CARTOGRAFIA E TERRITÓRIO DE ARAXÁ – MG: PASSADO E PRESENTE. UMA LEITURA E REPRESENTAÇÃO PRELIMINAR.

  • Roberta Maria Porfírio De Oliveira Borges Universidade de Brasília
Palavras-chave: Araxá – Minas Gerais. Cartografia. Território. História. Origem dos Municípios. Triângulo Mineiro. Formação Administrativa.

Resumo

O artigo apresenta com referências cartográficas coloniais e imperiais, a evolução da representação cartográfica da região compreendida entre os Rios Grande e Paranaíba, antes da consolidação do território de Araxá, com a criação do seu município. Também, com base nas informações oficiais sobre a formação administrativa de Araxá e dos municípios da região, o artigo demonstra a origem no território do Município de Araxá, do ano de 1835, de todos os municípios que hoje configuram a Mesorregião do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba (66 municípios), além de partes da Mesorregião do Noroeste de Minas (5 municípios) e da Mesorregião Central Mineira (5 Municípios), totalizando 76 municípios. Concluindo que 8,9% dos municípios do Estado brasileiro de Minas Gerais e 1,3% dos municípios do país são oriundos do território de Araxá.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberta Maria Porfírio De Oliveira Borges, Universidade de Brasília

Geógrafa, Bacharel em Geografia pela Universidade de Brasília (UnB). Pesquisadora Associada ao Centro de Cartografia Aplicada e Informação Geográfica da UnB (CIGA/UnB).

Referências

ANJOS, R. S. (2000). Territórios das Comunidades Remanescentes de Antigos Quilombos no Brasil - Primeira Confuguração Espacial (2ª ed.). Brasília: Mapas Editora & Consultoria.

ANJOS, R. S. (2010). Relatório de Campo no Quilombo do Campo Grande / Ambrósio MG. Tempo - Técnica - Território, 1, 36.

BRASIL, B. N. (20 de 03 de 2015). Biblioteca Virtual da Cartografia Histórica do Século XVI ao XVIII: http://consorcio.bn.br/cartografia/apresentacao.html

CARRATO, J. F. (s.d.). Capitania de Minas Gerais nos fins da era colonial. (A. C. APM, Compilador) Fonte:

http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/modules/grandes_formatos_docs/photo.php?lid=233

IBGE. (2015). IBGE. Fonte: Cidades: http://www1.ibge.gov.br/cidadesat/painel/historico

JÚNIOR, J. C. (2012). A Territorialização da produção agroindustrial canavieira na Mesorregião do Triângulo Mineiro/ Alto Paranaíba. Horizonte Científico, nº 2, 6.

LAEMMERT, A. (1917). Annuario Administrativo, Agricola, Profissional, Mercantil e Industrial da República dos Estados Unidos do Brasil para 1917 (Vol. 2). Rio de Janeiro: Officinas Typograficas do Almanak Laemmert. Acesso em 12 de 05 de 2015, disponível em http://memoria.bn.br/pdf/313394/per313394_1917_B00073.pdf

LISBOA, A. H. (s.d.). Catálogo de Documentos Manuscritos Avulsos Referentes à Capitania de Goiás Existentes no Arquivo Histórico Ultramarino de Lisboa. Lisboa, Portugal.

LONGHI, R. S. (1997). Unidade e fragmentação: o movimento separatista do triângulo mineiro. Dissertação de Mestrado. PUC-SP.

MARTINS, A. d. (Ed.). (1870). Almanak Administrativo, Civil e Industrial da Provincia de MinasGeraes do anno de 1869 para servir no de 1870. Rio de Janeiro: Typographia do Diario do Rio de Janeiro. Acesso em 12 de 05 de 2015, disponível em http://memoria.bn.br/DocReader/Hotpage/HotpageBN.aspx?bib=393428&pagfis=1401&pes

q=&url=http://memoria.bn.br/docreader#

MARTINS, A. d., & OLIVEIRA, J. M. (Eds.). (1864). Almanak Administrativo, Civil e Industrial da Provincia de Minas Geraes para o anno de 1865. Ouro Preto, Minas Geraes, Brasil: Typographia do Minas Geraes. Fonte:

http://memoria.bn.br/DocReader/Hotpage/HotpageBN.aspx?bib=393428&pagfis=840&pesq

=&url=http://memoria.bn.br/docreader#

MARTINS, T. J. (2008). Quilombo do Campo Grande: História de Minas Que se Devolve ao Povo. (Edição Ampliada ed.). Contagem, Minas Gerais, Brasil: Santa Clara.

ROSA, E. (2011). Sertão da Farinha Podre. Araxá, Minas Gerais: Erosan.

SÃO PAULO, A. d. (1896). Publicação Official de Documentos Interessantes para a História e Costumes de São Paulo - Diversos (Vol. IV). São Paulo, Brasil: Typographia da Companhia Industrial de São Paulo. Acesso em 29 de 04 de 2015, disponível em http://bibdig.biblioteca.unesp.br/bd/bfr/or/10.5016_10-ORDCISP-01-04_volume_04/#/7/zoomed

SILVA, P. J., & ALMEIDA, M. G. (2001). TERRITORIALIDADE E DESTERRITORIALIDADE: os assentamentos rurais e a reterritorialidade do campesinato no espaço agrário do Cerrado mineiro. V CONGRESSO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES. Pilar - Ouro Preto - Minas Gerais - Brasil: UFOP.

SOUZA, B. A., SILVA, E. V., & LEÃO, F. S. (2013). Região, Regionalismo e Regionalidade: o Movimento. GeoAtos - Revista Geografia em Atos, nº 13, 1, 107-117.

USP, L. d. (02 de 04 de 2015). Cartografia Histórica. Fonte: Biblioteca Digital de Cartografia Histórica da USP: www.mapashistoricos.usp.br

WDL, W. D. (12 de 05 de 2015). World Digital Library. Fonte: Biblioteca Digital Mundial: http://www.wdl.org/pt/

Publicado
2018-12-19
Seção
Artigos