Ladrão de galinhas: um diálogo sobre a estética no livro de imagem

Palavras-chave: texto visual, literatura infantil, , leiturabilidade, PNBE 2014

Resumo

As literaturas cujas narrativas são realizadas exclusivamente pela imagem firmaram, ao longo do tempo, a mesma importância que os demais gêneros disponíveis nos espaços educacionais. Devido a isso, propomo-nos a analisar os atributos estéticos que compõem uma dessas obras, Ladrão de galinha, de autoria de Béatrice Rodriguez (2009), selecionada e enviada pelo Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE) às redes públicas de Educação Infantil, na edição de 2014. Adotamos como metodologia a abordagem qualitativa, tomando como referencial a semiótica de Barthes (2013b). Utilizamos os conceitos de enunciado, deslocamento e representação, partícipes no processo de significação textual, entendendo que estes contribuem para que os demais atributos estéticos sejam comunicantes eficazes na fruição da literatura visual. Dentre os demais especialistas, apoiamo-nos no suporte teórico de Collaro (2012), Gomes Filho (2014), Heller (2014), Hunt (2010), Kandinsky (1997), Kant (2013), Linden (2011), Neitzel e Carvalho (2013), Neitzel e Oliani (2008), Nikolajeva e Scott (2011), Santaella (2012), Todorov (2011), Willsberg e Forssman (2007). Constatamos que há uma contínua busca no aprimoramento do livro composto exclusivamente de imagens, que permitem uma apreciação do texto visual para além do entretenimento, tornando-o objeto de fruição pela experiência estética que proporciona. Colocamos em discussão a “leiturabilidade” do texto visual permitindo aceitar, rejeitar, aprimorar e questionar as possibilidades de leitura que mobilizam o pensamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-02-06
Como Citar
Carvalho, C., & Menon Araújo, M. (2019). Ladrão de galinhas: um diálogo sobre a estética no livro de imagem. Estudos De Literatura Brasileira Contemporânea, (56), 1-12. https://doi.org/10.1590/2316-40185616