A curadoria em Artes Visuais e a produção de conhecimento artístico em sociedade: o caso das residências de arte

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Renata Azambuja

Resumo

Este texto integra a pesquisa voltada para os estudos de doutorado cujo objetivo é o de investigar a curadoria em Artes Visuais no tocante ao tipo de conhecimento por ela produzida, tendo como subsídio para análise a residência artística, uma modalidade de gestão autônoma. Para fins da pesquisa para esta disciplina, busca-se traçar relações entre os estudos das Ciências Sociais (com enfoque nos estudos culturais) e o campo das Artes Visuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
AzambujaR. (2017). A curadoria em Artes Visuais e a produção de conhecimento artístico em sociedade: o caso das residências de arte. Arquivos Do CMD, 5(1), 117-130. https://doi.org/10.26512/cmd.v5i1.8970
Seção
Artigos Livres
Biografia do Autor

Renata Azambuja, Universidade de Brasília

Doutoranda na linha de Teoria e História da Arte, no Departamento de Artes Visuais/IdA/UnB.

Referências

AZAMBUJA, Renata. Exercício experimental da liberdade, gestão autônoma e residência: articulando presentes com Mario Pedrosa. 10f. Trabalho apresentado como requisito parcial para aprovação na Disciplina Tópicos Especiais em História da Arte 1, Departamento de Artes Visuais/IdA, Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
_______________________. Sobre a casa tomada: uma aproximação descritiva. 10f. Trabalho apresentado como requisito parcial para aprovação na Disciplina Teoria e História da Arte,
Departamento de Artes Visuais/IdA, Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
ARTE mobilidade sustentabilidade. Cadernos Sesc_videobrasil, São Paulo, caderno 2, 2006. Disponível em: .
Acesso em: 03 dez. 2017.
BOIS, Yve-Alain. Ideologias da forma. Novos Estudos/CEBRAP, São Paulo, n. 76, p. 237-240, nov. 2006. Entrevista. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2017.
CANCLINI, Néstor Garcia. A globalização imaginada. São Paulo: Iluminuras, 2003. 223 p.
DEL CASTILLO, Sônia Salcedo. Arte de expor: curadoria como expoesis. Rio de Janeiro: NAU Editora, 2015. 224 p.
FARIAS, Edson. Programa da disciplina Políticas e Economias do Simbólico do Departamento de Artes Visuais/IdA, Universidade de Brasília. Brasília, 2017. Texto digitalizado. 14 p.
FERREIRA, Glória. Escolhas e experiências. In: RAMOS, Alexandre Dias (Org.). Sobre o ofício do curador. Porto Alegre, ZOUK, 2010. p. 137-148.
HALL, Stuart. Introduction: the work of representation. In: Representation: cultural representations and signifying practices. London, Sage, 2003. p. 1-11.
HEINICH, Nathalie. La sociologia del arte. Buenos Aires: Ediciones Nueva Visión, 2002. 128 p.
KESTER, Grant H. Colaboração, arte e subculturas. Cadernos Sesc_videobrasil. Arte mobilidade sustentabilidade, São Paulo, caderno 2, 2006. Disponível em:
. Acesso em: 03. dez. 2017.
MADZOSKI, Vesna. Decuratoribus: the dialectics of care and confinement. New York: Atropos Press, 2013. 44 p.
MICHAELIS: Dicionário Brasileiro Da Língua Portuguesa. Disponível em: .
Acesso em: 03. dez. 2017.
NUNES, Kamilla. Espaços autônomos de arte contemporânea. Rio de Janeiro: Circuito, 2013. Disponível em:
. Acesso em: 03. dez. 2017.
PEDROSA, Mario. A bienal de cá para lá. In: ARANTES, Otilia Fiores (Org.). Política das Artes. São Paulo: EdUSP, 1995. p. 217-284.
____________________. Crise do condicionamento artístico. In: ARANTES, Otilia Fiores (Org.). Política das Artes. São Paulo: EdUSP, 1995. p. 117-138.
PETRONI, Ilze. Ejercicio de desmontaje: apuntes sobe gestión autónoma y el campo artístico contemporáneo. In: NORONHA, Marcio Pizarro (Org.). Gestão em arte e cultura: residências, experimentos e clinicas sobre gestão e economias da arte e da cultura. Porto Alegre: Editora Animal, 2016. 189 p.
RAMOS, Alexandre. Sobre o ofício do curador. Rio de Janeiro: Zouk, 2010. 171 p.
SEPULVEDA, Jorge T.; BUSTOS, Guillermina. Una pretensión libertadora y una predisposición de orden: gestiones autónomas de arte contemporáneo en America Latina. Revista Arte da Cena, Goiânia, v. 2, n. 2, p. 23-30, jan./jun. 2016. Disponível em: . Acesso em: 03. dez. 2017.
________________________; PETRONI, Ilze. Algunas hipótesis sobre gestiones autónomas de arte contemporáneo. In: SACO2-SEGUNDA SEMANA DE ARTE CONTEMPORÁNEO, 2014, Antofagasta, Chile. Disponível em: . Acesso em: 03. dez. 2017.
TEJO, Cristina. Não se nasce curador, torna-se curador. In: RAMOS, Alexandre Dias (Org.). Sobre o ofício do curador. Porto Alegre, ZOUK, 2010. p. 149-163.
YUDICE, George. El recurso de la cultura: usos de la cultura en la era global. Barcelona: Editorial Gedisa, 2002. 475p.