A semântica dos adjetivos de grau: uma possível relação com os nomes?

  • Kayron Beviláqua
Palavras-chave: adjetivos, nomes, graus, massivo-contável

Resumo

Neste squib exploramos a semântica da gradação proposta para os adjetivos, tendo como base fundamentalmente os trabalhos de Kennedy (1999) e Kennedy e McNally (2005), e buscamos relacioná-la ao domínio dos nomes (quanto ao seu caráter massivo-contável), estruturas que não são comumente tratadas como predicados graduais. Para tanto, na primeira seção, apresentamos o modelo semântico da gradação e a divisão proposta entre adjetivos relativos e absolutos. Na seção seguinte, discutimos os critérios de distinção massivo-contável e os diferentes tipos de nomes. Em seguida, realizamos os primeiros passos de aproximação semântica entre adjetivos e nomes, ao analisar o comportamento dos nomes em comparativas e na combinação com modificadores graduais. Por fim, fazemos um paralelo entre os diferentes tipos de escalas no domínio adjetival e as diferentes escalas no domínio massivo-contável. Concluímos que é possível uma aproximação; porém, a aplicação profunda do modelo de graus aos nomes traz alguns limites e problemas, tais como a cumulatividade de nomes plurais e a não restrição de certos quantificadores no PB, ao contrário do inglês.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BUNT,H. Mass terms and model theoretic semantics.Cambridge: CUP, 1985.

BURNETT,H. Amulti valued delineation semantics for absolute adjectives. In: EGRÉ, P.;

RIPLEY, D. (Ed.). Proceedings of the workshop on the application of three-valued logics to natural language, Opole, Poland, p.1-15, 2012.

CHENG, C-Y. Comments on Moravcsik’s paper. In: HINTIKKA, K. J. J. et al. (Org.). Approaches to natural language. Dordrecht: D. Reidel, 1973. p. 286-288.

CHIERCHIA, G. Reference to kinds across languages. Natural Language Semantics, v.6, p. 339-405, 1998.

DOETJES, J. Quantifiers and Selection: on the distribution of quantifying expressions in French, Dutch and English. 1997. Ph.D Dissertation–University of Leiden, Leiden, 1997.

KENNEDY, C. Projecting the adjective: the syntax and semantics of gradability and comparison. NewYork: Garland,1999.

KENNEDY, C.; McNALLY, L. Scale Structure, Degree Modification, and the Semantics of Gradable Predicates. Language, v. 81, n. 2, p. 345-381, 2005.

KLEIN, E. A semantics for positive and comparative adjectives. Linguistics and Philosophy, v. 4, p. 1-45, 1980.

LINK, G. The logical analysis of plurals and mass terms: a lattice theoretical approach. In: BÄUERLE, R. et al. (Eds). Meaning, use and Interpretation of Language: Berlin: de Gruyter, 1983. p. 303-323.

PIRES DE OLIVEIRA, R.; ROTHSTEIN, S. Bare nouns in are mass in Brazilian Portuguese. Língua, v. 121, p. 2153-2175, 2011.

QUINE, W. Word and object. Cambridge Massachusetts: MIT, 1960.

ROTHSTEIN, S. Counting and the mass-count distinction. Journal of Semantics, v. 27, n. 3, p. 343-397, 2010.

Publicado
2018-12-31