Por uma análise do discurso ecológica

Hildo Honório Couto, Elza Kioko N. N. Couto

Resumo


O objetivo deste artigo é apresentar a extensão da linguística ecossistêmica chamada linguística ecossistêmica crítica ou análise do discurso ecológica (ADE), comparando-a com a ecolinguística tradicional, como a ecolinguística crítica, a análise do discurso francesa e a análise do discurso crítica inglesa, além de algumas menções à análise do discurso positiva. Todas essas vertentes da AD procuram nos discursos a ser analisados ideologia (marxista, feminista etc.) e relações de poder. A ADE se baseia em uma defesa da vida e numa luta contra tudo que possa trazer sofrimento aos seres vivos. Se é para falar em ideologia, que seja a ideologia da vida, ideologia ecológica (ecoideologia). Ela pode fazer uso de todas as categorias da ecologia, tais como interação, diversidade, adaptação, holismo, abertura/porosidade, relações harmônicas/desarmônicas etc. Ela é influenciada pela ecologia profunda, pelo taoísmo e pelas ideias de Gandhi. É prescritiva, no sentido de defender a vida e de lutar contra o antropocentrismo, o etnocentrismo, o androcentrismo etc. Por ser ecossistêmica, defende a integridade dos pequenos grupos étnicos, agindo a partir da visão ecológica de mundo (from an ecological point of view), não do ponto de vista lógico (from a logical point of view). Por isso, não se limita a analisar textos ambientais, antiambientais ou pseudoambientais. Ela pode analisar todo e qualquer tipo de texto. No final, é apresentada a análise de um texto científico.

Palavras-chave: Análise do discurso ecológica; ecoideologia; defesa da vida; luta contra sofrimento.

 

 

Abstract

The main purpose of this article is to present the extension of ecosystemic linguistics known as critical ecosystemic linguistics or ecological discourse analysis (EDA). It is compared to traditional ecolinguistics, such as critical ecolinguistics, to French discourse analysis, to British critical discourse analysis, as well as to positive discourse analysis. All these versions of DA look for ideology (Marxist, feminist etc.) and power relations in the texts under analysis. EDA emphasizes a defense of life and a struggle against everything that may cause suffering to a living being. If ideology is unavoidable, that it be the ideology of life or ecological ideology (ecoideology). It may use all ecological categories, such as interaction, diversity, adaptation, holism, openness/porosity, harmonic and disharmonic relations etc. It is influenced by deep ecology, Taoism and Gandhian ideas. It is prescriptive in relation to these principles, and to anthropocentrism, ethnocentrism, androcentrism etc. Being ecosystemic, it defends the integrity of small ethnic groups, acting from an ecological view of the world (from an ecological view of the world), not from a logical point of view, as is done in the West. It is able to analyze any type of text, not only environmental, anti-environmental nor pseudo-environmental texts. There is a short attempt at analyzing a small scientific text.    

 Key-Words: Ecological discourse analysis; ecoideology; defense of life; struggle against suffering.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
';



ECO-REBEL - Revista brasileira de ecologia e linguagem - ISSN: 2447-7052 - ecorebelbrasil@gmail.com / hiho@unb.br