Marília Garcia:

para onde nos levam as hélices do poema?

Resumo

Em 2017, a poeta brasileira Marília García publicou Câmera lenta, livro que se destaca pelo equilíbrio entre a continuidade das experimentações estéticas já iniciadas anteriormente e a resolução formal de cada poema. O mote dos meios de transporte, elo com outras poéticas da modernidade, ganha aqui tratamento particular e em consonância com outros questionamentos da contemporaneidade. Entre hélices, turbinas, voos e aeronaves que aparecem frequentemente nos seus versos emerge um sujeito lírico na iminência da desintegração, mas que insiste no poema como forma de ecoar a experiência única e ancorada no tempo que consiste na vida humana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BOSI, Viviana (2010). Poesia auto-móvel. Teresa: Revista de Literatura Brasileira, São Paulo, n. 10-11, p. 121-141.
CATRÓPA, Andréa (2015). Quem fala nos textos críticos de Ana Cristina Cesar? In: FALEIROS, Álvaro; ZULAR, Roberto; BOSI, Viviana (Org.). Sereia de papel: Visões de Ana Cristina Cesar. Rio de Janeiro: Editora da UERJ.
CESAR, Ana Cristina (2013). Poética. São Paulo: Companhia das Letras.
COMBE, Dominique (2010). A referência desdobrada: o sujeito lírico entre a ficção e a autobiografia. Revista USP, São Paulo, n.84, p. 112-128.
FLUSSER, Vilém (2017). A escrita: há futuro para a escrita? São Paulo: Annablume.
GARCIA, Marília (2006). 20 poemas para seu walkman. São Paulo: Cosac Naify; Rio de Janeiro: 7Letras.
GARCIA, Marília (2010). A topologia poética de Emmanuel Hocquard. 162 f. Tese (Doutorado em Estudos Literários) – Universidade Federal Fluminense, Niterói.
GARCIA, Marília (2016). Um teste de resistores. Rio de Janeiro: 7Letras.
GARCIA, Marília (2017). Câmera lenta. São Paulo: Companhia das Letras.
GOLDSMITH, Kenneth (2011). Uncreative writing: managing writing in the digital age. Nova York: Columbia University Press.
GORMLEY, Anthony (2007). Blind Light. Anthony Gormley. Site pessoal. Arquivo de exposição. On-line. Disponível em: < https://bit.ly/2wsTMQe>. Acesso em: 24 jun. 2014.
HOLLANDA, Heloísa Buarque de (1998). Esses poetas: uma antologia dos anos 90. Rio de Janeiro: Aeroplano.
MALPOIX, Jean-Michel (2001). La poésie, autobiographie d’une soif. Jean-Michel Maulpoix & Cie. Blog pessoal. On-line. Disponível em: . Acesso em: 21 jun. 2018.
MILANEZE, Erica (2014). O lirismo crítico e a pós-poesia: diferentes propostas estéticas para a poesia contemporânea. Travessias Interativas, Sergipe, V. 8, n. 2. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2018
PEREC, Georges (2015). L’infra-ordinaire. Paris: Le Seuil.
RABATÉ, Dominique (Org.) (2001). Figures du sujet lyrique. Paris: PUF.
RABATÉ, Dominique; SERMET, Joëlle de; VADÉ, Yves (Org.) (1996). Le sujet lyrique em question. Bordeaux: Presses Universitaires de Bordeaux. (Modernités, n. 8).
VIRILIO, Paul (1993). O espaço crítico. Tradução de Paulo Roberto Pires. São Paulo: 34.
Publicado
2018-09-18
Como Citar
SilvaA. C. da. (2018). Marília Garcia:. Estudos De Literatura Brasileira Contemporânea, (55), 309-323. https://doi.org/10.1590/10.1590/2316-40185516