Niilismo e alegoria em Lira de lixo, de Adriano Scandolara

Emmanuel Santiago

Resumo


Em Lira de lixo, Adriano Scandolara elabora poeticamente uma vivência social típica da modernidade, relacionada à vida num grande centro urbano (no caso, a Curitiba do século XXI). Tal vivência pode ser percebida não apenas na temática desenvolvida nos poemas do autor como também nas determinantes formais de sua poesia. Conjuga-se, então, uma visão niilista da existência, que nega a vida e a história como unidades de sentido, com uma forma fragmentada (alegórica), que rompe com a noção clássica da obra de arte orgânica. A análise segue no sentido de colocar a poesia de Scandolara em constante fricção com o pensamento de Walter Benjamin a respeito da vida moderna e a expressão desta no campo das artes.


Texto completo:

PDF




Direitos autorais 2016 Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea

ISSN 1518-0158 (Impresso)

ISSN 2316-4018 (On-line)

Qualis A1

Fale conosco

Licença Creative Commons
Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea é licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não-comercial 4.0 Não Adaptada.

Os artigos publicados em estudos de literatura brasileira contemporânea são indexados em: ScopusSciELO, DOAJEmerging Sources Citation IndexERIH PlusMLA International Bibliography, REDIB, Dialnet, CLASE. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociaes y HumanidadesUlrichsWeb, Redalyc, Libris, MiarPortal de Periódicos da Capes, Diadorim, DRJILatindex, Biblat, Actualidad Iberoamericana, OAJICitefactor e WorldCat.

                                 Dialnet                           Open Academic Journals Index    LiVre                    

 

A revista estudos de literatura brasileira contemporânea integra a LATINOAMERICANAAsociación de revistas académicas en Humanidades y Ciencias Sociales