Quando a embarcação do Novo Colombo encostou às margens do São Francisco: Wilson Lins e a recepção de Nietzsche no sertão baiano

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Roberto Sávio Rosa, Gianluca Cuozzo, Lays Silva Santos e Rafael R. de Almeida

Resumo




O texto se caracteriza como contribuição à história da filosofia no Brasil e tem como objetivo geral analisar a obra de Wilson Lins, considerando-a de fundamental importância para os estudos referentes à recepção das ideias de Nietzsche no Brasil, a partir da Bahia. A metodologia de investigação se caracteriza como do tipo bibliográfica e conceitual. Em linhas gerais apresenta um estudo a respeito da produção filosófica de Nietzsche considerando o pe- ríodo compreendido entre os anos de 1869 a 1873 e, no que diz respeito à recepção e compreensão hodierna dos conceitos em território brasileiro investiga a produção visionária de Wilson Lins de 1939 a 1959, a partir de dois escritos: (1) Zaratustra me contou... (1939), que permite associar e fixar os desdobramentos dos estudos em filosofia, literatura, antropologia e arte; (2) 12 Ensaios de Nietzsche (1945), escritos relacionados à estética do pensador alemão.




Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Lays Silva Santos e Rafael R. de Almeida, R. S. R. (2019). Quando a embarcação do Novo Colombo encostou às margens do São Francisco: Wilson Lins e a recepção de Nietzsche no sertão baiano. Dramaturgias, (10), 382-403. https://doi.org/10.26512/dramaturgias.v0i10.24938
Seção
Ideias e críticas

Referências

CABRERA, Julio. Diário de um filósofo no Brasil. Ijuí: Ed. Unjuí, 2010.
CABRERA, Julio. O cinema pensa. Uma introdução à filosofia através dos filmes. Rio de Janeiro: Rocco Digital, 2012.CALMON, Jorge. Discurso de recepção. Imprensa Oficial da Bahia. Salvador:1968.
COSTA, Aramis Ribeiro. O escritor Wilson Lins. Academia Baiana de Letras, Salvador: 2010.
COUTO, Juliana Oliveira do. A visão histórica de Herder e o Götz von berli-chingen de Goethe. Revista Trama - e-ISSN 1981-4674, Volume 14, Número 31, 2018. p. 72 – 84. Orientadora: Profª Drª Magali dos Santos Moura.
CROCE, Benedetto. Goethe, con una scelta delle liriche nuovamente tradotte. G. Laterza e figli editori, Bari: 1919.
DIAS, Geraldo. Nietzsche, intérprete do Brasil? A recepção da filosofia nietzschiana na imprensa carioca e paulistana no final do século XIX e início do XX. Caderno Nietzsche, São Paulo, v. I, n°35, 2014 p. 89-107. Disponível em:< http://colunastortas.com.br/biblioteca-nietzsche-livros/ >. Acesso em: 20 mar. 2018.
DIAS, Geraldo. Primeiros discursos de recepção da filosofia de Nietzsche no Brasil publicados nos diários e periódicos nacionais (1900–1935). Disponível em: < http://colunastortas.com.br/biblioteca-nietzsche-livros/ > . Acesso em: 02 abr. 2018.
GOETHE. J.W. Götz di Berlichingen. Versione col testo a fronte, Introduzione e note a cura di Nicola de Ruggiero. G.C. Sansoni Editore. Firenze: 1947.
JANZ, C. P. Los diez años de Basilea 1869/1879. Madrid: Alianza Universidad, 1981.
LINS, W. Zaratustra me contou....Salvador: Tipografia Naval,1939.
LINS, W. 12 Ensaios de Nietzsche. Salvador: O imparcial, 1945.
A infância do mundo – Ensaios. Salvador: O imparcial, 1946.
LINS, W. Tempos escatológicos. Salvador: Livraria Progresso Editora, 1956.
LINS, W. Discurso de Posse. Imprensa Oficial da Bahia. Salvador:1968. p. 22.
MARTON, S. Nietzsche abaixo do equador – A recepção na América do Sul. São Paulo: Editora Unijuí – Discurso NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Além do bem e do mal. Prelúdio a uma fi-losofia do futuro. Trad. Paulo César de Souza, 2ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.
NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Assim falava Zaratustra: um livro para todos e para ninguém. Tradução de Mário Ferreira dos Santos. Petrópolis: Vozes, 2011.NUNES, Benedito. A Antropofagia ao alcance de todos. In: ANDRADE, Oswald de. A utopia Antropofágica. São Paulo: Globo, 1990. (Obras completas de Oswald de Andrade).
SANTOS, L. S.; ROSA, R. S. A recepção de Nietzsche no Brasil a partir da Bahia: Wilson Lins e as vicissitudes de Zaratustra me contou.... ESPECIARIA (UESC), v. 17, p. 71-85, 2017.
SLOTERDIJK, Peter. Regras para o parque humano uma resposta à carta de Heidegger sobre o humanismo. Editora Estação Liberdade. São Paulo: 1999.
VATTIMO, G. Dialogo con Nietzsche. Milano: Garzanti, 2000.
VATTIMO, G. Il soggetto e la maschera. Milano: Tascabili-Bompiani, 2003.
VERISSIMO, J. Homens e coisas estrangeiras. Rio de Janeiro: Topbooks, 2003.
VERRECCHIA, Anacleto. La catastrofe di Nietzsche a Torino. Giulio Einaudi editore. Torino:1978.
VERRECCHIA, Anacleto. La stufa dell’Anticristo – Altri vagabondaggi culturali. Fògola Editore. Torino:2010.
VICTOR, N. A crítica de hontem. Rio de Janeiro: Livraria Editora, 1919.Editorial, 2006.