PRÁTICAS METODOLÓGICAS DE ENTREVISTA DE FAMILIARES E ENVOLVIDOS COMO FONTE DA ANÁLISE DE CONTEXTO E MEMÓRIA HISTÓRICA: reflexões da antropologia forense no México

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Albertina Ortega Palma
Petra Soraya Macuilxóchitl Mejía Jímenez

Resumo

Ante a problemática da diversidade de violências às quais muitas famílias são submetidas, uma delas é o desaparecimento de seus entes queridos, sua busca e posterior descoberta, sendo esta geralmente sem vida. O processo de recuperação e de identificação passa por diferentes fases, nas quais é necessário um trabalho e abordagem interdisciplinar, no qual a antropologia forense e social pode contribuir para facilitar o processo e potencializar o êxito na identificação; isto é feito principalmente através da entrevista ante mortem. Neste trabalho é demonstrada a importância das técnicas etnográficas e sociais para abordar melhor as famílias, estabelecer um vínculo de empatia e confiança, e analisar o contexto. Ele também deixa claro a necessidade de uma mudança no pensamento do antropólogo forense para parar de ver os restos dos corpos sem vida como meros objetos de estudo para torná-los sujeitos sociais que podem ser fonte de informação biológica, social e histórica.


 

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Ortega Palma, Albertina, e Petra Soraya Macuilxóchitl Mejía Jímenez. 2019. PRÁTICAS METODOLÓGICAS DE ENTREVISTA DE FAMILIARES E ENVOLVIDOS COMO FONTE DA ANÁLISE DE CONTEXTO E MEMÓRIA HISTÓRICA:. Abya-Yala: Revista Sobre Acesso à Justiça E Direitos Nas Américas 3 (2), 120-39. https://doi.org/10.26512/abya-yala.v3i1.23702.
Seção
Dossiê