O Coda, filhos ouvintes de pais surdos, e a Tradução e Interpretação de Libras:

O que encontramos?

  • Maitê Maus da Silva Universidade Federal de Pelotas
Palavras-chave: Codas, Tradutores Intérpretes, Língua de Sinais, Experiências da Infância

Resumo

Neste artigo será apresentada uma breve revisão bibliográfica de trabalhos acadêmicos que versam sobre a atuação e mediação linguística do Coda – filhos ouvintes de pais surdos, usuários e intérpretes de Libras durante a infância, bem como uma análise teórica dessas produções. Este trabalho tem uma abordagem qualitativa e traz como instrumentos de investigação cinco textos acadêmicos: dois artigos e três dissertações que foram publicadas até o ano de 2016. Trata-se de um recorte da dissertação da proponente deste estudo, que foi publicada em 2016 pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução da UFSC. Diante do referido estudo, concluímos que as experiências desses sujeitos vão além da escolha pela profissão de Tradutores e Intérpretes de Libras, influenciando, também, as suas produções acadêmicas, compartilhando, além das histórias de vida e escolhas profissionais, os relatos que fortalecem a necessidade de investigação das questões relacionadas ao sujeito Coda e suas vivências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRAMS, C. The Silents. Washington, DC: Gallaudet University Press, 1996.

ANDRADE, P. Regis. Identidades de filhos ouvintes quando os pais são surdos: uma abordagem sociológica sobre o processo de socialização. 2011. 129f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2011.

BASSNETT, Susan. Estudos da tradução. Trad. Sônia Terezinha Gehring, Leticia Vasconcellos Abreu, Paula Azambuja Rossato Antinolfi. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2005.

CAMPOS, Geir. O que é tradução. São Paulo: Brasiliense, 1986. (Coleção Primeiros Passos).

DAVIS, L. My Sense of Silence: Memoirs of a childhood with deafness. Urbana: Universityof Illinois Press,2001.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tupy Kurumin, 2006.

LIMA, S. Elcivanni. Discurso e Identidade: Um olhar crítico sobre a atuação do(a) intérprete de Libras na educação superior.Dissertação, (Mestrado em Linguística) Programa de Pós graduação Linguística da Universidade Federal de Brasília, Brasília (2006).

MASUTTI, Mara Lúcia. Tradução cultural: desconstruções logofonocêntricas em zonas de contato entre surdos e ouvintes. 2007. 165f. Tese (Doutorado em Literatura) – Centro de Comunicação e Expressão, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2007.

OLIVEIRA, Sonia Marta de. CODA: Um mundo, duas culturas? Dois mundos, duas culturas? In: QUADROS, Ronice Muller de; WEININGER, Markus J. Estudos da Língua Brasileira de Sinais. Florianópolis: Insular, 2014. Cap. 12. p. 277-286. (Volume III).

PAGURA, Reynaldo. A interpretação de conferências: Interfaces com a Tradução Escrita e Implicações para a Formação de Intérpretes e Tradutores. DELTA, 19: Especial. 2003, p. 203- 236. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502003000300002. Acesso em: 10 jun. 2016.

PEREIRA, Osmar Roberto. Nascidos no Silêncio: As relações entre filhos ouvintes e pais surdos na Educação. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo, 2013.

PERLIN, Gladis Teresinha Taschetto. O ser e o estar sendo surdos: alteridade, diferença e identidade. 2003.Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 2003

PRESTON, Paul. Mother father deaf: living between sound and silence. First Harvard University Press, 1995.

QUADROS, R. M. de; MASUTTI, M. L. Codas brasileiros: Libras e português em zonas de contato. In: Estudos Surdos II. Petrópolis: Rio de Janeiro,2007.

RODRIGUES, Carlos Henrique. A interpretação para a Língua de Sinais Brasileira: efeitos de modalidade e processos inferenciais. 2013. Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2013.
SEGALA, Rimar Ramalho. Tradução intermodal e intersemiótica/interlingual: português brasileiro escrito para Língua Brasileira de Sinais. 2010. Dissertação (Mestrado em Tradução) – Centro de Comunicação e Expressão, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis,2010.

SILVA, Maitê Maus. Codas tradutores e intérpretes de língua de sinais brasileira: percurso para o profissionalismo. 2016. Dissertação (Mestrado em Tradução) – Centro de Comunicação e Expressão, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2016.

SOBRAL, Adail. Posfácio. In: BENEDETTI, Ivone C. & SOBRAL, Adail (Org.) Conversas com tradutores: balanços e perspectivas da tradução. São Paulo: Parábola, 2008, pp. 201-214.

SOUZA, José Carlos F. INTÉRPRETES CODAS: Construção de identidades. 2014. Dissertação (Mestrado em Tradução) – Centro de Comunicação e Expressão, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014.

SOUZA, José Carlos F. Intérpretes Codas: Language Brokering e a Profissão de Intérprete de Libras. Anais do V Congresso de Tradução e interpretação das Línguas de Sinais, UFSC, Florianópolis, 2014.

STAKE, Robert E. Pesquisa qualitativa: Estudando como as coisas funcionam. Tradução: Karla Reis.Porto Alegre: Penso, 2011.

THEODOR, Erwin. Tradução: ofício e arte. 3ªed. São Paulo: Cultrix, 1976.
Publicado
2019-01-31
Como Citar
Silva, M. (2019). O Coda, filhos ouvintes de pais surdos, e a Tradução e Interpretação de Libras:. Belas Infiéis, 8(1), 37-53. https://doi.org/10.26512/belasinfieis.v8.n1.2019.22611
Seção
Artigos