Lei, Amizade e participação política em Aristóteles após o biological turn, reflexões preliminares sobre um novo paradigma hermenêutico.

  • Daniel Simão Nascimento Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Abstract

Este artigo tem quatro objetivos. O primeiro deles é mostrar que dois debates contemporâneos de grande importância para a filosofia política aristotélica – a saber, o debate acerca do laço que liga ou deve ligar os cidadãos de uma comunidade política e o debate acerca da importância da participação política no que diz respeito ao alcance da felicidade – devem ser compreendidos em conjunto com o movimento hermenêutico que chamamos hoje de biological turn. Como veremos, a maneira como respondemos a essas duas questões influencia ainda uma terceira, a saber, a questão acerca da importância e da função da lei para a comunidade política tal como pensada por Aristóteles. O segundo objetivo é resumir os principais argumentos apresentados nos ditos debates apontando sua pertinência e as suas falhas. O terceiro objetivo é ressaltar um ponto de considerável importância para ambos os debates que não recebeu a devida atenção por parte dos comentadores. Sendo impossível alcançar uma resposta definitiva a respeito das duas questões no espaço que temos aqui, o último objetivo do presente artigo é indicar um possível caminho para futuras investigações.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biography

Daniel Simão Nascimento, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Possui graduação em História pela Universidade Federal Fluminense (2003) e mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2007). Atualmente cursa o doutorado em filosofia na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, tendo ingressado no primeiro semestre de 2009. Concluiu em setembro de 2012 o estágio de doutorado sanduíche, na Universidade Paris 1 – Panthéon Sorbonne, sob a orientação da Prof. Annick Jaulin.

Published
2015-07-27
How to Cite
Nascimento, D. (2015). Lei, Amizade e participação política em Aristóteles após o biological turn, reflexões preliminares sobre um novo paradigma hermenêutico. Archai: The Origins of Western Thought, 15(15), 59. https://doi.org/10.14195/1984-249X_15_6