Mulher, operária: o labor feminino ocupando o espaço público do trabalho (Belém, 1930-1935)

José Ivanilson Luz Rodrigues

Resumo


O presente artigo debruça-se sobre o construto circundante à ocupação feminina do espaço público do trabalho em uma capital da Amazônia na primeira metade do decênio de 1930, para tanto, fundamentamos a análise das fontes (jornais da época e documentação alocada no Arquivo Público do Estado do Pará - APEP) nas premissas de Joana M. Pedro e Margareth Rago, acerca do uso da categoria gênero na historiografia; Pierre Bourdieu, quanto à dominação masculina; Roger Chartier, no que tange à representação social, entre outros. Nossa pesquisa constatou o avanço da mulher na ocupação do espaço público do trabalho, as tensões, solidariedades e desigualdades com o elemento masculino, e entre as próprias mulheres, o apelo moral quanto ao trabalho feminino noturno e os assédios dentro e fora dos ambientes de labuta. Um diálogo fecundo com a atmosfera social própria do contexto político-cultural no qual estavam insertas: aproximação e distanciamento entre operárias e feministas, conquista de direitos, conflitos e mazelas tangenciadoras à condição de mulher, de operária.


Palavras-chave


Operariado Feminino, Gênero, História das Mulheres, Espaço Público.

Texto completo:

PDF




ISSN 2318-1729

Licença Creative Commons
história, histórias: Revista do Programa de Pós-graduação em História da UnB é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.
Baseado no trabalho em seer.bce.unb.br.

ISSN 2318-1729