Instruções metodológicas estatais e direções ao professor nos livros didáticos voltados ao ensino secundário (1930-1960)

Fabio Ribeiro

Resumo


O artigo objetiva analisar a presença de orientações aos professores em livros didáticos direcionados ao ensino secundário, editados no Brasil entre 1930 e 1960. O livro escolar é concebido com vistas ao aluno, porém, sua escolha e uso em sala de aula dependem da ação do professor, que muitas vezes o utiliza no preparo de aulas. A partir da década de 1930, o Estado assume a tarefa de prover o ensino secundário de programas curriculares e de instruções metodológicas voltadas ao docente. Sob a perspectiva da História Cultural, analisa livros de diferentes disciplinas, identificando o conteúdo das instruções, de que maneira dialogam com as direções metodológicas estatais e com o modelo pedagógico em voga. Conclui que os textos direcionados ao professor não são frequentes nos compêndios, têm caráter pouco prescritivo e que as instruções oficiais raramente aparecem nos livros escolares.

Palavras-chave


Livro didático. Orientações ao professor. Instruções Metodológicas.

Texto completo:

PDF




ISSN 2318-1729

Licença Creative Commons
história, histórias: Revista do Programa de Pós-graduação em História da UnB é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.
Baseado no trabalho em seer.bce.unb.br.

ISSN 2318-1729