Em 2016, publicamos na Revista Esboços (v. 23, n. 35), o dossiê “Quando Clio encontra as ‘sexualidades disparatadas’”, que, inspirado pelas reflexões de Michel Foucault, tinha como objetivo problematizar as homossexualidades, lesbianidades e transexperiências na historiografia brasileira. As pesquisas históricas reunidas naquele dossiê revelaram que Clio encontrara, não sem resistências, as “sexualidades disparatadas”. No presente dossiê da História, histórias, pretendemos ampliar o debate iniciado em 2016, partindo não mais apenas da ausência ou invisibilidade dessas experiências nos estudos históricos, mas, ao contrário, da sua presença, acontecimento que tem contribuindo para a invenção de outras histórias e a transformação da própria disciplina História. Desse modo, este dossiê acolhe estudos históricos que têm como temáticas as sexualidades, gêneros, performances, experiências “disparatadas” e “dissidentes” e suas resistências à heteronorma.  Que outras histórias estão sendo gestadas do encontro entre Clio e as “sexualidades disparatadas”?

Publicado: 2018-12-11

Edição completa