Tecnologias de apoio a Gestão do Conhecimento: uma abstração por conceito, taxonomia e tipologia

Fábio Corrêa, Mariana Emery de Lacerda, Fabrício Ziviani, Renata de Souza França, Jurema Suely de Araújo Nery Ribeiro

Resumo


No decorrer de 24 anos do desenvolvimento da gestão do conhecimento a tecnologia da informação fora tratada como um dos seus pilares. Diversas menções relacionadas a ferramentas tecnológicas são identificadas na literatura, no entanto a visualização destas é difusa em detrimento aos avanços tecnológicos e tratativas relacionadas a manipulação do conhecimento. Neste âmbito, este estudo tem por objetivo propor uma visão dos conceitos tecnológicos que apoiam a gestão do conhecimento, organizados em níveis, de forma a permitir a navegação cognitiva sobre tais elementos. Metodologicamente, este estudo imprime abordagem qualitativa nas análises e se classifica pela natureza exploratória descritiva, por prover organização dos elementos explorando e descrevendo as relações identificadas. Por resultado tem-se, a luz da literatura científica, a organização de 28 conceitos de ferramentas tecnológicas agrupados em nove taxonomias, sendo estas situadas em oito tipologias de softwares. Acredita-se que este estudo venha a fundamentar a percepção da infindável relevância da tecnologia para a gestão do conhecimento, bem como contribuir com uma consolidação ampliada das ferramentas tecnológicas de apoio a este campo de estudo, por meio de uma visualização em níveis de conceitos, taxonomias e tipologias, permitindo a inserção de novas tecnologias de forma a visar a manutenibilidade da classificação proposta.



Palavras-chave


Conceitos tecnológicos; Gestão do Conhecimento; Taxonomia de conceitos; Tecnologia da informação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBAGLI, S.; MACIEL, M. L. Informação e conhecimento na inovação e no desenvolvimento local. Ciência da Informação, Brasília, v. 33, n. 3, p. 9-16, set./dez., 2004.

ALCANTARA, F. C.; SILVA, H. F. N.; TSUNODA, D. F. Redes de conhecimento sob a ótica das redes complexas. Datagramazero, Rio de Janeiro, v. 14, n. 1, 2013.

ALMEIDA, J. L. S.; DUARTE, E. N. Evolução e tendências das pesquisas em gestão do conhecimento no campo da ciência da informação. Biblionline, João Pessoa, v. 7, n. 2, p. 35-51, 2011.

ALMEIDA, M. B. A necessidade de integração de fontes heterogêneas de dados em projetos de gestão do conhecimento. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 7, n. 1, p. 69-77, jan./jun., 2002.

ALVARENGA NETO, R. C. D.; BARBOSA, R. R.; CENDÓN, B. V. A construção de metodologia de pesquisa qualitativa com vistas à apreensão da realidade organizacional brasileira: estudos de casos múltiplos para proposição de modelagem conceitual integrativa. Informação & Sociedade, João Pessoa, v. 16, n. 2, p. 63-78, jul./dez., 2006.

ALVARES, L.; BAPTISTA, S. G.; ARAÚJO JÚNIOR, R. H. Gestão do conhecimento: categorização conceitual. Em Questão, v. 16, n. 2, p. 235 - 252, jul./dez., 2010.

AMARAL, S. A. Gestão da informação e do conhecimento nas organizações e a orientação de marketing. Informação & Informação, Londrina, v. 13, n. esp., p. 52-70, 2008.

ANGELONI, M. T. Organizações do conhecimento: infraestrutura, pessoas e tecnologias. São Paulo: Saraiva, 2002.

AQUINO, M. A. et al. Dissonâncias e assimetrias na produção de conhecimento na UFPB (in)visibilidade de temas sobre negros (as). Biblionline, João Pessoa, v. 6, n. 1, p. 110-124, 2010.

ARAUJO, S. S. S.; MOURA, M. A. Representações sociais sobre informação e conhecimento na educação a distância: um estudo de caso na UFMG. Encontros Bibli, v. 17, n. 33, p. 79-96, jan./abr., 2012. DOI: 10.5007/1518-2924.2012v17n33p79

AUTRAN, M. M. M. et al. A transferência do conhecimento para o setor produtivo: experiência de uma parceria. Biblionline, João Pessoa, v. 4, n. 1/2, 2008.

BARBOSA, R. R. Gestão da informação e do conhecimento: origens, polêmicas e perspectivas. Informação & Informação, Londrina, v. 13, n. esp., p. 1-25, 2008.

BARBOSA, R. R.; SEPÚLVEDA, M. I. M.; COSTA, M. U. P. Gestão da informação e do conhecimento na era do compartilhamento e da colaboração. Informação & Sociedade, João Pessoa, v. 19, n. 2, p. 13-24, maio/ago., 2009.

BARRETO, A. M. Gestão da informação: ferramenta da produção ou da significação? Informação & Sociedade, João Pessoa, v. 16, n. 2, p. 51-61, jul./dez., 2006.

BATISTA, F. F. Modelo de gestão do conhecimento para a administração pública brasileira: como implementar a gestão do conhecimento para produzir resultados em benefício do cidadão. Brasília: IPEA, 2012.

BEM, R. M.; COELHO, C. C. S. R. Instrumentos de representação do conhecimento para práticas de gestão do conhecimento: taxonomias, tesauros e ontologias. InCID - Revista de Ciência da Informação e Documentação, v. 4, n. 1, p. 147-162, jan./jun., 2013.

BENNET, G. Intranets: como implantar com sucesso na sua empresa. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

BERNETT, D.; RADOS, G. V. Desafios das tecnologias de informação e comunicação sob a perspectiva da gestão do conhecimento na sociedade em redes. Datagramazero, Rio de Janeiro, v. 11, n. 3, 2010.

BERTOLINI, A. V. A. et al. Soluções business intelligence open source no suporte e a estratégia organizacional. Revista Inteligência Competitiva, v. 5, n. 2, p. 40-59, 2015.

BERVIAN, P. A.; CERVO, A. L.; SILVA, R. Metodologia científica. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

BOCCATO, V. R. C. Os sistemas de organização do conhecimento nas perspectivas atuais das normas internacionais de construção. InCID - Revista de Ciência da Informação e Documentação, v. 2, n. 1, p. 165-192, jan./jun., 2011.

BOLAÑO, C.; MATTOS, F. Conhecimento e informação na atual reestruturação produtiva: para uma crítica das teorias da gestão do conhecimento. Datagramazero, Rio de Janeiro, v. 5, n. 3, 2004.

BOLISANI, E.; HANDZIC, M. Advances in knowledge management: celebrating twenty years of research and practice. New York: Springer, 2015.

BOTELHO, M. A.; MONTEIRO, A. M.; VALLS, V. A gestão do conhecimento esportivo: a experiência da biblioteca da SEME. Ciência da Informação, Brasília, v. 36, n. 1, p. 175-188, jan./abr., 2007.

BRAQUEHAIS, A. P. et al. O papel da cultura organizacional na gestão do conhecimento: revisão da literatura de 2009 A 2015. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, v. 7, n. 1, p. 80-93, 2017.

BREEN, M. Informação não é conhecimento: teorizando a economia política da virtualidade. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 6, n. 2, p. 157-171, jul./dez., 2001

.

BRUSAMOLIN, V.; MORESI, E. Narrativas de histórias: um estudo preliminar na gestão de projetos de tecnologia da informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 37, n. 1, p. 37-52, jan./abr., 2008.

CAMPOS, M. L. A. Modelização de domínios de conhecimento: uma investigação de princípios fundamentais. Ciência da Informação, Brasília, v. 33, n. 1, p. 22-32, jan./abr., 2004.

CAMPOS, M. L. A.; GOMES, H. E. Taxonomia e classificação: a categorização como princípio. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO ENANCIB, 8., 2007. Anais. 2007.

CÂNDIDO, G. A.; ARAÚJO, N. M. As tecnologias de informação como instrumento de viabilização da gestão do conhecimento através da montagem de mapas cognitivos. Ciência da Informação, Brasília, v. 32, n. 3, p. 38-45, set./dez., 2003.

CANONGIA, C. et al. Convergência da inteligência competitiva com construção de visão de futuro: proposta metodológica de Sistema de Informação Estratégica (SIE). Datagramazero, Rio de Janeiro, v. 2, n. 3, 2001.

CANONGIA, C. et al. Mapeamento de Inteligência Competitiva (IC) e de Gestão do Conhecimento (GC) no setor saúde. Encontros Bibli, Florianópolis, v. 9, n. esp., 1º sem., 2004.

CAPUANO, E. A. Construtos para modelagem de organizações fundamentadas na informação e no conhecimento no serviço público brasileiro. Ciência da Informação, Brasília, v. 37, n. 3, p. 18-37, set./dez., 2008.

CARDOSO, M. H. Software social no ambiente corporativo: transformando a produção e disseminação de conhecimento nas organizações. Datagramazero, Rio de Janeiro, v. 8, n. 4, 2007.

CARNEIRO, L. E. S.; ALMEIDA, M. B. Gestão da informação e do conhecimento no âmbito das práticas de segurança da informação: o fator humano nas organizações. Encontros Bibli, Florianópolis, v. 18, n. 37, p. 175-202, mai./ago., 2013. DOI: 10.5007/1518-2924.2013v18n37p175

CARVALHO, H.; BRITTOS, V. C. Comunicação e informação como fatores críticos de sucesso na gestão do conhecimento. Datagramazero, Rio de Janeiro, v. 7, n. 2, 2006.

CARVALHO, I. C. L.; KANISKI, A. L. A sociedade do conhecimento e o acesso à informação: para que e para quem? Ciência da Informação, Brasília, v. 29, n. 3, p. 33-39, set./dez., 2000.

CARVALHO, R. B. Aplicações de softwares de gestão do conhecimento: tipologia e usos. Belo Horizonte: UFMG, 2000.

CHAU, K. W. An ontology-based knowledge management system for flow and water quality modeling. Advances in Engineering Software, v. 38, p. 172-181, 2007.

CORNÉLIO, N. A. G.; ABREU, A. F.; COSTA, E. O. Espaço interativo: modelo de relação universidade empresa baseada em comunidades de prática. Ciência da Informação, Brasília, v. 39, n. 1, p.9-20, jan./abr., 2010.

COSTA, W. J. V.; PINHEIRO, M. M. K. Redes sociais e compartilhamento de informação e conhecimento em aglomerações produtivas. Informação & Informação, Londrina, v. 12, n. esp., 2007.

DAVENPORT, T. H.; PRUSAK, L. Conhecimento empresarial: como as organizações gerenciam seu capital intelectual. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

DUARTE, E. N. Conexões temáticas em gestão da informação e do conhecimento no campo da ciência da informação: proposta de redes humanas. Informação & Sociedade, João Pessoa, v. 21, n. 1, p. 159-173, jan./abr., 2011.

DZIEKANIAK, G. Tecnologias de descoberta de conhecimento na gestão do conhecimento: contextualizações com a sociedade do conhecimento. Datagramazero, Rio de Janeiro, v. 11, n. 1, 2010.

ELIAS, E. D. et al. Aplicação da ergonomia na operacionalização do gerenciamento eletrônico de documentos (GED): avaliação prática. Ágora, v. 24, n. 48, p. 44-61, 2014.

FERREIRA, B. O. S.; VARAJÃO, J.; CUNHA, A. Fatores de sucesso da gestão de projetos de CRM: uma revisão de literatura. In: CONFERÊNCIA DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, CAPSI 2016, 16., Porto. Anais. Porto, 2016. DOI http://dx.doi.org/10.18803/capsi.v16.139-162

FLICK, U. Uma introdução à pesquisa qualitativa. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2004.

FRANCISCO, R. E. B. Inovação e gestão do conhecimento em comunicação na UFSCAR innovation and knowledge management in communication at UFSCAR. Comunicação & Inovação, v. 12, n. 22, p. 35-46, jan./jun., 2011.

FROES, T.; CARDOSO, A. Práticas pedagógicas utilizando um ambiente virtual de aprendizagem para construção colaborativa do conhecimento. Datagramazero, Rio de Janeiro, v. 9, n. 2, 2008.

FUJITA, M. S. L.; RUBI, M. P. O ensino de procedimentos de política de indexação na perspectiva do conhecimento organizacional: uma proposta de programa para a educação à distância do bibliotecário. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 11, n. 1, p. 48-66, jan./abr., 2006.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GONÇALVES, C. A. F.; OLIVEIRA, M. C. G. Conhecimento na sociedade da informação: contradições e aproximações. Informação & Informação, Londrina, v. 14, n. 1, p. 36-51, jul./jun., 2009. DOI: 10.5433/1981-8920.2009v14n1p37

GONZALEZ, R. V. D.; MARTINS, M. F.; TOLEDO, J. C. Gestão do conhecimento em uma estrutura organizacional em rede. Ciência da Informação, Brasília, v. 38, n. 1, p. 57-73, jan./abr., 2009.

HOLANDA, L. M. C.; FRANCISCO, A. C.; KOVALESKI, J. L. A percepção dos alunos do mestrado em engenharia de produção sobre a existência de ambientes de criação do conhecimento. Ciência da Informação, Brasília, v. 38, n. 2, p. 96-109, maio/ago., 2009.

HOSS, O.; ROJO, C. A.; GRAPEGGIA, M. Gestão de ativos intangíveis: da mensuração a competitividade por cenários. São Paulo: Atlas, 2010.

INNARELLI, H. C. Preservação digital: a gestão e a preservação do conhecimento explícito digital em instituições arquivísticas. InCID - Revista de Ciência da Informação e Documentação, v. 3, n. 2, p. 48-63, jul./dez., 2012.

KOENIG, M. E. D. The third stage of KM emerges. Km World, v. 11, n. 3, p. 20-21, 2002.

LEITE, F. C. L. O conhecimento científico tácito na dinâmica da pesquisa: alguns indícios. Datagramazero, Rio de Janeiro, v. 8, n. 3, 2007.

LEITE, F. C. L.; COSTA, S. M. S. Gestão do conhecimento científico: proposta de um modelo conceitual com base em processos de comunicação científica. Ciência da Informação, Brasília, v. 36, n. 1, p. 92-107, jan. /abr., 2007.

LEMOS, B.; JÓIA, L. A. Relevant factors for tacit knowledge transfer within organizations: an exploratory study. Gestão & Produção, v. 19, n. 2, p. 233-246, 2012.

LIMA JR, W. Sociedade do conhecimento em função da capacidade do processamento de informações digitais. Comunicação & Sociedade, v. 27, n. 45, p. 41-55, 2006.

LIMA, E. S.; OLIVEIRA, I. G. S. C. O bibliotecário e as competências administrativas: uma revisão de literatura sobre a construção de um novo perfil. Biblionline, João Pessoa, n. esp., p. 168-176, 2010.

LIMEIRA, M. S. C.; DUARTE, E. N. O des(conhecimento) da série “iniciados” produzida pela UFPB e a disseminação da produção científica no CCSA. Biblionline, João Pessoa, v. 3, n. 2, 2007.

MARCONDES, C. H. Representação e economia da informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 30, n. 1, p. 61-70, jan./abr., 2001.

MARTELETO, R. M. Análise de redes sociais – aplicação nos estudos de transferência da informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 30, n. 1, p. 71-81, jan./abr., 2001.

MASCARENHAS, S. A. Metodologia científica. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2012.

McELROY, M. W. The new knowledge management: complexity, learning, and sustainable innovation. Amsterdam; Boston: KMCI Press; Butterworth-Heinemann, 2003.

NASSIF, M. E. Análise de pesquisas sobre o comportamento informacional de decisores sob o ponto de vista da cognição situada. Datagramazero, Rio de Janeiro, v. 9, n. 6, 2008.

NGANGA, C. S. N.; LEAL, E. A. A Utilidade de um Sistema ERP (Enterprise Resource Planning) no Processo de Gestão de Pequenas Empresas. Revista Contabilidade e Controladoria, v. 7, n. 1, 2015.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

NUNES, H. F. O jogo RPG e a socialização do conhecimento. Encontros Bibli, Florianópolis, v. 9, n. esp., p. 75-85, jan. 2004. DOI: http://dx.doi.org/10.5007/1518-2924.2004v9nesp2p75

ORTIZ, L. C.; ORTIZ, W. A.; SILVA, S. L. Ferramentas alternativas para monitoramento e mapeamento automatizado do conhecimento. Ciência da Informação, Brasília, v. 31, n. 3, p. 66-76, set./dez., 2002.

PACHECO, R. C. S.; KERN, V. M. Transparência e gestão do conhecimento por meio de um banco de teses e dissertações: a experiência do PPGEP/UFSC. Ciência da Informação, Brasília, v. 30, n. 3, p. 64-72, set./dez., 2001a.

PACHECO, R. C. S.; KERN, V. M. Uma ontologia comum para a integração de bases de informações e conhecimento sobre ciência e tecnologia. Ciência da Informação, Brasília, v. 30, n. 3, p. 56-63, set./dez., 2001.

PAPA, M. A. et al. Diagnosticando a gestão do conhecimento em uma organização utilizando o método: Organizational Knowledge Assessment OKA. Datagramazero, Rio de Janeiro, v. 10, n. 3, 2009.

PEREIRA, R. C. F. As redes como tecnologia de apoio a gestão do conhecimento. In: ANGELONI, M. T. (org.). Organizações do conhecimento: infra-estrutura, pessoas e tecnologia. São Paulo: Saraiva, 2002. p. 156-171.

PEROVANO, D. G. Manual de metodologia da pesquisa cientifica. Curitiba: InterSaberes, 2016.

PESTANA, M. C. et al. Desafios da sociedade do conhecimento e gestão de pessoas em sistemas de informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 32, n. 2, p. 77-84, maio/ago., 2003.

PORCARO, R. M. Indicadores da sociedade atual - informação, conhecimento, inovação e aprendizado intensivos. a perspectiva da OECD. Datagramazero, Rio de Janeiro, v. 6, n. 4, 2005.

RAUTENBERG, S.; TODESCO, J. L.; STEIAL, A. V. Uma ontologia para instrumentos da gestão do conhecimento e agentes da engenharia do conhecimento. Informação & Sociedade, João Pessoa, v. 21, n. 1, p. 111-128, jan./abr., 2011.

REIS, E. S.; ANGELONI, M. T.; SERRA, F. R. Business intelligence como tecnologia de suporte à definição de estratégias para a melhoria da qualidade do ensino. Informação & Sociedade, João Pessoa, v. 20, n. 3, p. 157-167, set./dez., 2010.

REZENDE, Y. Informação para negócios: os novos agentes do conhecimento e a gestão do capital intelectual. Ciência da Informação, Brasília, v. 31, n. 2, p. 120-128, maio/ago., 2002.

REZENDE, Y. Informação para negócios: os novos agentes do conhecimento e a gestão do capital intelectual. Ciência da Informação, Brasília, v. 31, n. 1, p. 75-83, jan./abr., 2002a.

RODRIGUES, M.P.F.; DUARTE, E.N. Adoção de tecnologias como facilitadora ao uso de conhecimento na biblioteca do UNIPÊ. Biblionline, João Pessoa, v. 2, n. 1, 2006.

RODRIGUEZ, M. V. R. Gestão do conhecimento e inovação nas empresas. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2011.

ROSSETTI, A. et al. A organização baseada no conhecimento: novas estruturas, estratégias e redes de relacionamento. Ciência da Informação, Brasília, v. 37, n. 1, p. 61-72, jan./abr., 2008.

ROSSETTI, A.; MORALES, A. B. O papel da tecnologia da informação na gestão do conhecimento. Ciência da Informação, Brasília, v. 36, n. 1, p. 124-135, jan./abr., 2007.

SAMMEVILLE, R. A. M. S.; GARCIA, J. C. R. Perfil produtivo dos pesquisadores da área de engenharias, ciências exatas e da terra da UFPB. Biblionline, v. 4, n. 1/2, 2008.

SAMPAIO, D. A.; SILVA, C. C. O.; SILVA, M. E. F. O controle dos registros do conhecimento face aos sistemas de recuperação da informação: um passeio por cinco bibliotecas catarinenses. Biblionline, João Pessoa, v. 6, n. 2, p. 88-97, 2010.

SANTOS, A. P.; BARBOSA, R. R. Desafios da mobilidade corporativa para a gestão da informação e do conhecimento. Informação & Sociedade, João Pessoa, v. 21, n. 2, p. 49-62, maio/ago., 2011.

SANTOS, E. A.; MIRAGLIA, S. G. E. K. Arquivos abertos e instrumentos de gestão da qualidade como recursos para a disseminação da informação científica em segurança e saúde no trabalho. Ciência da Informação, Brasília, v. 38, n. 3, p. 80-95, set./dez., 2009.

SANTOS, I. E. Manual de métodos e técnicas de pesquisa científica. 7. ed. Rio de Janeiro: Impetus, 2010.

SANTOS, L. R. N. et al. Ontologias aplicada a padronização dos currículos de pesquisadores: mapeamento do conhecimento. Datagramazero, Rio de Janeiro, v. 12, n. 5, 2011.

SANTOS, P. L. V. A. C.; MARTINEZ, V. C. A rede e o conhecimento. Informação & Informação, Londrina, v. 5, n. 2, p. 111-124, jul./dez., 2000.

SANTOS, R. N. M. Métodos e ferramentas para gestão de inteligência e do conhecimento. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 5, n. 2, p. 205-215, jul./dez., 2000.

SARRUF, P. G.; SILVA, H. F. N. Comunidades de prática virtuais e a troca e criação de conhecimentos em micro e pequenas empresas. Datagramazero, Rio de Janeiro, v. 13, n. 1, 2012.

SASIETA, H. A. M.; BEPPLER, F. D.; PACHECO, R. C. D. S. A memória organizacional no contexto da engenharia do conhecimento. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 12, n. 3, 2011.

SCHMIDT, P.; SANTOS, J. L. Avaliação de ativos intangíveis: goodwill, capital intelectual, marcas e patentes, propriedade intelectual, pesquisa e desenvolvimento. São Paulo: Atlas, 2009.

SCHONS, C. H. A contribuição dos wikis como ferramentas de colaboração no suporte à gestão do conhecimento organizacional. Informação & Sociedade, João Pessoa, v. 18, n. 2, p. 79-91, maio/ago., 2008.

SCHONS, C. H.; COSTA, M. D. Portais corporativos no apoio à criação de conhecimento organizacional: uma abordagem teórica. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 9, n. 3, 2008.

SILVA, A. B. O; FERREIRA, M. A. T. Gestão do conhecimento e capital social: as redes e sua importância para as empresas. Informação & Informação, Londrina, v. 12, n. esp., 2007.

SILVA, A. C. M.; GASQUE, K. C. G. D. Comportamento de pesquisa da informação de usuários de portais corporativos. Informação & Informação, v. 21, n. 1, p. 257-282, 2016.

SILVA, M. A. D. C.; SANTOS, J. Análise da gestão do conhecimento no INPA baseada em práticas gerenciais. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 9, n. 4, 2008.

SILVA, S. L. Gestão do conhecimento: uma revisão crítica orientada pela abordagem da criação do conhecimento. Ciência da Informação, Brasília, v. 33, n. 2, p. 143-151, maio/ago., 2004.

SILVA, S. L. Informação e competitividade: a contextualização da gestão do conhecimento nos processos organizacionais. Ciência da Informação, Brasília, v. 31, n. 2, p. 142-151, 2002.

SILVA, S.; ROZENFELD, H. Proposição de um modelo para avaliar a gestão do conhecimento no processo de desenvolvimento de produtos. Ciência da Informação, Brasília, v. 36, n. 1, p. 147-157, jan./abr., 2007.

SILVEIRA, M. A. A. Gestão da informação e do conhecimento: análise temática dos trabalhos do VI ENANCIB. Informação & Informação, Londrina, v. 12, n .2, jul. / dez., 2007.

SNOWDEN, D. Complex acts of knowing: paradox and descriptive self-awareness. Journal of Knowledge Management, v. 6, n. 2, p. 100-111, 2002.

SOUZA, E. D.; DIAS, E. J. W.; NASSIF, M. E. A gestão da informação e do conhecimento na ciência da informação: perspectivas teóricas e práticas organizacionais1. Informação & Sociedade, João Pessoa, v. 21, n. 1, p. 55-70, jan./abr., 2011.

SOUZA, M. P. N. Efeitos das tecnologias da informação na comunicação de pesquisadores da EMBRAPA. Ciência da Informação, Brasília, v. 32, n. 1, p. 135-143, jan./abr., 2003.

TARAPANOFF, K. Inteligência social e inteligência competitiva. Encontros Bibli, v. 9, n. esp., 1º sem., p. 11-26, 2004. URL: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2004v9nesp1p11

TARAPANOFF, K. M. A.; SUAIDEN, E. J.; OLIVEIRA, C. L. Funções sociais e oportunidades para profissionais da informação. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 3, n. 5, 2002.

TEIXEIRA, T. M. C.; VALENTIM, M. L. P. Estratégias para disseminação do conhecimento organizacional: o papel da arquitetura da informação. Informação & Informação, Londrina, v. 17, n. 3, p. 165-180, set./dez., 2012. DOI: 10.5433/1981-8920.2012v17n3p165

TERRA, J. C. C.; GORDON, C. Portais corporativos: a revolução na gestão do conhecimento. São Paulo: Negócio Editora, 2002.

TOMAÉL, M. I. Redes sociais, conhecimento e inovação localizada. Informação & Informação, Londrina, v. 12, n. esp., p. 75-91, 2006. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2006v11nesp1p75

TOMAÉL, M. I.; ALCARÁ, A. R.; CHIARA, I. G. D. Das redes sociais à inovação. Ciência da Informação, Brasília, v. 34, n. 2, p. 93-104, maio/ago., 2005.

TRIVINÕS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais. São Paulo, Editora Atlas, 1987.

VALENTIM, M. L. P. et al. O processo de inteligência competitiva em organizações. Datagramazero, Rio de Janeiro, v. 4, n. 3, 2003.

VALENTIM, M. L. P.; CERVANTES, B. O processo de inteligência competitiva em organizações. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 4, n. 3, 2003.

VIEIRA, A. S. A indústria brasileira na era do conhecimento: oportunidades e desafios. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 5, n. 2, p. 147-150, jul./dez., 2000.