Notas sobre a voz causativa-comitativa em Kaiowá e Guajajára

  • Rosileide Barbosa de Carvalho Universidade de Brasília
  • Marina Cintia da Silva Guajajára Universidade de Brasília
Palavras-chave: Guajajára. Kaiowá. Tupí-Guaraní. Voz. Causativo-comitativo. Alomorfia

Resumo

Focaliza-se a expressão da voz causativa-comitativa em Kaiowá e em Guajajára, uma das cinco expressões de voz típicas da família Tupí-Guaraní. A análise da voz causativa-comitativa nessas duas línguas foi inspirada em Rodrigues (1953), o linguista que descreveu pela primeira vez e apropriadamente a função do morfema cognato em uma língua Tupí-Guaraní, o Tupinambá. No presente estudo, mostramos que o morfema causativo-comitativo em Kaiowá e em Guajajára possui mais alomorfes do que o reportado até o presente nos estudos sobre essas duas línguas. Como descrito em Barbosa (2017), o morfema causativo-comitativo em Kaiowá possui 11 alomorfes: ero-, ro-, no-, era-, ra-, er-, r-, gwer-, gwero-, gwera-, gweno-; já o causativo-comitativo em Guajajára possui 9 alomorfes: eru-, ru-, enu-, era-, ra-, er-, r-, wera-, weru-. A alomorfia do morfema causativo Kaiowá e do Guajajára deve ser considerada na documentação e descrição linguística que se quer voltada para o fortalecimento do uso dessas línguas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosileide Barbosa de Carvalho, Universidade de Brasília

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade de Brasília.

Marina Cintia da Silva Guajajára, Universidade de Brasília

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade de Brasília.

Referências

Cardoso, V. Aspectos Morfossintáticos da Língua Kaiowá (Guarani). Tese de Doutorado. Campinas, SP: Unicamp. 2008.

Castro, Ricardo Campos. O epifenômeno da alternância de valência na língua Tenetehára (Tupí-Guaraní). Revista da ANPOLL, n. 34, p. 347-391, jan./jun. 2013.

Halle, Morris; Marantz, Alec. Distributed Morphology and the Pieces of Inflection. In:

Hale, Kenneth; Keyser, Samuel Jay. 1993. The View from Building 20. Cambridge: MIT Press, p. 111-176.

Harley, Heidi; Noyer, Rolf. Distributed morphology. Glot International, v. 4, n. 4, p. 3-9, 1999.

Harley, Heidi & Rolf Noyer. 1998. Mixed nominalizations, short verb movement, and object shift in English. Proceedings of NELS 28, edited by Pius N. Tamanji and Kiyomo

Kusumoto, 143-157. Amherst: GLSA, University of Massachusetts, Amherst.

Harrison, Carl; Harrison, Carole. 2013. Associação Internacional de Linguística SIL – Brasil Anápolis – GO.

Mejia, Blanca Flor Demenjour Munoz. 2017. Verbos em Kaiowá: uma descrição morfológica. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal da Grande Dourados.

Camargos, Q. F. 2017. Aplicativização, causativização e nominalização: uma análise unificada de estruturas argumentais em Tenetehára-Guajajára (Família Tupí-Guaraní). Tese de Doutorado, Universidade Federal de Minas Gerais.

Rodrigues, Aryon D. Morfologia do verbo tupi. Letras 1:121-152. Curitiba, 1953.

Rodrigues, Aryon D. 1985. Relações internas na família lingüística Tupí-Guaraní. Revista de Antropologia, 27/28:33-53. São Paulo.

Publicado
2018-12-20
Seção
Artigos