pelas mãos de seus trabalhadores

  • Nelsa Inês Fabian Nespolo
Palavras-chave: Economia solidária; Políticas públicas; Democracia

Resumo

A verdadeira democracia precisa de políticas publica de acesso de oportunidades iguais a todo seu povo. O que é política publica senão a forma como será investido ou reinvestido o recurso publico? Ter a clareza que este recurso é gerado pelo povo que contribui no pagamento de impostos embutido em tudo o que consome, e que não é o empresário que paga os impostos mas o cidadão no consumo de bens e serviços, significa entender que tudo é do povo. Que elegemos pessoas para representar este povo e para fazer a gestão deste recurso gerado e outras elegemos para fazer leis que respaldam para onde ir este recurso. A soma disso resulta em política publica de Estado e de Governo. Longe desta clareza, os grandes meios de comunicação e o processo tradicional de educação aliena a maioria da população que se nega a uma participação ativa da política pública. Esta consciência tão necessária é que nos fará elegermos representantes comprometidos, para fazer a boa gestão e para criar as leis que respaldam e radicalizem na construção de uma sociedade justa, sem ricos e sem pobres, mas de cidadãos com igualdade de direitos e de deveres. A economia solidaria dá passos com governos populares, quando coloca trabalhadores do meio, mas a continuidade destas políticas com a troca de governos é totalmente dizimada, fica muita resistência na organização e muita luta, a luta, e sempre a luta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nelsa Inês Fabian Nespolo

Costureira, diretora presidente da Cooperativa Central. Justa Trama, desde a fundação e vice-presidente da Unisol Brasil. Período de 2015 a 2018. 2011 a 2014 diretora de Economia Solidária do Governo Tarso no Estado do RS. 

Publicado
2017-10-26
Como Citar
NespoloN. I. F. (2017). A política pública de Economia Solidária pelas mãos de seus trabalhadores. Mundo Do Trabalho Contemporâneo, 2(2), 399-419. Recuperado de http://periodicos.unb.br/index.php/mtc/article/view/7207
Seção
Reflexões sobre a prática

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##