Corpo feminino e envelhecimento na obra de Lygia Fagundes Telles

Palavras-chave: corpo envelhecido, Lygia Fagundes Telles, literatura de autoria feminina, literatura comparada

Resumo

O objetivo deste artigo é dar visibilidade aos diversos modos de representação do corpo envelhecido na obra da escritora Lygia Fagundes Telles, comparando tais imagens com outras apresentadas por Clarice Lispector e Maria Valéria Rezende. Seguindo os rastros deixados por Elódia Xavier em Que corpo é esse?, buscamos traçar uma espécie de tipologia do próprio corpo envelhecido, a fim de demonstrar a diversidade de suas representações na literatura de autoria feminina. Neste texto, propomos investigar o corpo envelhecido da seguinte forma: i) o corpo envelhecido como degradação; ii) o corpo envelhecido silenciado; iii) o corpo envelhecido redimido. Tais escritoras apontam, assim, o quão difícil se torna o envelhecimento em uma sociedade que confina o idoso a situações degradantes tanto em âmbito familiar quanto público.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGAMBEN, Giorgio (2009). O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Chapecó: Argos.
BEAUVOIR, Simone de (1990). A velhice. 3. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.
BOSI, Ecléa (1987). Memória e sociedade: lembranças de velhos. 2. ed. São Paulo: USP.
BRASIL. Secretaria de Direitos Humanos. Dados sobre o envelhecimento no Brasil. 2014. Disponível em: www.sdh.gov.br. Acesso em: 15 fev. 2018.
CHAUI, Marilena (1984). Repressão sexual: essa nossa (des)conhecida. São Paulo: Brasiliense.
DALCASTAGNÈ, Regina (2005). A personagem do romance brasileiro contemporâneo: 1990-2004. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, n. 26, p. 13-71, jul./dez.
LISPECTOR, Clarice (2016). Feliz aniversário. In: LISPECTOR, Clarice. Todos os contos. Rio de Janeiro: Rocco. p. 179-192.
LISPECTOR, Clarice (2016). Viagem a Petrópolis. In: LISPECTOR, Clarice. Todos os contos. Rio de Janeiro: Rocco. p. 316-324.
REZENDE, Maria Valéria (2014). Maria Valéria viveu na rua para escrever romance. O Estado de São Paulo, São Paulo, Caderno Cultura, 2 mai. Disponível em: http://cultura.estadao.com.br/noticias/geral,maria-valeria-rezende-viveu-na-rua-para-escrever-romance,1161541. Acesso em: 20 fev. 2018.
TELLES, Lygia Fagundes (1998a). Seminário dos ratos. Rio de Janeiro: Rocco.
TELLES, Lygia Fagundes (1998b). A noite escura e mais eu. Rio de Janeiro: Rocco.
TELLES, Lygia Fagundes (1999a). As horas nuas. Rio de Janeiro: Rocco.
TELLES, Lygia Fagundes (1999b). Antes do baile verde. Rio de Janeiro: Rocco.
XAVIER, Elódia (2007). Que corpo é esse? O corpo no imaginário feminino. Florianópolis: Editora Mulheres.
Publicado
2019-02-06
Como Citar
A. Pereira, M. do R. (2019). Corpo feminino e envelhecimento na obra de Lygia Fagundes Telles. Estudos De Literatura Brasileira Contemporânea, (56), 1-9. https://doi.org/10.1590/2316-40185610