A prática como componente curricular e sua implementação em um curso de formação superior de tradutores e intérpretes de língua de sinais

  • Neiva de Aquino Albres Universidade Federal de Santa Catarina
  • José Ednilson Gomes de Souza Junior Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: Currículo, Formação de intérpretes, Ensino de tradução

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo descrever e analisar a distribuição e configuração das atividades de Prática como Componente Curricular – PCC em um curso de Bacharelado em Letras Libras (para formação de tradutores e intérpretes de Libras/Português). É uma pesquisa de cunho qualitativo e tem como instrumento de coleta de dados a análise documental (projeto político pedagógico e planos de ensino), visando a analisar como as práticas entendidas como componentes curriculares estão distribuídas no programa do curso a partir das Resoluções CNE/CP 1/2002 e CNE/CP 2/2002 e quais atividades são propostas pelos referidos professores para este fim. O aporte teórico baseia-se em contribuições dos Estudos da Tradução nas perspectivas histórico-cultural e enunciativo-discursiva da linguagem. Os resultados apontam que os professores propõem diferentes atividades, articulando as dimensões teórica e prática da profissão, o que favorece ao aluno a reflexão concernente à realidade da carreira. Apesar de a PCC haver sido idealizado inicialmente para cursos de licenciatura, apreciamos sua aplicação neste curso de bacharelado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Neiva de Aquino Albres, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora em Educação Especial (2013) pela Universidade Federal de São Carlos. Mestre em Educação (2005) pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Especialista em psicopedagogia (2002) pela Universidade Anhanguera. Licenciada em Normal Superior (2003) pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. Graduada em fonoaudiologia (1999) pela Universidade Católica Dom Bosco. Realizou estágio de pós-doutorado na Universidade de São Paulo. Professora titular na Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

José Ednilson Gomes de Souza Junior, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestre em linguística (2012) pela Universidade de Brasília. Bacharel em Comunicação Social (2007) pela Faculdade Estácio de Sá. Professor na Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Referências

ALBRES, Neiva de Aquino. Processos de produção e legitimação de saberes para o currículo de pós em Libras na formação de intérpretes. Para uma especialização? In: Anais do Congresso de Tradutores intérpretes de Língua de sinais. Eixo temático: Formação de intérpretes de língua de sinais – UFSC. 25 a 27 de novembro de 2010.

ALBRES, Neiva de Aquino. A formação de intérpretes de Libras para um serviço da educação especial. O que os currículos de cursos de especialização em Libras têm a revelar? In: VI Congresso Brasileiro Multidisciplinar de Educação Especial e VII Encontro da Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial. Londrina: Editora UEL, 2011.

ALBRES, Neiva de Aquino. Tradução intersemiótica de literatura infanto-juvenil: vivências em sala de aula. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 35, n. 2, p. 387-426, out. 2015. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2015v35nesp2p387 Acesso em: 11 set. 2018.

ALBRES, Neiva de Aquino; NASCIMENTO, Marcus Vinicius Batista. Currículo, ensino e didática em questão: dimensões da formação de tradutores/intérpretes de língua de sinais. Caderno de Letras (UFPEL), v. 2, p. 221-243, 2014.

APPLE, Michael W. A política do conhecimento oficial: faz sentido a ideia de um currículo nacional? In: MOREIRA, Antônio Flavio e SILVA, Tomaz Tadeu (orgs.). Currículo, cultura e sociedade. São Paulo: Cortez, 2002.

ALMEIDA, Elomena Barbosa. Formação do profissional Intérprete de Língua Brasileira de Sinais: focalizando o papel de professores surdos e ouvintes. Dissertação (Mestrado em Educação). Orientador: Cristina Broglia Feitosa de Lacerda. Universidade Metodista de Piracicaba. 2010.

ALMEIDA, Elomena Barboza de; LODI, Ana Claudia Balieiro. Formação de intérpretes de Libras – língua portuguesa: reflexões a partir de uma prática formativa. In: ALBRES, Neiva de Aquino NEVES, Sylvia Lia Grespan (orgs.) Libras em estudo: formação de profissionais. São Paulo: FENEIS, 2014. Série Pesquisas. pp. 109-129.

BAKHTIN, Mikhail /VOLOCHÍNOV, Vatentin. [1929]. Marxismo e filosofia da linguagem. Trad. Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. 9a ed. São Paulo: Hucitec, 1999.

BARBOSA, Alessandro Tomaz; CASSIANI, Suzani. Sentidos da prática como componente curricular nos documentos do conselho nacional de educação. Revista da sbenbio, número 7, outubro de 2014, pp. 195-204. Disponível em: http://www.sbenbio.org.br/wordpress/wp-content/uploads/2014/11/R0919-1.pdf Acesso em: jan 2019.

BORGES, Cecília; TARDIF, Maurice. Apresentação. Educação & Sociedade. Campinas, Ano XXII, n. 74, p. 11-26, Abril/2001.

BRASIL. Lei nº 11.788 de 25 de setembro de 2008. Dispõe sobre o estágio de estudantes [...]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11788.htm. Acesso em: jan 2019.

BRASIL. Resolução do CNE/CP 1, DE 18 de fevereiro de 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Disponível em:
http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_02.pdf Acesso em: jan 2019.

BRASIL. Resolução do CNE/CP 1de 18 de fevereiro DE 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_02.pdf Acesso em: jan 2019.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf Acesso em: 12 abr. 2015.

FARIA, Juliana Guimarães; GALAN-MANAS, Anabel. Um Estudo sobre a Formação de Tradutores e Intérpretes de Língua de Sinais. Trab. linguist. apl., Campinas , v. 57, n. 1, p. 265-286, abr. 2018 . Disponível em . Acesso em: 11 set. 2018.

FERREIRA, Daiane. Estudo comparado de currículos de cursos de formação de tradutores e intérpretes de Libras-Português no contexto brasileiro. Dissertação de mestrado em Estudos da Tradução. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

LACERDA, Cristina Broglia Feitosa de. Tradutores e intérpretes de Língua Brasileira de Sinais: formação e atuação nos espaços educacionais inclusivos. Cadernos de Educação (UFPel), v. 36, p. 133-153, 2010.

LIBÂNEO, José Carlos. Produção de saberes na escola: suspeitas e apostas. In: CANDAU, Vera Maria. (org.). Didática, currículos e saberes escolares. Rio de Janeiro: DP&A, 2002 pp.11-44.

MARSCHARK, Marc; PETERSON, Rico; WINSTON, Elizabeth A. Sign Language Interpreting and Interpreter Education: Directions for Research and Practice. Oxford & New York: Oxford University Press, 2005.

MARTINS, Vanessa Regina de Oliveira; NASCIMENTO, Vinícius. Da formação comunitária à formação universitária (e vice e versa): novo perfil dos tradutores e intérpretes de língua de sinais no contexto brasileiro. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 35, n. 2, p. 78-112, out. 2015. Disponível em: . Acesso em: 11 set. 2018.

MATTOS, Delton de. A formação do tradutor em nível universitário. Brasília: Horizonte, 1980. Série Universitária Brasília.

MILLER, Stela. Reflexões acerca da proposta bakhtiniana para uma metodologia do estudo da língua e implicações sobre a profissão docente. In: MENDONÇA, S. G. de L.; SILVA, V. P. e MILLER, S. Marx, Gramsci e Vigotski. Araraquara, SP: Junqueira & Marin; Marília, SP: Cultura Acadêmica, 2009. p. 475-486.

MONTEIRO, Francisca Ocilma Mendes. A prática como Componente Curricular na formação de professores do Curso de Licenciatura em Biologia do IFPI campus Floriano. Dissertação de mestrado. Programa de pós-graduação em educação. Universidade do vale do rio dos sinos – UNISINOS. 2013. Disponível em: http://www.seduc.pi.gov.br/arquivos/325339141.projeto_apos_qualificacao_e_correcao.pdf Acesso em jan. 2019.

MONTEIRO, Júlio C. Neves. Ensino de Tradução: algumas reflexões sobre a prática de tradução no par espanhol-português. In: FERREIRA, Alice Maria de A.; SOUSA, Germana Henrique P.; GOROVITZ, Sabine. A Tradução na Sala de Aula: ensaios de teoria e prática de tradução. Brasília: Editora UnB, 2014.

MORAES, Sandra Regina Pires de. Prática como componente curricular. Roda de conversa. Universidade Estadual de Goiás – UEG. Disponível em: http://www.cdn.ueg.br/arquivos/PRG/conteudoN/3108/MATERIAL_-_PRATICA_COMO_COMPONENTE_-_PROFA_SANDRA_MORAES.pdf Acesso em jan. 2019.

MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa. O campo do currículo no Brasil: os anos noventa. In: CANDAU, Vera Maria (org.). Didática, currículos e saberes escolares. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

NAPIER, Jemina. International perspectives on sign language interpreter education. Gallaudet University Press, 2009.

NASCIMENTO, M. V. B. ; BEZERRA, T. C. ; ALBRES, N. A. ; SANTIAGO, Vânia de Aquino Albres. Formação de intérpretes educacionais de libras: entre. In: V Congresso Brasileiro de Educação Especial (V CBEE) / VII Encontro Nacional dos Pesquisadores da Educação Especial (VII ENPEE). São Carlos: UFSCar, 2012. v. 5. p. 11745-11760.
NASCIMENTO, M. V. B. Gêneros do discurso e verbo-visualidade: dimensões da linguagem para a formação de Tradutores/Intérpretes de Libras/Português. In: BRAIT, Beth; MAGALHÃES, Anderson (Org.). Dialogismo: teoria e(m) prática. São Paulo: Terra Cota, 2014.

QUADROS, Ronice M. Letras Libras: ontem, hoje e amanhã. Florianópolis: Editora UFSC, 2015.

ROSSI, Ana Helena. Traduzir: aspectos metodológicos e didáticos no ensino da tradução. In: FERREIRA, Alice M de A. et al. A tradução na sala de aula: ensaios de teoria e prática de tradução. Brasília: Editora UnB, 2014.

ROY, Cynthia B. Innovative Practices for Teaching Sign Language Interpreters. Washington D.C.: Gallaudet Press, 2002.

ROY, Cynthia B. Advances in Teaching Sign Language Interpreters. Washington D.C.: Gallaudet Press, 2005.

SANTOS, Silvana. A. Intérpretes de língua de sinais: Um estudo sobre as identidades. Dissertação de mestrado em Educação. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006.

SILVA, César Augusto de Assis. Cultura Surda: agentes religiosos e a construção de uma identidade. São Paulo: Terceiro Nome, 2012.

SOUSA, Aline Nunes de. LEMOS, Andréa Michiles. A avaliação no curso de formação de intérpretes da associação de intérpretes/tradutores de libras do Ceará. In: Anais do Congresso de Tradutores intérpretes de Língua de sinais. Eixo temático: Formação de intérpretes de língua de sinais – UFSC. 25 a 27 de novembro de 2010. Disponível em:http://www.congressotils.com.br/anais/anais2010/andrea_michiles_lemos.pdf

SOUZA NETO[A], Samuel de; SILVA, Vandeí Pinto da. Prática como Componente Curricular: questões e reflexões. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 14, n. 43, p. 889-909, set./dez. 2014.

TAGNIN, Stella E. O. Produção de glossários direcionados pelo corpus e orientados ao tradutor como metodologia de formação de tradutores. In: Anais do X Encontro Nacional de Tradutores & IV Encontro Internacional de Tradutores (ABRAPT-UFOP, Ouro Preto, de 7 a 10 de setembro de 2009). Disponível em: http://comet.fflch.usp.br/sites/comet.fflch.usp.br/files/u30/GLOSSARIOS.pdf Acesso em: jan. 2019.

UFSC. Projeto político pedagógico do curso de letras libras Licenciatura e Bacharelado Modalidade Presencial Currículo 2012.1. Disponível em: . Acesso em: jan. 2019.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

WASLI. Wasli Interpreter Education Guidelines. Disponível em: Acesso em: 11 set. 2018.
Publicado
2019-01-31
Como Citar
Albres, N., & Souza Junior, J. (2019). A prática como componente curricular e sua implementação em um curso de formação superior de tradutores e intérpretes de língua de sinais. Belas Infiéis, 8(1), 163-188. https://doi.org/10.26512/belasinfieis.v8.n1.2019.22632
Seção
Artigos