Regulamento da prostituição

meretrizes e policiamento (Belém-PA, 1890)

  • Ipojucan Dias Campos UFPA - Universidade Federal do Pará
Palavras-chave: Prostituição, Regulamento, Policiamento

Resumo

O princípio diretor deste artigo é o de analisar como determinados agentes (Estado e editores de jornais), conceberam a regulamentação do meretrício na cidade de Belém. Esta reflexão partiu da Portaria de 19 de março de 1890 publicada pela República paraense, a qual institucionalizou a prática do sexo comercial no Pará e, igualmente, das diversas matérias editadas nos jornais belenenses a respeito do assunto. Nesta esteira, por um lado, o regime republicano, na qualidade de defensor da oficialização da “vida fácil”, tinha como argumento central a necessidade de conter a disseminação da sífilis e por isso dizia ser premente a imposição da referida portaria às condutas airadas, todavia, interpretações documentais indicam que a efetiva motivação foi a de organizar maior controle policialesco das profissionais do sexo nas ruas da cidade de Belém; contudo, houve, por outro lado, os contrários à normatização e eles se organizaram, basicamente, em duas trincheiras argumentativas, quais sejam: expunham a prostituição na qualidade de crime e por isso deveria ser tratada com prisão e multas, e que a oficialização do meretrício representava ofensa às bases mais elementares da coletividade, da família, da moralidade e dos bons costumes públicos e privados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADLER, Laure. Os bordéis franceses 1830-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.
A REPÚBLICA. Belém, 1890.
Actos e decisões do governo do Estado do Pará de 1890, 1891, 1892 e 1893”. In: Decretos e Actos do Governo do Estado do Gram-Pará. Belém: Typ. D`A Província do Pará, 1890.
CAMPOS, Ipojucan. Casamento, divórcio e meretrício em Belém no final do século XIX (1890-1900). 324 f. (Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em História) Pontifícia Universidade Católica de São Paulo PUC-SP, São Paulo, 2004.
________. “Repressão, higiene e disciplina na Belle-Époque Belenense (1890-1900)”. In: Textos e Debates (UFRR), v. 13, 2007
CORBIN, Alain. Les filles de noce: misère sexualle et prostitution à Paris au XIX siècle. Paris: Flammarion, 1978.
DIÁRIO DE NOTÍCIAS. Belém, 1890.
ENGEL, Magali. Meretrizes e doutores: saber médico e prostituição no Rio de Janeiro (1840-1890). São Paulo: Brasiliense, 1989.
GUY, Donna. El sexo peligroso, la prostitución legal em Buenos Aires. Buenos Aires: Sudamericana, 1991.
LIRA, Bárbara. A difícil vida fácil: o mundo da prostituição e suas representações na cidade de Manaus (1890-1925). 114 f. (Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em História) Universidade Federal do Amazonas, Instituto de Ciências Humanas e Letras, Manaus, 2014.
MORAES, Evaristo. Ensaios de Patologia Social. Rio de Janeiro: Leite Ribeiro, 1921.
O APOLOGISTA CRISTÃO BRASILEIRO. Belém, 1890.
PEREIRA, Cristiana. “Lavar, passar e receber visitas: debates sobre a regulamentação da prostituição e experiências de trabalho sexual em Buenos Aires e no Rio de Janeiro, fim do século XIX”. In: Cadernos Pagu, v. 25, 2005.
TRINDADE, José. As voltas com o cabaré: práticas culturais e baixo meretrício em Belém (1890-1905). 97 f. (Monografia de Graduação em História) Universidade Federal do Pará, Departamento de História, Belém, 1996.
RAGO, Luzia. Os prazeres da noite: prostituição e código da sexualidade feminina em São Paulo 1890-1930. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991.
WALKOWITZ, Judith. “Sexualidades perigosas”. In: DUBY, Georges & PERROT, Michelle. (Orgs.). História das mulheres no Ocidente. Vol. IV. Porto: Afront
Publicado
2018-11-26
Como Citar
Campos, I. (2018). Regulamento da prostituição. História, Histórias, 6(12). https://doi.org/10.26512/hh.v6i12.19278