Estudantes indígenas: a invisibilidade nas instituições de ensino e nos dados estatísticos

  • Braulina Aurora Universidade de Brasília - UnB
Palavras-chave: indígenas, educação superior, universidade pública

Resumo

Relatos sobre a presença indígena apresentam um aumento significativo nas declarações oficiais, em especial aqueles que destacam a importância nessas instituições. Mas esses discursos contrastam com a ausência de informações e acompanhamento institucional a esses estudantes. Este artigo discute este percurso e processo de invisibilização nos dados das instituições que receberam alunos indígenas, desde a implantação nacional de políticas afirmativas nas universidades. Sugerimos que esta invisibilização pode ser entendida como prática de racismo institucional sendo necessário falar e construir novas políticas de visibilidade acadêmica indígena de forma a promover a redução dessa violência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Braulina Aurora, Universidade de Brasília - UnB

Estudante Indígena do povo Baniwa, graduanda em antropologia na Universidade de Brasília. Ativista do movimento Indígena, e presidente da associação dos Acadêmicos Indígenas da Universidade de Brasília - AAIUnB. Defensora de questão de Genero e atuante na discussão, racismo institucional, violência contra mulher, invisibilidade de estudantes indígenas nas universidades, levando esses debates para dentro das universidades, roteirista de documentários indígenas, lutadora pelo protagonismo de indígenas nos lugares de fala. Articuladora de Antropólogos indígenas no Brasil, juntamente com os demais estudantes indígenas.

Referências

SANTOS, Augusto (Organizador). Ações Afirmativas e Combate ao Racismo nas Américas. Brasília: Ministério da Educação: UNESCO, 2005.

PAIXÃO, Marcelo. Brasil 2000 - novos marcos para as relações raciais. Povos Indígenas e a Lei dos “Brancos”: o direito à diferença. Brasília: LACED/Museu Nacional, 2006.

SANTOS, Boaventura de Souza. Reconhecer para libertar: os caminhos do cosmopolitanismo multicultural. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

SANTOS, S. C. dos. Educação e sociedades tribais. Porto Alegre: Movimento, 1975.

SILVA, F. A. B.; ARAÚJO, H. E.; SOUSA, A. L. Diagnóstico da situação das populações indígenas no Brasil. IPEA, 2006.

Publicado
2018-12-30
Como Citar
AURORA, B. Estudantes indígenas: a invisibilidade nas instituições de ensino e nos dados estatísticos. Interethnic@ - Revista de Estudos em Relações Interétnicas, v. 21, n. 3, p. 3-7, 30 dez. 2018.
Seção
Outros trabalhos acadêmicos e técnicos