História do papel: panorama evolutivo das técnicas de produção e implicações para sua preservação

Clara Landim Fritoli, Eduardo Leite Krüger, Silmara Küster de Paula Carvalho

Resumo


Este artigo conta a história do papel em breves linhas, inclusive sobre seu aparecimento no Brasil, traçando um panorama evolutivo das técnicas de produção e das implicações para sua preservação, especialmente no que se refere aos processos de fabricação conhecidos. Apresenta o método das isopermas, uma ferramenta que quantifica o efeito dos fatores ambientais de temperatura e de umidade relativa percentual sobre a expectativa de vida útil prevista para coleções em suporte de papel. Para tal, aborda o monitoramento de acervos e reservas técnicas assim como o monitoramento experimental e ensaios de envelhecimento natural de amostras de papel, demonstrando a importância de se lançar um olhar sobre esse material como testemunho dos processos de modificação técnica e tecnológica, e das influências positivas e negativas que essas alterações provocam em sua permanência. Finaliza a abordagem lembrando que o advento do registro das informações em meio digital aparece como solução para tornar as informações mais acessíveis, mas também requer mudanças específicas na política de preservação dos novos acervos.

Palavras-chave


Bens culturais; Climatização de acervos; Conservação documental; Documento em papel; Isopermas; Monitoração ambiental

Texto completo:

PDF


UnB Revista Ibero-americana de Ciência da Informação (RICI)
ISSN 1983-5213
Faculdade de Ciência da Informação (FCI)
Programa de Pós Graduação em Ciência da Informação

 

 

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.