“Não sei de onde vem essa timidez, talvez um medo de parecer ridículo”: um estudo sobre a timidez e a produção oral de alunos de inglês

  • Jardel Coutinho dos Santos Universidade Federal de Viçosa
  • Ana Maria Ferreira Barcelos
Palavras-chave: timidez;, produção oral;, Língua Inglesa

Resumo

Um dos aspectos importantes no ensino e aprendizagem de línguas é a aprendizagem da habilidade oral (NOELS et al, 2003; SILVA, 2005, RUTH 2013), que é uma das mais almejadas para os aprendizes de Língua Estrangeira (BERGSLEITHNER, 2009). As dificuldades de aprendizagem dessa habilidade podem estar ligadas a diversos fatores, sendo um dos mais importantes, e infelizmente menos pesquisados, a timidez dos aprendizes. É quase inexistente a literatura sobre alunos tímidos na Linguística Aplicada no Brasil (com exceção de Candido Ribeiro (2008)). Este trabalho relata resultados de uma pesquisa inicial que teve como objetivo geral investigar a timidez dos alunos de nível intermediário de um curso de extensão em língua inglesa em relação à produção oral, tendo por base estudos sobre timidez (ZIMBARDO, 1977; AXIA, 2003, CANDIDO-RIBEIRO, 2008) e produção oral (UR, 1996). Os resultados sugerem que a timidez afeta a produção oral dos alunos por diversos fatores, sendo um dos mais importantes, a emoção do medo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AFTAT, Mokhtar, Motivation and genuine learning. English Teacher Journal, v. 1, n. 1, 2008. Disponível em: ˂www.englishteacher1.com/motivation.html˃. Acesso em: 25 nov. 2018.

ALBISSETTI, Valério. Pode-se vencer a timidez? São Paulo: Paulinas, 1998.

ALONSO, E. Soy profesor/a: aprender a enseñar. Madrid: Edelsa, 2012.

ARAGÃO, R. Emoções e pesquisa narrativa: transformando experiências de aprendizagem. Revista Brasileira de Lingüística Aplicada, v. 8, n. 2, p. 295-320, 2008. Disponível em: ˂www.scielo.br/pdf/rbla/v8n2/03.pdf˃. Acesso em: 11 nov. 2018.

AXIA, G. A timidez: um dote precioso do patrimônio genético humano. Tradução de Silva Debetto Cabral. São Paulo: Paulinas/Loyola, 2003. Coleção para saber mais, v. 3.

BAVOSO, Carmen. Timidez não é doença. E tem cura. Belo Horizonte: Gutenberg Editora, 2004.

CANDIDO-RIBEIRO, D. A. Timidez na aprendizagem de uma língua estrangeira sob a ótica dos alunos. 2008. p.49. Monografia (Licenciatura em Letras Português/Inglês) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2008.

CHAER, G.; DINIZ, R. R. P.; RIBEIRO, E. A. A técnica do questionário na pesquisa educacional. Evidência, v. 7, n.7, , p.251-266, 2011.

DOYON, P. Shyness in the Japanese EFL class: why it is a problem, what it is, what causes it, and what to do about it. The Language teacher, v. 3, n. 1, 2000. Disponível em:

ESTEVES, A. L. A timidez na perspectiva da Psicologia Analítica. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2012.

GOLOMBEK, P. R.; JOHNSON, K.E. Inquiry into experience. In: P. R. GOLOMBEK, K. E. JOHNSON (Orgs.) Teacher’s narrative inquiry as professional development. Cambridge: Cambridge University Press, 2002. p. 1-14.

HOLLIDAY, A. Doing and writing qualitative research. London: Sage Publications, 2005.

JUHANA. Psychological factors that hinder students from speaking in English class: a case study in a Senior High School in South Tangerang, Banten, Indonesia. Journal of Education and Practice, v. 3, n. 12, p. 100-110, 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 out. 2018.

KALAJA, P., PAIVA, V. M;O.; BARCELOS, A. M. F. Narrativising learning and teaching EFL: the beginnings In narratives of learning and teaching EFL. Londres: Palgrave/Macmillan, 2008.

LEITE, S. A. S.; TAGLIAFERRO, A. R. A afetividade na sala de aula: um professor inesquecível. Psicologia Escolar e Educacional, v. 9, n. 2, p. 247-260, 2005. Disponível em: . Acesso em: 30 jan. 2017.

MORENO GARCIA, C. Materiales, estrategias y recursos para la enseñanza del español como 2/L. Madrid: Arco, 2011.

MOTA, M. B; BERGSLEITHNER, J. M; WEISSHEIMER, J. Produção oral em LE: múltiplas perspectivas. São Paulo: Pontas, 2011

NAKHALAH, A. M. M. Al. Problems and difficulties of speaking that encounter English language students at Al Quds Open University. International Journal of Humanities and Social Science Invention, v. 12, n. 5, p. 96-101, 2016.

NOELS, K. A., PELLETIER, L. G., CLÉMENT, R.; VALLERAND, R. J. Why are you learning a second language?: motivational orientations and self-determination theory. Language Learning, n. 53, p. 33-63, 2003.

NUNAN, D. Second language teaching and learning. Boston: Heinle&Heinle, 1999.

RABAB’AH, G. Communication problems facing Arab learners of English. Journal of Language and Learning, v. 3, n. 1, p. 180-197, 2005. Disponível em: . Acesso em: 10 out. 2018.

SANDERS, R. Why Learn a Foreign Language?, Computer, v. 46, p. 83-85, Disponível em: Acesso em: 10 out. 2018.

SILVA, M. C. V. A aquisição de uma língua segunda: muitas questões e algumas respostas. Saber (e) Educar, v. 10, p. 97-110, 2005.

THORNBURY, S. How to teach speaking. Essex: Pearson Longman, 2005

THORNBURY, S. An A – Z of ELT. Oxford: Macmillan, 2006.

UR, P. A course in language teaching: practice and theory. Cambridge: Cambridge University Press, 1996.

ZIMBARDO, Philip G. Shyness - What it is, what to do about it. MA: Addison Wesley Publishing Co., 1977.

Publicado
2018-12-27
Como Citar
Coutinho dos Santos, J., & Ferreira Barcelos, A. (2018). “Não sei de onde vem essa timidez, talvez um medo de parecer ridículo”: um estudo sobre a timidez e a produção oral de alunos de inglês. Revista Horizontes De Linguistica Aplicada, 17(2). https://doi.org/10.26512/rhla.v17i2.22627
Seção
Artigos