Tradutor e Intérprete de Língua Brasileira de Sinais: experiências narradas no estado do Rio Grande do Sul

  • Lucas de Almeida Soares Instituto Federal Sul-Rio-Grandense
  • Saionara dos Santos Figueiredo Instituto Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: Intérprete de Libras, Formação profissional, Código de Ética, Interpretação educacional

Resumo

Este artigo é fruto das narrativas contadas por uma amostragem de Tradutores e Intérpretes de Libras – TILS – em cidades do Rio Grande do Sul. A partir da análise dessas falas, pretendeu-se expor a fragilidade que esse profissional se encontra; de um lado, o seu cliente, que exige uma fluência, domínio linguístico e certificação; de outro lado, os impasses de algumas instituições que não entendem o papel social deste profissional. Através das experiências coletadas a partir de entrevistas realizadas, enumerou-se categorias de análise, que facilitou a organização e análise dos dados. Percebeu-se que, apesar de haver pesquisas na área de tradução/interpretação da Libras, ainda há escassez de estudos sobre o profissional que a realiza. Sugere-se, portanto, que haja debate e pesquisa constante que avalie as condições de trabalho na qual a profissão é subjugada, além da legislação vigente, garantindo a dignidade do sujeito neste contexto. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBRES, N.A.; DE LACERDA, C.B.F. Interpretação educacional como cmapo de pesquisa: estudo bibliométrico de publicações internacionais e suas marcas no campo nacional. Cadernos de Tradução, v.1, n.31,2013.

ALBRES, N.de A. Intérprete educacional: políticas e práticas em sala de aula inclusiva. São Paulo: Harmonia, 2015.

ALBRES, N.de A. Dignidade acadêmica dos Estudos da Tradução. Disponível em: http://interpretaremlibras.blogspot.com.br/2009/03/dignidade-academica-dos-estudos-da.html Acesso: dezembro 2018

ALBRES, N.de A. A tradução e interpretação em Língua de Sinais como objeto de estudo: produção acadêmica: 1980 a 2006. In: 2º Encontro dos profissionais tradutores intérpretes de línguas brasileira de sinais de Mato Grosso do Sul. 2º EPILMS, 2006, Campo Grande. Anais do 2º EPILMS, v. 2. Campo Grande – MS: APILMS, 2006.

ANATER, G.,I.,P.; PASSOS, G.,C.,R., Tradutor e intérprete de Língua de Sinais: história, experiências e caminhos de formação, 2010. Disponível em: https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=2&cad=rja&ved=0CDEQFjAB&url=http%3A%2F%2Fperiodicos.ufsc.br%2Findex.php%2Ftraducao%2Farticle%2Fdownload%2F2175-7968.2010v2n26p207%2F14229&ei=LU5cUsGwFoLvqwHgzYCQBQ&usg=AFQjCNHfbm2FquD2HFki2P8au4MzY5PCWA Acesso: dezembro 2018

BARAZZUTTI, V. A desconstrução da oposição entre surdos e ouvintes a partir da (des)territorialização do intérprete de língua de sinais. 117p. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão. Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução, Florianópolis, 2012.

BELÉM, L.J.M. A atuação do intérprete educacional de Língua Brasileira de Sinais no ensino médio. 139p. Dissertação (mestrado). Universidade Metodista de Piracicaba, Faculdade de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Educação, Piracicaba, 2010.

BRAGA, B.,C.; TRINDADE, C.,C.,B. Intervençãofisioterápicaemlesõesporesforçosrepetitivosdecorrentes da utilização da LínguaBrasileira de SinaisContidoem: Salão de IniciaçãoCientífica (19. : 2007 : Porto Alegre, RS). Livro de resumos. Porto Alegre: UFRGS, 2007. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/57158 Acesso: dezembro 2018

BRASIL, Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Diretoria de Avaliação da Educação Básica. Atendimento Diferenciado ao ENEM. Brasília – DF, 2012. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_basica/enem/nota_tecnica/2012/atendimento_diferenciado_enem_2012.pdf Acesso: dezembro 2018

BRASIL, Presidência da República, Casa Civil, Subchefia Imediata para Assuntos Jurídicos. Decreto 5.626 de 22 de dezembro de 2005. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm Acesso: dezembro 2018

CONSTANCIO, R. F. J. O intérprete de Libras no ensino superior: sua atuação como mediador entre língua portuguesa e a língua de sinais. 106 p. Dissertação (Mestrado). Centro Universitário Moura Lacerda, Programa de Pós-Graduação em Educação, Ribeirão Preto – SP, 2010.

COSTA, L. M. O tenso do intérprete de Libras no contexto do bilinguismo e o pretexto da inclusão. 109 p. Dissertação (Mestrado). Universidade Católica de Pernambuco, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem, Recife, PE, 2008.

GURGEL, T. M. A. Práticas e formação de tradutores intérpretes de língua brasileira de sinais no ensino superior. 167p. Tese (Doutorado) – Universidade Metodista de Piracicaba, Faculdade de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação, Piracicaba, SP, 2010.

LACERDA, C. B. F. A inclusão escolar de alunos surdos: o que dizem alunos, professores e intérpretes sobre essa experiência. Cad. Cedes, v. 26, n. 69, Campinas, p. 163-184, 2006.

LACERDA, C. B. F. Tradutores e intérpretes de Língua Brasileira de Sinais: Formação e atuação nos espaços educacionais inclusivos. Cadernos de Educação (Ufpel), v. 36, p.133-153, 2010.

LACERDA, C. B. F. A atuação do intérprete de Libras nos espaços educacionais: necessidades formativas. IN: I Congresso Nacional de Pesquisa em Tradução e Interpretação de Língua de Sinais Brasileira, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC [não publicado], 2008.

LACERDA, C. B. F. O intérprete educacional de língua de sinais no ensino fundamental: refletindo sobre limites e possibilidades. IN: Ana Cláudia Lodi; Kathryn Pacheco Harrison; Sandra Leite de Campos; Ottmar Teske. (Org). Letramento e Minorias. Led. Porto Alegre: Editora Mediaão, v. p. 120-128. 2002.

MAGALHÃES JUNIOR, E. Sua majestade o intérprete: O fascinante mundo da interpretação simultânea. São Paulo: Parábola Editorial, 2007.

MARTINS, V. R. O. Educação de Surdos no paradoxo da inclusão com intérprete de língua de sinais: relações de poder e (re) criações do sujeito. 140p. Dissertação (Mestrado). Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Campinas-SP, 2008.

MARTINEZ, M. C.; PARAGUAY, A. I. B. B. Satisfação e saúde no trabalho: aspectos conceituais e metodológicos. Cadernos de psicologia social do trabalho, 2003, 6: 59-78.

MASUTTI, M., L.; SANTOS, S., A. Intérpretes de Língua de Sinais: uma política em construção. In: QUADROS, R., M., (Org.). Estudos Surdos III, Petrópolis, RJ Arara Azul, 2008. Páginas 148-160. Disponível em: http://www.libras.ufsc.br/colecaoLetrasLibras/eixoFormacaoEspecifica/traducaoEInterpretacaoDaLinguaDeSinais/assets/767/Link_Texto_1.pdf Acesso: dezembro 2018

NICOLOSO, S. Uma investigação sobre marcas de gênero na interpretação de língua de sinais brasileira. 200 p. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciência da Comunicação, Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução, Florianópolis, 2010.

PASSOS, G. C. R. Os intérpretes de língua de sinais: atitudes frente a língua de sinais e às pessoas surdas. 142 p. Dissertação (Mestrado), Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão, Programa de Pós-Graduação em Linguística, Florianópolis, 2010.

PÉREZ-RAMOS, J. Satisfação no trabalho: metas e tendências. Tese de Livre-docência, Instituto de Psicologia de Assis, Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho, Assis, 1980.
QUADROS, R. O tradutor e intérprete de língua brasileira de sinais e língua portuguesa. Brasília: SEESP, 2002, 94p.

QUADROS, R. O tradutor e intérprete de língua brasileira de sinais e língua portuguesa. SEESP, 2004.

QUARESMA, J.; BONI, V. Aprendendo a entrevistar: como fazer entrevistas em Ciências Sociais. Revista Eletrônica dos Pós-Graduandos em Sociologia Política da UFSC, Florianópolis, Vol. 2 nº 1 (3), janeiro-julho/2005, p. 68-80. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/emtese/article/view/18027/16976 Acesso: dezembro 2018

ROSA, A. da S. Entre a visibilidade da tradução da língua de sinais e a invisibilidade da tarefa do intérprete. 179 p. Dissertação (Mestrado). Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Campinas – SP, 2005.

RUSSO, A. Intérprete de Língua Brasileira de Sinais: uma posição discursiva em construção. UFRGS. Porto Alegre, 2009. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/21851/000738782.pdf Acesso: dezembro 2018

SANTOS, S. A. Intérpretes de Língua brasileira de sinais: um estudo sobre as identidades. Florianópolis, SC, 2007, v.188. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação, Florianópolis-SC, 2006.

SANTOS, J. Tradutor intérprete de Libras: Consolidando o trabalho em dupla. Trabalho apresentado no Congresso TILS, 2012, disponível em: http://www.congressotils.com.br/anais/tils2012_politicasdetraducao_santos.pdf Acesso: dezembro 2018

SANTOS, S.,F.Reino da Felicidade: comunidade surda e língua brasileira de sinais – relatos de uma professora surda – Ufpel. No prelo 2014.

SOUZA, S.X. Performances de tradução para a Língua Brasileira de Sinais observadas no curso de Letras Libras – Florianópolis. 174p. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão, Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução, Florianópolis, 2010.
Publicado
2019-01-31
Como Citar
Soares, L., & Figueiredo, S. (2019). Tradutor e Intérprete de Língua Brasileira de Sinais: experiências narradas no estado do Rio Grande do Sul. Belas Infiéis, 8(1), 75-92. https://doi.org/10.26512/belasinfieis.v8.n1.2019.22618
Seção
Artigos