Ações afirmativas, assistência estudantil e Serviço Social: uma análise a partir do perfil discente da UFSC e UFJF

  • Cláudia Priscila dos Santos Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL)
  • Heide de Jesus Damasceno Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL)
  • Jorge Manuel Leitão Ferreira Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL)
Palavras-chave: ações afirmativas, assistência estudantil, Serviço Social

Resumo

O artigo apresenta uma análise do perfil dos estudantes ingressantes na universidade, por via de política de ações afirmativas, as demandas à assistência estudantil e a intervenção do assistente social neste âmbito. Discute os critérios do sistema de cotas, considerando as características sociais e econômicas dos estudantes ingressantes no ensino superior em duas universidades federais brasileiras, reconhecendo as desigualdades de acesso que foram impostas à população negra neste nível de educação (SANTOS; SOUZA; SASAKI, 2013). A pesquisa de campo foi orientada por uma abordagem qualitativa e quantitativa. Realizamos estudos bibliográficos e documentais, além de coleta de dados com questionário on-line aplicado aos estudantes bolsistas que ingressaram nas respectivas universidades pelas ações afirmativas e pela ampla concorrência. Mesmo não havendo diferenças de perfil dos estudantes a partir dos critérios das ações afirmativas, há uma diversidade de demandas subjetivas às quais a assistência estudantil e a atuação do Serviço Social ainda não respondem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cláudia Priscila dos Santos, Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL)

Doutora em Serviço Social no Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL), mestre em Serviço Social pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), assistente social da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae/UFSC). Investigadora do Núcleo de Doutorandos em Serviço Social do ISCTE – Latino América (Nudla/ISCTE).

Heide de Jesus Damasceno, Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL)

Doutoranda em Serviço Social no Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL). Graduada e mestre em Serviço Social pela Universidade Federal de Sergipe. Especialista em Serviço Social: direitos sociais e competências profissionais pela Universidade de Brasília (UnB). Assistente social do Instituto Federal da Bahia/Campus de Salvador.

Jorge Manuel Leitão Ferreira, Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL)

Professor auxiliar do Departamento de Sociologia e Políticas Públicas do Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL). Doutor em Serviço Social pelo ISCTE-IUL. Mestre em Serviço Social pelo Instituto Superior de Serviço Social de Lisboa (ISSSL). Investigador do Centro de Investigação em Estudo em Sociologia (Cies/IUL). Supervisor científico do Núcleo de Doutorandos em Serviço Social do ISCTE – Latino América (Nudla/ISCTE).

Referências

ABREU, Marina Maciel; CARDOSO, Franci Gomes. Mobilização Social e práticas educativas. In: Serviço Social: direitos sociais e competências profissionais. Brasília: CFESS/ABEPSS. 2009.

ALMEIDA, N. L. T. de. Parecer sobre os projetos de lei que dispõem sobre a inserção do Serviço Social na Educação. [S.l: s.n.], 2005.

ALVES, J. A assistência estudantil no âmbito da política de educação superior pública. Serviço Social em Revista, v. 5, n. 1, 2002. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/ssrevista/c_v5n1_Jo.htm>.

BERALDO, A. F. D. C. A. et al. Política de cotas na UFJF. Análise dos resultados. Juiz de Fora, 2008.

BRASIL. Lei no 1234. Programa Nacional de Assistência Estudantil (Pnaes). Diário Oficial da União. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Decreto/D7234.htm>, 2010.

BRASIL. Lei no 12.711. Lei de Ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio. Brasília: Presidência da República, 2012.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). IDEB: Índice de Desenvolvimento da Educação Básica de 2011. Brasília, 2012.

DAMASCENO, H. J. Serviço social na educação: a intersetorialidade no exercício profissional do assistente social no IFBA. Aracaju-SE: UFSE, 2013. Disponível em: <http://bdtd.ufs.br/handle/tede/2559>.

FERREIRA, C. M. O negro na gênese do Serviço Social: Brasil, 1936-1947. Rio de Janeiro: UFRJ, 2010.

FERREIRA, J. Serviço Social: profissão e ciência. Contributos para o debate científico nas ciências sociais. Cuadernos de Trabajo Social, v. 27, p. 329-341, 2014.

GILGUN, J. Methods for Enhancing Theory and Knowledge about Problems, Policies, and Practice. In: SHAW, I. (Org.). The Sage handbook of Social Work research. York: Sage Publications Inc, 2010. p. 281-297.

GUIMARÃES, A. S. A. Como trabalhar com “raça” em sociologia. Educação e Pesquisa, v. 29, n. 1, p. 93-107, 2003.

IAMAMOTO, M. A questão social no capitalismo. Temporalis, v. 2, n. 3, 2001.

Publicado
2018-11-13
Como Citar
DOS SANTOS, C.; DAMASCENO, H.; FERREIRA, J. M. Ações afirmativas, assistência estudantil e Serviço Social: uma análise a partir do perfil discente da UFSC e UFJF. SER Social, v. 20, n. 43, p. 241-267, 13 nov. 2018.