A informação como objeto de estudo: histórico da pós-graduação em Ciência da Informação na Universidade de Brasília

  • Kira Tarapanoff Universidade de Brasília, Faculdade de Ciência da Informação, Brasília, DF, Brasil
  • Lillian Alvares Universidade de Brasília, Faculdade de Ciência da Informação, Brasília, DF, Brasil
Palavras-chave: Arquivologia. Biblioteconomia. Doutorado. Mestrado. Museologia. Pesquisa. Universidade de Brasília.

Resumo

Descreve o contexto, criação e a trajetória dos cursos de pós-graduação da atual Faculdade de Ciência da Informação da Universidade de Brasília. Na gênese e histórico da criação de seu Mestrado em Biblioteconomia e Documentação, detém-se nas principais linhas de pesquisa que orientaram o desenvolvimento de suas dissertações, com destaque para alguns trabalhos. Em sua evolução, descreve a criação do Doutorado e a integração das várias áreas que tem como objeto de estudo a informação, como a Biblioteconomia, Arquivologia e Museologia, colocadas sob um mesmo guarda-chuva de pós-graduação em Ciência da Informação. Analisa quantitativamente o período de 2006 a 2018, com visualizações sobre temáticas de pesquisa e defesas realizadas em seu mestrado e doutorado. Conclui pela necessidade de se integrar e antecipar de forma contínua e adequada às novas necessidades informacionais de usuários e organizações, face às mudanças tecnológicas e culturais da sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kira Tarapanoff, Universidade de Brasília, Faculdade de Ciência da Informação, Brasília, DF, Brasil

Graduação em Biblioteconomia pela Universidade de Brasília (1969), mestrado em Biblioteconomia pela Emory University / School of Librarianship (1975) e doutorado em Estudos e Ciência da Informação pela Sheffield University / Faculty of Education (1981). Atualmente é pesquisadora associada sênior da Universidade de Brasília,. Foi pesquisadora 1A do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico,, CNPq. É consultora "ad hoc" da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). Fez parte do CTC do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict). Prestou consultoria a várias instituições, dentre elas a Organização Pan Americana de Saúde, OPAS/OMS, Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, MDIC/STI e Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, Ibict. Seu interesse profissional recai em áreas como: Planejamento Estratégico de Sistemas de Informação, Inteligência Organizacional e Competitiva, Gestão do Conhecimento (com ênfase em Comunidades de Prática, Educação Corporativa e Aprendizado ao longo da vida em corporações), Sustentabilidade corporativa, Inclusão Digital e sobre o Profissional da Informação (perfil, formação e atuação).

Lillian Alvares, Universidade de Brasília, Faculdade de Ciência da Informação, Brasília, DF, Brasil

Pós-doutorado em Sistemas Cognitivos pela Escola Superior de Tecnologia i Ciències Experimentals da Universitat Jaume I, Espanha. Doutora em Ciência da Informação pela Universidade de Brasília e pela Université du Sud Toulon-Var (Doctorat de Sciences de l´Information et de la Communication) em regime de cotutela em 2010. Especialista em Inteligência Competitiva pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Instituto Nacional de Tecnologia (INT) e Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict) em 2001. Mestre em Biblioteconomia pela Universidade de Brasília (1997) e Graduada em Engenharia Mecânica (1990) pela mesma universidade. Trabalhou na Fundação Centros de Referência em Tecnologia Inovadora (Certi); Ministério das Relações Exteriores (MRE); Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict); Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa); e Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Professora da Faculdade de Ciência da Informação da Universidade de Brasília (UnB), desde 2006, onde ocupou os cargos de Coordenadora do Curso de Bacharelado em Museologia de abril de 2010 a abril de 2012 e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCInf/UnB) de junho de 2012 a janeiro de 2014. Membro do Conselho Fiscal da Ancib na gestão de 2006-2008. Vice-Presidente da Ancib na gestão 2012-2014. De fevereiro de 2014 a janeiro de 2018 ficou cedida ao Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, para assumir a Coordenação-Geral de Pesquisa e Manutenção de Produtos Consolidados, que inclui o Programa de Acesso Aberto à Informação Científica, o Programa de Bibliografia e Documentação e o Programa de Publicações Científicas.

Referências

ALI, T. F. Crescimento: John Dewey e sua contribuição à noção de formação no pensamento pedagógico moderno. Dissertação (mestrado). Florianópolis, SC, Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação. Programa de Pós Graduação em Educação, 2014.

ALVARES, L. Graduação em Museologia: significados, opções e perspectivas. Museologia & Interdisciplinaridade; Revista do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade de Brasília, v. 1, n. 1, p. 236-250, jan./jul. de 2012.

ALVARES, L. Descoberta de conhecimento na Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (Relatório de Estágio Pós-Doutoral), Castellón de la Plana, Comunidade Valenciana, Espanha. Escola Superior de Tecnologia i Ciències Experimentals/Departament de Llenguatges i Sistemes Informàtics. Universitat Jaume I, UJI. 2017.

ARAUJO, C. A .A. Arquivologia, Biblioteconomia, Museologia e Ciência da Informação: o diálogo possível. Brasília, DF: Briquet de Lemos / São Paulo: Associação Brasileira de Profissionais da Informação (Abrainfo), 2014.

BARABÁSI, A. L. The formula; the universal laws of success. New York: Little, Brown and Company, 2018.

BARRETO, A. de A. A eficiência técnica e econômica e a viabilidade de produtos e serviços de informação. Ciência da Informação, v. 25, n. 3, p. 1996.

BELKIN, N.; ROBERTSON, S. Information Science and the phenomenon of information. Journal of the American Society for Information Science, v. 34, n. 4, p. 197-204, 1976.

BOELL, S. K. Information: fundamental positions and their implications for information systems research, education and practice. Information and organization, v. 27, p. 1-16, 2017.

BORGES, M.A.G.; BRITO, M. de. (Org.) Criação da Faculdade de Biblioteconomia da UnB: 1962-1967. Brasília: UnB/FCI, 2013. Disponível em: <http://www.youblisher.com/p/977073-Criacao-da-Faculdade-de-Biblioteconomia-da-UnB-1962-1967>. Acesso em: 18.10.2018

BOURDIEU, P.; PASSERON, J-C. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Lisboa: 1970.

BRAGA, M. O concurso de Brasília: sete projetos para uma capital. São Paulo: Cosac Naify, Imprensa Oficial do Estado, Museu da Casa Brasileira, 2010.

BRASIL. Lei nº 3.998, de 15 de dezembro de 1961. Autoriza o Poder Executivo a instituir a Fundação Universidade de Brasília, e dá outras providências. Diário Oficial da União, 15 dez. 1961.

CAITANO, A. O educador revolucionário. Darcy, Revista do jornalismo científico e cultural da Universidade de Brasília, v. 10, p. 12-15, abril e maio de 2012.

CAMPELLO, B. O movimento da competência informacional: uma perspectiva para o letramento informacional. Brasília. Ciência da Informação, v. 32, n. 3, 2003. Disponível em: <http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/986/1027>. Acesso em: 14.10.2018.

CAPURRO, R.; HJÖRLAND, B. O conceito de informação. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 1 2, n. 1, p. 148-207, jan./abr., 2007.

COSTA, L. Relatório do projeto do Plano Piloto (PPB). In: BRAGA, M. O concurso de Brasília: sete projetos para uma capital. São Paulo: Cosac Naify, Imprensa Oficial do Estado, Museu da Casa Brasileira, 2010. p.164-175.

CUNHA, M. B. da. Abner Lellis Correa Vicentini. In: BORGES, M.A.G.; BRITO, M. de (Org). Criação da Faculdade de Biblioteconomia da UnB: 1962-1967. Brasília: UnB/FCI, 2013. p. 49-72.

DEWEY, J. Democracia e Educação. Trad. Godofredo Rangel e Anísio Teixeira. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1959.

DIAS, M. A. R. UnB e comunicação nos anos 1970: acordo tácito, repressão e credibilidade acadêmica. Brasília, DF: UnB, 2013.

FERRAZ, I. G. Introdução. In: FERRAZ, I. G. Darcy Ribeiro: utopia. São Paulo: Hedra, 2008. p. 9-18.

GARCIA, M. L. de A. A informação científica e tecnológica no Brasil. Brasília. Ciência da Informação, v. 9, n. 1-2, p. 41-81, 1980.

GUINCHAT, C.; MENOU, M. Introdução geral às ciências e técnicas da informação e documentação. Brasília: IBICT/CNPq, 1994.

GUYOT, B. Quelques problématiques pour éclairer l'étude de l'information dans les organisations. Sciences de la Société, n. 50-51, p. 129-148, nov 2000.

HAWKINS, D.T. Information Science: Abstracts: tracking the literature of Information Science. Part 1: Definition and Map. Journal of the American Society for Information Science and Technology, v. 52, n. 1, p. 44-53, 2001.

HJÖRLAND, B. Fundamentals of knowledge organization: trends in knowledge organization research. Salamanca: Universidad de Salamanca, 2003.

HOUAISS, A. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

KRIEGER, M. G.; FINATO, M. J. B. Introdução à terminologia: teoria e prática. São Paulo: Contexto, 2004.

MALCLÈS, L. N. La bibliographie. Paris: P.U.F., 1973. 128p. Coll Que sais-je?, n. 708.

MIGLIEVICH-RIBEIRO, A. Darcy Ribeiro e UnB: intelectuais, projeto e missão. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 25, n. 96, p. 585-608, jul./set. 2017.

MOTTA, R. P. S. As universidades e o regime militar: cultura política brasileira e a modernização autoritária. Rio de Janeiro: Zahar, 2014.

OTLET, P. Traité de documentation: le livre sur le livre. Bruxelles: Editiones Mundaneum, 1934.

RIBEIRO, D. A Invenção da Universidade de Brasília: 1961-1995. Brasília: Senado Federal, 1995. Carta n. 14.

RIBEIRO, D. (Org.). Universidade de Brasília; projeto de organização, pronunciamento de educadores e cientistas e lei nº 3.998 de 15 de dezembro de 1961. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2012.

SALMERON, R. A. A universidade interrompida: Brasília 1964-1965. Brasília, DF: EdUnB, 2012.

SARACEVIC, T. Ciência da Informação; origens, evolução e relações. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 1, n. 1, p. 41-62, jan./jun. 1996.

SHERA, J. Epistemologia social, semântica geral e biblioteconomia. Ciência da Informação, v. 6, n. 1, p. 9-12, 1977.

TEIXEIRA, A. Plano de construções escolares de Brasília. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 35, n. 81, p. 195-199, jan./mar. 1961.

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA/Faculdade de Ciência da Informação. Documento norteador da pós-graduação em Ciência da Informação da Universidade de Brasília. Brasília: FCI/UnB, 2010.

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA/Faculdade de Estudos Sociais aplicados/Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Biblioteconomia: manual do curso de graduação. Brasília: Universidade de Brasília, 2005.

VICENTINI, A. L. C. Informática. Coimbra, Portugal, Cadernos de Biblioteconomia, Arquivística e Documentação, 1968.

ZURKOWSKY, P, G. The information service environment; relationship and priorities. Related Paper n.5, National Commission on Libraries and Information Science, Washington, D.C. National Program for Library and Information Services, Nov. 1974.

Publicado
2018-11-14
Como Citar
TarapanoffK., & AlvaresL. (2018). A informação como objeto de estudo: histórico da pós-graduação em Ciência da Informação na Universidade de Brasília. Revista Ibero-Americana De Ciência Da Informação, 12(1), 262-289. https://doi.org/10.26512/rici.v12.n1.2019.19163