Natureza humana e fundamento da ação moral em Kant

Adamo Perrucci

Resumo


O conceito de natureza humana desempenha um papel crucial na empreitada kantiana de fundamentação da moral. A tematização da essência humana remete para a ambivalência do humano, por ele pertencer tanto à esfera fenomênica quanto à numênica. À luz deste pressuposto fundamental objetiva-se discutir a relação existente entre o fundamento objetivo do agir e o exercício da subjetividade, determinadora de normas e princípios morais. Focando a atenção sobre a Fundamentação da Metafísica dos Costumes e a Crítica da Razão Prática tentaremos conferir se é realmente compatível, na reflexão kantiana, a liberdade/autonomia do sujeito moral com a dimensão a priori do princípio incondicional da ação humana.

Palavras-chave


Natureza humana, racionalidade, liberdade, ação, moralidad

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Revista de Filosofia Moderna e Contemporânea do Departamento de Filosofia da Universidade de Brasília é licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.
Baseado no trabalho em seer.bce.unb.br.

Revista indexada em Latindex, Clase, Sumários, Periódicos da CAPES, DRJI, DiadorimDOAJ, PhilBrasil, SHERPA/RoMEO e CiteFactor.

  


QUALIS CAPES: B2

ISSN: 2317-9570