A LEITURA DE SI EM MEMORIAIS DE FORMAÇÃO E A ESCRITA AUTORAL COMO EXPERIÊNCIA: NARRATIVAS AUTOBIOGRÁFICAS DE PROFESSORES DA SEEDF

  • Cristiane de Assis Portela UnB/ SEEDF

Resumo

Consiste na leitura crítica de oito (08) textos memoriais de formação, produzidos por professores da SEDF no contexto do Curso de Formação Continuada Mulheres Inspiradoras, na Etapa 2017 desta política pública. O texto se estrutura em três partes: a. Territórios conceituais: Sobre pesquisa auto(biográfica) e memoriais de formação; b. A leitura de si: Quem sou quando me leio?e; c. Escolhas enunciativas, vivências e experiências: Quais são os temas que me atravessam? Os resultados possibilitam compreender como se apresentam os docentes autobiografados, quais são os temas recorrentes em suas narrativas, suas escolhas enunciativas e sentidos conferidos às suas próprias trajetórias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRAHÃO, Maria Helena M. B. “Memória, narrativas e pesquisa autobiográfica” in Revista História da Educação v. 7, n. 14. Porto Alegre, RS: UFRGS, 2003.

BAKHTIN, M. “O autor e a personagem” in Estética da criação verbal. Tradução de Maria Ermantina Galvão G. Pereira. 4. ed., São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BIDIMA, Jean-Godefroy. “Da travessia: contar experiências, partilhar o sentido”. Tradução para uso didático por Gabriel Silveira de Andrade Antunes [Acessado em 20 de abril de 2018].

CERTEAU, Michel de. “Ler: uma operação de caça” in A invenção do cotidiano: artes do fazer; tradução de Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

COLLA, Ana Cristina. Caminhante, não há caminho. Só rastros. [Tese de Doutorado em Artes]. Campinas, SP: Instituto de Artes/UNICAMP, 2010.

HAMPATÉ BÂ, Amadou. A tradição viva. In: KI-ZERBO, Joseph (ed.). História Geral da África I. Metodologia e Pré-história da África. Brasília: Unesco, 2010.

HOOKS, Bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de vida e formação. Lisboa: Editora Educa-Formação/Universidade de Lisboa, 2002.

JOSSO, Marie-Christine.. A transformação de si a partir da narração de histórias de vida. Educação, Porto Alegre, n. 3 (63), p. 413-438, set./dez. 2007.

RAMOS, Michael Daian Pacheco; OLIVEIRA, Rita de Cássia Magalhães de; SANTOS, Maria Rita. “Estado da arte da Pesquisa (Auto)Biográfica: uma análise do portal de periódicos CAPES” in Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica, Salvador, v. 02, n. 05, maio/ago. 2017. [pp. 449-469]

SARAMAGO, José. Biografias. Em O caderno de Saramago, 22 de setembro de 2008, disponível em: http://caderno.josesaramago.org. [Acessado em 10 de abril de 2018].

SOARES, Victor Hugo Leite de Aquino. TRAVESSIA:

Escrevivências de um tornar-se negr’artista em experiências (est)éticas. Brasília: IDA/UnB, 2017. [Monografia de Graduação em Artes]

SOUZA, Elizeu Clementino de; Moraes, Dislane Zerbinatti. “Pesquisa (auto)biográfica em análise: entre diálogos epistemológicos e teórico-metodológicos” in Revista Brasileira de Pesquisa (Auto) Biográfica, Salvador, v. 01, n. 01, jan./abr. 2016.

SOUZA, Elizeu Clementino de; PASSEGGI, Maria da Conceição. Apresentação. Educ. rev., Belo Horizonte , v. 27, n. 1, p. 327-332, Abril 2011.

Publicado
2018-11-26
Como Citar
PortelaC. de A. (2018). A LEITURA DE SI EM MEMORIAIS DE FORMAÇÃO E A ESCRITA AUTORAL COMO EXPERIÊNCIA: NARRATIVAS AUTOBIOGRÁFICAS DE PROFESSORES DA SEEDF. Cadernos De Linguagem E Sociedade, 19(3), 125-144. https://doi.org/10.26512/les.v19i3.17767