A ÁFRICA BRASILEIRA – ESPAÇOS GEOGRÁFICOS DA DIÁSPORA & DO CANDOMBLÉ

  • Rafael Sanzio Araújo dos Anjos Departamento de Geografia - Universidade de Brasília

Resumo

Uma das questões estruturais relacionada à cultura africana no Brasil que continua merecendo investigação e conhecimento, está relacionada aos aspectos historiográficos e geográficos da formação, distribuição e resistências no espaço e da população de ancestralidade na África do território brasileiro. O paper resgata as principais referências da diáspora África-América-Brasil e configura a expressão espacial de alguns terrieros de candomblé na cidade de Salvador - Bahia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANJOS, R. S. A. “ A África, a geografia, o tráfico de povos africanos e o Brasil. Revista Palmares em Ação. Brasília: Fundação Cultural Palmares – MINc. Ano 1 No.2 : 56-66, 2002

_____________ .“Coleção África–Brasil: Cartografia para o ensino–aprendizagem”. Brasília: Mapas Editora & Consultoria, 2ª. Edição. 2005 – BsB - DF.

ANJOS, R.S.A & CYPRIANO, A. “Quilombolas – tradições e cultura da resistência”. Aori Comunicações. Petrobras, 2006. São Paulo, 240 p.

’` ANJOS, R.S.A. Coleção África-Brasil: Cartografia para o ensino-aprendizagem. Volume II Brasília: Mapas Editora & Consultoria, Brasília, 2007.

____________ África-Quilombos-Brasil: Átlas Geográfico. Relatório Final de Pós-Doutorado em Cartografia Étnica. Universidade de Brasília - GEA - CIGA / CNPQ / Museu Real da Áfr ica Central MRAC - Tervuren. Bruxelas - Bélgica, 2008.

____________ Quilombos: Geografia Africana-Cartografia Étnica-Territórios Tradicionais. Mapas Editora & Consultoria, 190p. Brasília, 2009.

____________ Territorialidade Quilombola: Fotos & Mapas / Quilombola Territoriality: Photos & Maps. Mapas Editora & Consultoria., 124 p. Brasília, 2011.

____________ Geopolítica da Diáspora África-América-Brasil. Séculos XV-XVI-XVII-XVIII-XIX. Referências para educação. Mapas Editora & Consultoria, 2012.

CASTRO, Y. P. “Falares africanos na Bahia – um vocabulário afro-brasileiro”. Academia Brasileira de Letras. Rio de Janeiro: Topbooks, 2001, 366p.

IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio. Rio de Janeiro: IBGE - PNAD, 1996.

MELO, A. Setenta e cinco por cento dos escravos levados para o Brasil eram Bantu. Jornal de Angola, 10/9/2008. Luanda – Angola. PMS.

OCEPLAN - Projeto MAMNBA – Mapeamento de Sítios e Monumentos Religiosos Negros na Bahia. Relatório Técnico. Salvador, 1981

Publicado
2016-07-29
Seção
Artigos