A tradução de textos sagrados em Libras:

os Dez Mandamentos atravessados por diferentes vozes discursivas

  • Arlene Batista da Silva Universidade Federal do Espirito Santo
  • Eliana Firmino Burgarelli Ribeiro Universidade Federal do Espírito
Palavras-chave: Libras, Textos sagrados, Os Dez Mandamentos

Resumo

Este estudo visa a investigar a tradução de textos sagrados para Língua Brasileira de Sinais (Libras), tendo em vista a utilização desses materiais na formação de tradutores e intérpretes de Libras dentro e fora das instituições religiosas. Para tanto, valer-se-á das contribuições teóricas de Bakhtin (1992; 2003) e Sobral (2008), Gohn (2001), Jonings (2003) entre outros, a fim de conhecer os modos como o discurso divino é produzido e os elementos contextuais que interferem na produção desses objetos culturais. No desenvolvimento deste trabalho, foi realizada uma pesquisa bibliográfico-documental, recortando como objeto de análise dois vídeos traduzidos para Libras por duas instituições religiosas distintas, baseados no texto bíblico descrito em Êxodo 20:1-17, que trata dos “Dez mandamentos”. Os resultados revelam que a atuação dos tradutores e suas escolhas tradutórias são diretamente influenciadas pelas instituições religiosas e seus discursos, pelos dispositivos de controle e pelos lugares sociais que esses sujeitos ocupam no interior dessas instituições.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ASSIS SILVA, C. A. Cultura surda: agentes religiosos e a construção de uma identidade. São Paulo: Terceiro Nome, 2011.

BAKHTIN, M. M. Os gêneros do discurso. IN: Estética da criação verbal. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BAKHTIN, M. M. (VOLOCHINOV. V. N.) Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. 11 ed. São Paulo: Hucitec, 1992.

BARBOSA, Heloisa Gonçalves. Procedimentos técnicos da tradução: uma nova proposta. Campinas: Editora Pontes, 2004.

FILHO, J. C.; COIMBRA, D. P. Um estudo exegético em êxodo 20.1-6. Monografia, 2009. Faculdade de Educação Teológica da Amazônia. Disponível em <http://www.metodistavilaisabel.org.br/docs/UM-ESTUDO-EXEG%C3%89TICO-EM-EXODO-20.pdf>. Acesso em: 01 mar. 2018.

GOHN, C. Pesquisas em torno de textos sensíveis: os livros sagrados. IN: PAGANO, A. S. (Org.). Metodologias de pesquisa em tradução. Belo Horizonte: Faculdade de Letras, UFMG, 2001. p. 147-170.

KEELEY, R. Fundamentos da Teologia Cristã. Traduzido por: Yolanda Krievin. São Paulo: Vida, 2000.

KONINGS, J. Tradução e traduções da Bíblia no Brasil. Revista Perspectiva Teológica, v.35, 2003, pp. 215 - 238. Disponível em: <http://www.faje.edu.br/periodicos/index.php/perspectiva/article/viewFile/574/998>. Acesso em 01 mar. 2018.

NAPOLITANO, M. “Fontes audiovisuais: a história depois do papel” IN: PINSKY, Carla (Org). Fontes históricas. São Paulo, Contexto, 2010.

NEVES, M.H.M; LOPES, M.M.M. Texto Bíblico e “tradução”: a “voz divina” no plano humano da coenunciação. Cadernos de Tradução [online]. 2016, v. 36, n.2 p. 205-236. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.5007/2175-7968.2016v36n2p205> Acesso em: 01 mar. 2018.

SELLIN, E.; FOHRER, G. Introdução ao Antigo Testamento: livros históricos e códigos legais. Traduzido por: D. Mateus Rocha. São Paulo: Paulinas, 1977, vol. 1.

SOBRAL, A. Dizer o 'mesmo' a outros: ensaios sobre tradução. São Paulo: SBS-Special Book Services, 2008.

Publicado
2019-01-31
Como Citar
SilvaA. B. da, & RibeiroE. F. B. (2019). A tradução de textos sagrados em Libras:. Belas Infiéis, 8(1), 15-35. https://doi.org/10.26512/belasinfieis.v8.n1.2019.13012
Seção
Artigos