“How ill this taper burns!” e Dramaturgy of Shakespeare’s Julius Caesar at the Globe

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Alexander Martin Gross

Resumo

O Teatro Globe, construído em Londres em 1599, é o exemplo cardinal do palco Renascentista e suas convenções associadas, e este artigo aponta as várias maneiras em que o ambiente físico imediato de William Shakespeare está inscrito em sua obra. O artigo aborda os elementos estruturais e recursos teatrais do Globe no que se refere à Tragédia de Júlio César de Shakespeare. A estrutura do teatro, as expectativas da audiência e os recursos à disposição da companhia de teatro colaboraram para dar forma à drama- turgia de Shakespeare. Momentos-chave do texto da peça são empregados de modo a ilustrar a significância das condições de trabalho na escrita de Shakespeare para o novo teatro, com três cenas de Júlio César discutidas em detalhes. A economia cenográfica do palco Renascentista é considerada a partir do princípio da “neutralidade imaginativa”, do historiador do teatro J. L. Styan, e a importância da encenação tridimensional e de uma audiência colaborativa é ressaltada. O conceito de metateatro, aplicado a momentos de autoconsciência que chamam atenção para a condição de uma determinada peça como ficção, é discutido no tocante à significância local das representações no Globe, e ao uso de anacronismos em ambiente romano por parte de Shakespeare. O artigo discute tam- bém a rápida progressão do tempo e transposição de cenas que caracterizam Júlio César em termos de intensidade dramática, e sugere que estas são resultantes das condições de encenação no Teatro Globe. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
GrossA. M. (2016). “How ill this taper burns!” e Dramaturgy of Shakespeare’s Julius Caesar at the Globe. Dramaturgias, 1(1). https://doi.org/10.26512/dramaturgias.v1i1.9042
Seção
Dossiê
Biografia do Autor

Alexander Martin Gross, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutor em Inglês: Estudos Linguísticos e Literários, UFSC (2016); Mestre em Letras (Inglês), UFSC (2012); Bachelor of Arts, Lancaster University (2007); nascido em Munique, Alemanha. Interesses de pesquisa incluem a literatura e o drama do renascimento europeu, os contextos da obra de Shakespeare, e a história da cidade de Londres.

Referências

BALDICK, C., ed. Oxford Concise Dictionary of Literary Terms. 2nd ed. Oxford: Oxford UP, 2004.
BECKERMAN, B. Shakespeare at the Globe: 1599-1609. New York: Macmillan, 1962.
DANIELL, D., ed. Julius Caesar. London: Arden Shakespeare, 1998. Arden Shakespeare 3rd Series.
FOAKES, R. A. Illustrations of the English Stage 1580-1642. London: Scolar Press, 1985.
GROSS, A. M. “The Abstracts and Brief Chronicles” of the City: Shakespeare’s Globe Tragedies and Their Conditions of Performance. Tese de Doutorado, Universidade Federal
de Santa Catarina, 2016.
GURR, A. Playgoing in Shakespeare’s London. 1987. 3rd ed. Cambridge: Cambridge UP, 2004.
---. The Shakespearean Stage. 4th ed. Cambridge: Cambridge UP, 2009.
HUMPHREYS, A., ed. Julius Caesar. 1984. Oxford: Oxford UP, 2008. Oxf. Shakespeare.
SHAKESPEARE, W. Complete Works. The Riverside Shakespeare. Ed. G. Blakemore Evans, et al. Boston: Houghton Mifflin Company, 1974.
SHAPIRO, J. 1599: A Year in the Life of William Shakespeare. London: Faber and Faber, 2005.
SPEVACK, M., ed. Julius Caesar. By William Shakespeare. Cambridge: Cambrige UP, 1988. New Cam. Shakespeare.
STYAN, J. L. Shakespeare’s Stagecraft. 1967. Cambridge: Cambridge UP, 2001.
---. “Stage Space and the Shakespeare Experience.” In: Marvin and Ruth Thompson, eds. Shakespeare and the Sense of Performance. Newark: Delaware UP, 1989, pp. 195-209.