O ensino de português para estrangeiros numa perspectiva dialógica e as construções de ethos neste contexto

  • Rita de Cássia Souto Maior Universidade Federal de Alagoas
  • Márcia Vanessa Santos Souza Universidade Federal de Alagoas - PPGLL
Palavras-chave: Perspectiva dialógica, Ethos especular, Português para Estrangeiros

Resumo

A perspectiva dialógica (BAKHTIN, 2014) de ensino (RODRIGUES, 2005; ROTAWA, 1999) pressupõe um agir com/para o outro, visando à mediação linguística-cultural (SOUZA, 2017) no processo de ensino/aprendizagem de línguas. No ensino de Português para Estrangeiros (NIEDERAUER, 2010; MENDES, 2011), analisamos a construção de ethos (MAINGUENEAU, 2008; AMOSSY, 2005; SOUTO MAIOR, 2009), mais especificamente do ethos especular (SOUTO MAIOR, 2009; 2011; 2014; 2018) como mecanismo de desenvolvimento do saber. Para isso, entendemos que a perspectiva da pedagogia culturalmente sensível, por considerar os significados culturais (SOUZA, 2017), emerge nas propostas desenvolvidas em sala de aula e institui uma reflexão sobre imagens de si e do outro. Nesse sentido, observamos o ethos dos/as alunos/as referente ao aprendizado da língua portuguesa, destacando sentidos sobre o processo interacional constituído com os/as alunos/as estrangeiros/as e de seu próprio ethos, numa perspectiva especular.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rita de Cássia Souto Maior, Universidade Federal de Alagoas

Doutora e mestre em Linguística pelo Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística (PPGLL) da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e graduada pela Faculdade de Letras (FALE/UFAL), atua como professora na graduação (presencial e à distância) e na Pós-graduação da Fale/UFAL. Atualmente é coordenadora de Graduação Presencial da Faculdade de Letras/UFAL, Coordenadora do Programa Institucional de bolsa de Iniciação à docência em Letras/Português (PIBID/Letras/Português) e Coordenadora do Idioma Sem Fornteiras de Língua Portuguesa como Língua Estrangeira ou Adicional. Integra a Comissão Editorial da Revista Leitura (PPGLL) e da Revista Saberes Docentes em Ação (SEMED/AL). Participante do Grupo de Estudos Ensino e aprendizagem de línguas, desenvolve pesquisas sob a perspectiva da Linguística Aplicada, articulando reflexões sobre a prática de sala de aula e os estudos discursivos, com os seguintes temas: Ethos, Estudos argumentativos, Produção Textual em Língua Portuguesa, Estudos de Identidade e Formação de Professores.

Márcia Vanessa Santos Souza, Universidade Federal de Alagoas - PPGLL

Mestranda pelo Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística da Universidade Federal de Alagoas e graduada em Letras/português na Faculdade de Letras da Ufal.

Referências

AMOSSY, R. Imagens de si no discurso: a construção do ethos. São Paulo: Contexto, 2005.

ANDRÉ, M. E. D. A. Etnografia da prática escolar. 11. ed. Campinas, SP: Papirus, 1995.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Editora Hucitec, 2014.

BAUMAN, Z. Ética Pós-moderna. São Paulo: Paulus, 2016.

CRISTOVÃO, V.L.L. Sequências didáticas para o ensino de línguas. In: DIAS, R.; CRISTOVÃO, V. L. L. (Org.). O livro didático de língua estrangeira: múltiplas perspectivas. 1. ed.. Campinas: Mercado de Letras, 2009. p. 305-344.

DOURADO, M. R.; POSHAR, H. D. A cultura na educação linguística no mundo globalizado. In: SANTOS, P.; ALVAREZ, M. L. O. (Orgs.). Língua e cultura no contexto de Português Língua Estrangeira. Campinas, SP: Pontes Editores, 2010. p. 33-52.

CUCHE, D. A noção de cultura nas ciências sociais. Bauru: EDUSC, 2002.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 42.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

GUERREIRO, G. M. da S.. Cultura, linguagem e ensino de língua estrangeira: um estudo acerca desta inter-relação. Dissertação. (Mestrado em Estudos Linguísticos ) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista (UNESP), 2005.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2011.

KRAMSCH, C. Language and culture. New York: Oxford, 1998.

MAINGUENEAU, D. A propósito de ethos. In: MOTTA, A. R.; SALGADO, L. (Org.). Ethos discursivo. São Paulo: Editora Contexto, 2008. p. 11-29.

MARCHEZAN, R. C.. Diálogo. In: BRAIT, B. (Org.). Bakhtin: outros conceitos-chave. São Paulo: Contexto, 2006.

MENDES. E. O português como língua de mediação cultural: por uma formação intercultural de professores e alunos de PLE. In:_____. Diálogos interculturais: ensino e formação em português língua estrangeira.

Campinas, São Paulo: Pontes, 2011. p. 139-158.

SOUZA, M. V. S. Perspectiva dialógica no ensino de português como língua estrangeira/segunda língua e as constituições de ethos especular dos/as discentes. 2017. Dissertação (Mestrado em Letras e Linguística) –

Faculdade de Letras, Universidade Federal de Alagoas, 2017.

MOITA LOPES, L. P. da. Oficina de Linguística Aplicada: a natureza social e educacional dos processos de ensino/aprendizagem de línguas. Campinas, SP: Mercado de Letras, 1996.

MOITA LOPES, L. P. da. Afinal, o que é Linguística Aplicada? Campinas, SP: Mercado de Letras, 1996.

NIEDERAUER, M. E. F. Estranhamentos culturais em sala de aula de português para estrangeiros. In: SANTOS, P.; ALVAREZ, M. L. O. (Orgs). Língua e cultura no contexto de Português Língua Estrangeira. Campinas, SP: Pontes Editores, 2010. p. 101-121.

RODRIGUES, R. H. Os gêneros do discurso na perspectiva dialógica da linguagem: a abordagem de Bakhtin. In: MEURER, J. L., BONINI, A., MOTTAROTH, D. (Orgs). Gêneros: teorias, métodos, debates. São Paulo: Parábola Editorial, 2005.

ROTAWA, L. A perspectiva dialógica na construção de sentidos em leitura e escrita. Linguagem & Ensino, v. 2, n. 2, p. 145-160, 1999.

SOUZA, M. V. S. As constituições do ethos especular de estudantes estrangeiros/as no aprendizado de português como segunda língua dentro de uma perspectiva dialógica de ensino. 2017. Dissertação (Mestrado em Letras e Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2017.

SOUTO MAIOR, R. C.. As constituições de ethos e os discursos envolventes no ensino de língua portuguesa em contexto de pesquisa-ação. 2009. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2009.

SOUTO MAIOR, R. C.; SOUZA, M. V. S. O ensino/aprendizagem de português como segunda língua: a constituição do ethos especular num entrelugar cultural. In: MARINHO, P.; FREITAS, M. (Orgs.). Educação e cultura escolar: focus contemporâneos. 1. ed. Maceió: Edufal, 2018. v. 1. 248p.

SOUTO MAIOR, R. C.; SOUZA, M. V. S. Interação posta e subentendida: o ethos especular. Odisseia., n. 7, 2011.

SOUTO MAIOR, R. C.; SOUZA, M. V. S. Ethos especular de mestrandas do PROFLETRAS/UFAL como produtoras de textos: análise de relatos de pesquisa e de história de vida, 2014 (mimeo).

SOUTO MAIOR, R. C. Os saberes docentes e a constituição de ethos no PIBID/LETRAS: a construção de uma ética discursiva. In: FIGUEIREDO, F J. Q.; SIMÕES, D. (Orgs.). Contribuições da Linguística Aplicada para a Educação Básica. Campinas-SP: Pontes, 2018. p. 133-185.

TANURE, B.; DUARTE, R. G.. Sensibilidade cultural. Revista GV Executivo, v. 5, n.4, p. 25-29, 2006. Caderno especial: Negócios internacionais.

WOODWARD., K. Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: SILVA, T. T. (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014. p. 07-72.

Publicado
2018-12-27
Como Citar
MaiorR. de C. S., & SouzaM. V. S. (2018). O ensino de português para estrangeiros numa perspectiva dialógica e as construções de ethos neste contexto. Revista Horizontes De Linguistica Aplicada, 17(2). https://doi.org/10.26512/rhla.v17i2.9025
Seção
Artigos