Aspectos sociolinguísticos do ensino e do uso da língua Sabanê na aldeia Sowaintê, da Terra Indígena Parque do Aripuanã - RO. Relatório de pesquisa

  • Fábio Pereira Couto Universidade Federal de Rondônia
  • Ivonete Sabanês Secretaria de Educação do Estado de Rondônia
Palavras-chave: Língua Sabanê. Sociolinguística. Revitalização. Educação Escolar Indígena

Resumo

O presente trabalho reúne resultados de uma pesquisa de abordagem sociolinguística que demostra a atual situação do uso e do ensino da língua Sabanê, na aldeia Sowaintê. Os dados para pesquisa foram registrados em várias viagens a campo realizadas nos anos de 2016 e 2017 e revelam que a língua Sabanê se encontra em sério risco de extinção, contando com poucos falantes nativos, sendo que na comunidade foco de nossa investigação, só há dois falantes. Além disso, a língua praticamente não é ensinada na escola, mesmo com o esforço de alguns professores Sabanê em promover o ensino de sua língua nativa. O estudo foi desenvolvido à luz de Dorian (1989) “Investigating obsolescence: studies in language contraction and death”, e em Thomason (2015) “Endangered languages. An introduction.” Consideramos, também, os estudos de Braga e Telles (2014) e de Telles (2002) sobre as línguas da família Nambikwára. Os resultados do estudo mostram o estado avançado de redução de falantes do Sabanê e a urgência da implementação de uma política linguística que possa dar suporte linguístico e pedagógico à revitalização dessa língua.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Pereira Couto, Universidade Federal de Rondônia

Professor da Universidade Federal de Rondônia. Coordenador do Laboratório de Línguas e Culturas Indígenas da Unir de Ji-Paraná.

Ivonete Sabanês, Secretaria de Educação do Estado de Rondônia

Professora indígena Sabanê da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Sabanê da aldeia Sowaintê.

Referências

Araújo, G. A. de. 2004. A Grammar of Sabanê, a Nambikwaran Language. Utrecht: LOT.

Braga, A. G.; Telles, Stella. 2014. O comportamento do traço laringal em línguas Nambikwára do Norte: comparação entre o Latundê e o Negarotê. Universidade Federal do Rio de Janeiro: Linguística, vol. 10, n. 2.

Brasil. Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. 1998. Referencial Curricular Nacional para as Escolas Indígenas. Brasília: MEC/SEF.

D’Ángelis, W.; Veiga, J. (Orgs.). 1997. Leitura e Escrita em escolas indígenas. Campinas/São Paulo: ALB/Mercado das Letras.

______. 2012. Aprisionando sonhos: a educação escolar indígena no Brasil. Campinas, SP: Curt Nimuendajú.

Dorian, Nancy C. 1989. Investigating Obsolescence: studies in language contraction and death. Cambridge: Cambridge University Press.

Gil, A. C.. 2008. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas.

Monserrat, R. M. F. 2006. Política e Planejamento Linguístico nas sociedades indígenas do Brasil hoje: o espaço e o futuro das línguas indígenas. In: Formação de professores indígenas: repensando trajetórias. Luís Donisete Benzi Grupioni (Org.). Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, p. 131-154.

Projeto Político Pedagógico Da Escola Indígena De Ensino Fundamental E Médio Sowaintê. 2014.Vilhena – RO: SEDUC.

Price, P. D.. 1978. The Nambiquara linguistic family. In: Anthropological Linguistics, vol. 20, n. 1, p. 14-37.

Reesink, E.. 2015. Os Sabanê e os povos do Nambikwara do Norte: etno-histórias das ruínas da história e de recriações tardias. Campo Grande, MS: Tellus, ano 15, n. 29, p. 113-133, jul./dez.

Rodrigues, Aryon Dall’Igna. 2002. Línguas Brasileiras: para o conhecimento das línguas indígenas. 4. Ed. São Paulo: Loyola.

Sabanês, Ivonete. 2016. A atual situação do ensino e do uso da língua Sabanê na escola e na comunidade da aldeia Sowaintê: uma investigação sociolinguística para revitalização da língua tradicional indígena. [Trabalho de Conclusão de Curso]. Ji-Paraná, RO: Unir, p. 110.

Tarallo, F. 1985. A pesquisa sociolinguística. São Paulo: Ática.

Thomason, S. G. 2015. Endangered Languages. an Introduction. Cambridge Textbooks in Linguistcis. United Kingdom: Cambridge University Press.

Telles, Stella. 2002. Fonologia e Gramática Latundê/Lakondê. Tese (Doutorado em Letras). Amsterdam: Vrije Universiteit Amsterdam.

Publicado
2018-12-20
Seção
Artigos